Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
1Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
TCC - Liderança

TCC - Liderança

Ratings: (0)|Views: 993|Likes:
Published by Matheus Assis

More info:

Published by: Matheus Assis on Jul 20, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOCX, TXT or read online from Scribd
See More
See less

11/28/2012

pdf

text

original

 
O mundo do trabalho hoje está em constante mudança, o que “força” o
colaborador a sempre esta procurando especializações para sua área ou paraganhar promoções. Essas mudanças também atingiram os papeisdesempenhados pelos funcionários, exemplo o líder não deve ter mais umaimagem ligada a um tirano, bem como, o associado não deve mais só saber realizar sua função dentro da fábrica.Evidente que ainda tem as pessoas que agem de uma forma que diverge como desejado. Um bom exemplo disso é o filme Mudança de Hábito (
Sister Act 
),estrelado por Whoopi Goldberg, em 1992. Nesse filme, os personagens secomportam de uma forma que pode-se associar com o comportamento de líder ou de associado. A começar pela madre superiora (Maggie Smith) que assume um papel de líder 
do convento. Fazendo a linha autoritária, no bom estilo “manda quem pode e
obedece que tem juízo
”, ela cobrava muitos resultados, mas dava suporte para
isso, no sentido de que ela não se preocupava com os colaboradores (no caso,as freiras do coral), ou seja, para ela não importava em motivar sua equipe.Vendo essa situação em outra perspectiva, a madre na verdade não seimportava o coral, achando que este era um caso perdido.Indo mais fundo no tipo de liderança da madre superiora, além dela ter umpapel de líder autoritário, que no caso do coral se alterava para uma líder permissiva, ela não tinha nem um poder de referência, nem um poder deespecialista e nem características inerentes a um bom líder. Ela comandava oconvento apenas com autoritarismo. A postura do bispo (Joseph Maher) também é de um líder, porém ele se difereda madre superiora pelo fato de ele está sempre acompanhando a sua equipe,
por isso quando viu o “novo” coral se apresentando no culto ele prontamente foi
falar com a madre e com Mary Clarence e querer saber o que aconteceu,reconhecendo o trabalho de sua equipe. Dessa forma, ele assume papel de umlíder que parece ser democrático, apesar de não estar ao lado de sua equipe, eque tendo um poder de especialista.
 
 A personagem principal Mary Clarence/Deloris Van Cartier (Whoopi Goldberg),na verdade não é uma freira, ela é uma cantora de rock que vê o assassinatode seu namorado e é jurada de morte. Com a ajuda de um amigo, ele seesconde do mundo dentro do covento do bairro, assumido o nome de IrmãMary Clarence. Engraçada como só ela, Whoopi Goldberg interpretou um papelque é muito procurado pelo mundo do trabalho: de uma líder nata. Durante suaestadia no convento, a madre superiora designava muitas funções para MaryClarence, mas ela não as desempenhava com sucesso, então a madre passa aresponsabilidade do coral para Mary Clarence, que com uma resistência inicialpara ensaiar, fez um belíssimo trabalho.Inicialmente, Mary Clarence entra no coral como uma das freiras que compõemo coro, mas logo foi assumindo sua posição de liderança. Assim, depois deobservar um primeiro ensaio, ela já sabia onde estava o problema: faltavacomunicação, faltava uma unidade, ou seja, esse coral ainda era um grupo.Desta forma, ela assume de vez a liderança do grupo, modificando adisposição das freiras e as avaliando qualitativamente. Depois da primeiraapresentação do coral, fica claro quem deveria realmente assumir a liderançado coral. Alisando a postura de Mary Clarence, ela era uma líder democrática, a qualouviu todos os componentes do coral, fazendo os liderados participarem eassim, se entregarem mais ao coral. Tendo um poder de especialista, já queela era cantora antes de entrar no covento, mas ora era um poder dereferencia. E se assemelhando, inicialmente, a uma pessoa com M3, ou seja,sabia o que fazer, mas não estava motivada, todavia depois da primeiraapresentação evolui para um M4. Comprovação disso era a imagem que todostinham de Mary Clarence: uma pessoa transparente e aberta a mudanças.Por fim, o coral como foi já dito, inicialmente era um grupo, isto é, erampessoas que se reuniram por alguma afinidade, no caso cantar, tinham umobjetivo em comum, mas não era obtido um bom resultado, pois elas nãocomunicavam e nem a líder do grupo estimulava a participação de todas.Depois que Mary Clarence assumiu este grupo, conseguiu transforma-lo em

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->