Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
ESCOLA ENQUANTO INSTITUIÇÃO E ORGANIZAÇÃO

ESCOLA ENQUANTO INSTITUIÇÃO E ORGANIZAÇÃO

Ratings: (0)|Views: 337|Likes:
Published by Prof. Elicio Lima
Instituições são mecanismos sociais que controlam o funcionamento da sociedade e, por conseguinte, dos indivíduos, mostram-se de interesse social, uma vez que refletem experiências quantitativas e qualitativas dos processos socioeconômicos. Organizadas sob o escopo de regras e normas, visam à ordenação das interações entre os indivíduos e entre estes e suas respectivas formas organizacionais. (O sistema controla o organismo)
Instituições são mecanismos sociais que controlam o funcionamento da sociedade e, por conseguinte, dos indivíduos, mostram-se de interesse social, uma vez que refletem experiências quantitativas e qualitativas dos processos socioeconômicos. Organizadas sob o escopo de regras e normas, visam à ordenação das interações entre os indivíduos e entre estes e suas respectivas formas organizacionais. (O sistema controla o organismo)

More info:

Published by: Prof. Elicio Lima on Jul 16, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/05/2014

pdf

text

original

 
Subsidio ao curso de Gestão Educacional. Disciplina tópicos especiais em gestão educacional. Autor: Professor Elicio Gomes lima07/2010. São Paulo
Título I. ESCOLA ENQUANTO INSTITUIÇÃO E ORGANIZAÇÃO1.Conceito de instituição:Instituições
são mecanismos sociais que controlam o funcionamento da sociedade e, porconseguinte, dos indivíduos, mostram-se de interesse social, uma vez que refletemexperiências quantitativas e qualitativas dos processos socioeconômicos. Organizadas sob oescopo de
regras e
 
normas
, visam à ordenação das interações entre os indivíduos e entreestes e suas respectivas
 formas organizacionais. (O sistema controla o organismo)
 FURUBOTN e RICHTER (2000) vêem as instituições como um conjunto bem definido de
regras,formais ou informais
, incluindo os arranjos que permitem a sua aplicação. As
restrições
teriamo propósito de encaminhar o comportamento dos indivíduos para alguma direção emparticular. O ambiente institucional e as próprias instituições tem influencia direta naconfiguração do perfil das organizações.
Conceito de Organização:
Organização é um sistema planejado de esforço cooperativo no qual cada
participante
 tem um papel definido a desempenhar e deveres e tarefas a executar
.
(CURY, 2000, p. 116).
Podemos definir qualquer organização como um conjunto de duas ou mais
 pessoas
querealizam tarefas, seja em grupo, seja individualmente, mas de forma coordenada econtrolada, atuando num determinado contexto ou ambiente, com vista a atingir umobjetivo pré-determinado através do uso eficaz de diversos meios e recursos disponíveis,liderados ou não por alguém com as funções de planear, organizar, liderar e controlar.Desta definição de organização convém reter alguns conceitos fundamentais para a suaadequada compreensão, nomeadamente:
1.
 
Atuação coordenada:
para que exista uma organização, não basta que um conjuntode pessoas atuem com vista a atingir um objectivo comum; é necessário tambémque essas pessoas se organizem, ou seja, que desenvolvam as suas atividades deforma coordenada e controlada para atingir determinados resultados. Estacoordenação e controle é geralmente efetuada por um líder .
2.
 
Recursos:
representam todos os meios colocados à disposição da organização enecessários à realização das suas atividades. Neste recursos incluem-se os recursoshumanos, os recursos materiais e tecnológicos, os recursos financeiros, ecredibilidade perante o público atendido.
3. Uso eficaz:
os recursos organizacionais descritos no ponto anterior são, pordefinição, escassos, daí que a sua alocação deva ser efectuada eficazmente porforma a que a probabilidade de atingir os objectivos pré-definidos seja a maiorpossível. É daqui que surge a principal justificação para a necessidade da gestão nasorganizações.
4.
 
Objetivos:
Representam as metas ou resultados organizacionais pretendidos e aobter no futuro ou, por outras palavras, o propósito que justifica toda a actividadedesenvolvida ou mesmo a própria existência da organização. Naturalmente, todasas organizações devem determinar não apenas os seus objetivos, mas também
 
Subsidio ao curso de Gestão Educacional. Disciplina tópicos especiais em gestão educacional. Autor: Professor Elicio Gomes lima07/2010. São Paulo
definir as medidas e formas de actuação e de alocação de recursos que se pensammais adequadas para os atingir.
5. Contexto:
Representa toda a envolvente externa da organização que, de formadirecta ou indirecta, influencia a sua actuação e o seu desempenho. Nestaenvolvente externa inclui-se o contexto económico, tecnológico, sócio-cultural,político-legal, e ainda um conjunto de elementos que actuam mais próximo edirectamente com a organização, tais como os clientes, os fornecedores, osconcorrentes, as organizações sindicais, a comunicação social, entre outros.
2. MISSÃO, VISÃO E OBJETIVOS:
 1.
A missão é um caminho magnânimo que escolhemos trilhar, a visão é a meta de aquisiçãodos frutos almejados que são os objetivos
.2. A missão é uma declaração ampla e duradoura de propósitos que individualiza a organizaçãoe a distingue impondo a delimitação de suas atividades dentro do espaço que deseja ocuparem relação aos fins. Visão é o desejo, o que se quer alcançar. Objetivos é o resultado oproduto final obtido através de metas que são os degraus.
3. A NECESSIDADE DE UMA VISÃO PARA A ORGANIZAÇÃO:
A visão deve mostrar aonde se quer chegar e que meios serão necessários para atingir esseobjetivo. Assim ela conseguirá motivar as atitudes e comportamentos, dar um rumo a escola eavaliar o progresso, comparando resultados (relação entre meios e fins).Tal visão pretende que as pessoas repensem e reanalisem quem são e para que estão aqui.
Uma visão é, em parte, racional (produto da análise) e, em parte, emocional (produto daimaginação, intuição e valores); envolve estratégia e desempenho para organização.
Ao compreender uma visão institucional, as pessoas fazem escolhas e adotam atitudes ecomportamentos mais sensatos em relação ao meio e as relações sociais instituídas.
Como nos certificar de "transformar a teoria em prática"
Após estabelecer e enunciar uma visão, particularmente da organização escolar, e precisoapropriar-se dessa visão, acreditar nela, externá-la através do comportamento e das escolhas epautar-se por ela todos os dias, de forma que se possa fazer uma auto-avaliação da visãoinstitucional. E assim, transforma-se a teoria em pratica.Mesmo que compartilhada por todos ou muitos, será preciso determinação para manter avisão, pois sempre haverá circunstâncias ao redor que tentara ofuscá-la.No entanto, nossa visão, principalmente quando implica o modo como vemos a nos mesmos,sempre precisara ser protegida contra o desejo natural de escaparmos para uma zona cômodade conforto.
4. O QUE É DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL?
O Desenvolvimento Organizacional visa a clara percepção do que está ocorrendo nosambientes interno e externo da organização, a análise e decisão do que precisa ser mudado ea intervenção necessária para provocar a mudança, tornando a organização mais eficaz,perfeitamente adaptável às mudanças e conciliando as necessidades humanas fundamentaiscom os objetivos e metas da organização, o que exige a participação ativa, aberta de todos oselementos que serão sujeitos ao seu processo e, mais do que tudo, uma profundo respeitopela pessoa humana.
 
Subsidio ao curso de Gestão Educacional. Disciplina tópicos especiais em gestão educacional. Autor: Professor Elicio Gomes lima07/2010. São Paulo
Título II.
 
GESTÃO DE PESSOAS E SUBJETIVIDADE
 
O gestor deve buscar sempre o equilíbrio para o bom relacionamento entre a equipe e os seuscolaboradores e os interesses da instituição de modo que possa haver satisfação recíproca. Éfundamental um trabalho (comunicação, interação) para conscientizar a todos da importânciae impacto do comportamento e atitudes das pessoas para construir um ambiente de trabalhosaudável e que ao mesmo tempo busquem alcançar as metas e resultados desejados,demonstrando, através de exposições teóricas e atividades práticas, o desempenho na buscade um objetivo comum a instituição e a pessoa.Portanto, cabe aos gestores ter consciência que gerir pessoas não é só por legislação, normas,estatutos, ou pelas técnicas, métodos e instrumentos racionais de trabalho, de controle e deavaliação. Ao tomar consciência disso, o gestor deve compreender que gerir pessoas éentender que o homem é um ser dotado de desejos, necessidades, ambições, pulsão,expectativas pessoais e profissionais, é um ser subjetividade e se comunica por meio depalavras e comportamentos os quais expressam adesão ou resistência a um projetoinstitucional.Assim, o gestor precisa ter em mente que o homem é um ser dotado de razão e emoção(objetividade e subjetividade) e que traz em sua trajetória experiências através de sua vidasocial, profissional, religiosa e psíquica, entre outras. O entendimento das diferençasindividuais, de suas potencialidades, das suas possibilidades, das crenças e valores podem sercompartilhados na dimensão cultural que vão construir uma outra experiência históricapessoal e coletiva nos grupos organizacionais.O gestor ao ter uma visão, ou concepção holística na gestão de pessoas propicia aos membrosde sua equipe de trabalho boas condições ambientais e organizacionais, para que desenvolvamseu trabalho de maneira estimulante e saudável. Desta forma, poderá prevalecer a conciliaçãomútua dos objetivos pessoais e organizacionais.Portanto, As pessoas que fazem parte do processo organizacional precisam ser geridas deforma que o gestor procure em todas as circunstancias conhecer suas potencialidades, suasexpectativas, suas competências, para que as mesmas, quando inseridas num projeto,contribuam de uma maneira mais efetiva, eficiente e compromissada ou, seja que possa atuarcom ética e competência.Exercer a liderança gestora no processo das relações pessoais é ter o entendimento da culturaorganizacional, do planejamento estratégico da mesma e alinhar sua equipe de acordo com ascompetências contributivas da cada um para atingir os resultados esperados. Isto torna cadaelemento co-participativo do processo, é fazer cada sentir que faz parte da organização e nãoque está à parte. É preciso conciliar os objetivos organizacionais com os individuais, e saber emque momento ocorre a intersecção, o ponto comum entre as partes envolvidas. O gestor deveter em mente que as pessoas fazem os processos. São elas que por meio de seu trabalho quecontribuem efetivamente para com a organização e com a equipe.

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->