Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
31Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Auto Da Índia

Auto Da Índia

Ratings:

4.7

(10)
|Views: 9,015 |Likes:
Published by Paula Cruz
Dossiê informativo sobre Auto da Índia, de Gil Vicente.
Dossiê informativo sobre Auto da Índia, de Gil Vicente.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Paula Cruz on Jan 11, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

01/04/2014

 
Paula Cruz Paula Cruz Paula Cruz Paula Cruz 
1
AAUUTTOODDAAÍÍNNDDIIAA 
Personagens
 Ama Ama Ama Ama MoçaMoçaMoçaMoça CastelhanoCastelhanoCastelhanoCastelhano LemosLemosLemosLemos MaridoMaridoMaridoMarido
-
 
Leviana-
 
Sedutora-
 
Sensual-
 
Astuciosa-
 
Egoísta-
 
Irónica-
 
Hipócrita-
 
Falsa-
 
Trocista-
 
Adúltera-
 
Volúvel-
 
Materialista- insconstante-
 
Irónica-
 
Confidente-
 
Cúmplice-
 
Crítica-
 
Ladina- interesseira-
 
Fanfarrão-
 
Convencional-
 
Gabarola-
 
“rebolão”-
 
“refião”-
 
galanteador-
 
loquaz-
 
Pelintra-
 
“rascão”-
 
oportunista-
 
escudeiro-
 
pretensioso-
 
conquistador-
 
“gamo”-
 
cobarde-
 
leviano-
 
materialista-
 
ingénuo-
 
vítima-
 
crédulo
 AMA AMA AMA AMA
Enganava o marido antes do seuembarque para a Índia e continua a fazê-loapós a sua partida. Fingida e manhosa nãose coíbe de aceitar encontros com homensdiferentes em simultâneo, sem estes teremconhecimento um do outro. Conseguesatisfazer os seus desejos carnais com osvários homens que a procuram, mostrando-se hipocritamente, uma mulher recatadaque preza a sua reputação. Com o regressodo marido a sua hipocrisia torna-se aindamais refinada, atingindo o seu clímax aoafirmar o quanto chorou a sua partida, oquanto sofreu durante a sua ausência , oquanto sentiu a sua falta, passando todo otempo sozinha, chegando até a expressarciúme pelas aventuras amorosas que oMarido possa ter vivido em paragensremotas. A Ama aceita o marido mesmonuma situação de pobreza e, cinicamente,diz-lhe :
 
Paula Cruz Paula Cruz Paula Cruz Paula Cruz 
2«Pois que vós vivo viestes,que quero eu de maisriqueza?»Mas, «muito enfadada», pede aoMarido que a leve a ver a nauembandeirada em que viajou. As razões doseu enfado é que não nos são reveladasmas é fácil deduzir : o regresso inesperadodo Marido, que, para cúmulo vem pobre, econsequentemente, vem pôr um fim à suavida de prazer.Note-se a máscara que a Amacoloca durante toda esta representação quefaz perante o Marido, assumindo-se comoa esposa desolada que recuperou a alegria ae a tranquilidade com o regresso doesposo.Tal perfil contrasta totalmente como que se conhece da personagem, quer dosseus diálogos quer dos seus monólogosnos quais se dá a conhecer tal como é:rezou para que o Marido não voltasseadmitiu que lhe ia ser infiel, o que já nãoseria a primeira vez em ausências menosdemoradas.A Ama nunca admite, nuncareconhece aquilo que realmente pretende,excepto com a Moça: ludibria sem o dar aperceber e perante o Marido mostra querer-lhe muito, mandando até preparar-lhe umaboa recepção, com boa comida.Como tipo social a importância daAma reside no facto de representar asmulheres abandonadas pelos maridos quepartiam à aventura, na demanda de fama eriqueza, menosprezadas e trocadas por umaviagem, lhes eram infiéis. Para alémmulheres falsas, fingidas, manhosas queusavam os meios para alcançarem os seusfins, mas que, no fundo, eram fracas, semcapacidade para assumirem os seusverdadeiros sentimentos e desejos; são,pois, resultado dos condicionalismos dasua época. A Ama corporiza um dosaspectos negativos dos Descobrimentos,personifica uma crítica que os opositoresdeste empreendimento faziam -
oadultério
. Tal crítica encontra-seigualmente presente no episódio do
Velhodo Restelo
d’ Os Lusíadas, no qual estapersonagem censura os que partiam pelopreço elevado da viagem a que selançavam.
MoçaMoçaMoçaMoça
¸
 
duplicidade de funções:
¸
 
confidente da Ama
¸
 
espectadora privilegiada
¸
 
pivot
porque faz a ligação entre o interior e o exterior (casa / porto) e entre o que se passa emcena e o público, criando uma relação de cumplicidade.
¸
 
Ajuda à caracterização das outras personagens (função caracterizadora)
 
¸
 
Responsável pelos aparte que além de cómicos nos ajudam a caracterizar melhor os outrospersonagens. ( os seguintes versos
-“Quantas artes, quantas manhas / que sabe fazer minha Ama / umna rua, outro na cama” 
– caracterizam de forma exemplar o temperamento manhoso e licencioso deConstança, que consegue iludir simultaneamente três homens: o marido, o Lemos e o Castelhano).
 
¸
 
Responsável pelas informações temporais (é ela quem marca as acelerações do discurso,indicando a passagem do tempo)
 
 
Paula Cruz Paula Cruz Paula Cruz Paula Cruz 
3
 
CastelhanoCastelhanoCastelhanoCastelhano
É, tal como Lemos, o exemploconcreto da infidelidade conjugal da Ama econtribui para acentuar o carácter levianodesta.Aproveitando-se do estado de solidãoda Ama, o Castelhano surge em casa desta,dizendo-se enamorado por ela desde oprimeiro dia em que a viu, afirmando levar uma vida de sofrimento desde então, visto elater o poder de matá-lo. Considera-se umavítima, abandonado pela amada e até por Deus e chega mesmo a lamentar o facto deexistir.Com vista a impressionar a receptora,autocaracteriza-se como alguém singular, fortee valente, irascível, violento, vangloriando-sepor ser alvo do temor e respeito para os seusinimigos.No seu papel de amante e galanteador,critica os maridos que, tal como o da Ama,deixam as suas esposas sozinhas, alvejandofortunas.O Castelhano considera-se, então, umhomem sensível que não menospreza arelação conjugal, não a trocando por valoresmateriais. Aproveita para considerar estasituação como uma graça divina que destemodo propiciou o encontro entre os dois.Encontra-se aqui, implicitamente, uma críticaàs Descobertas.Note-se que a Ama não se senteimpressionada por tais palavras, o queenfurece o Castelhano.Leviana, a Ama marca para mais tardeum encontro com o Castelhano,independentemente do agrado que aspalavras que este proferiu lhe possam ter causado, o que o deixa bastante satisfeito.O Castelhano é uma personagem que, por representar os pretendentes das mulherescasadas e abandonadas, tem importânciacomo elemento caracterizador daprotagonista, a qual com falsidade, manha e jogo duplo acaba por vencer as fanfarronicesverbais do primeiro.
 
LEMOS LEMOS LEMOS LEMOS 
Tal como as restantes personagensmasculinas nesta peça, Lemos ocupa um1ugar secundário. Com uma participaçãomodesta, está ao serviço da caracterização daAma, visto ser o exemplo concreto, tal como oCastelhano, do seu adultério. Personagem jáconhecida das duas mulheres é, no entender da Moça, um desgraçado, um miserável semdinheiro.A Moça sugere a compra de algunsalimentos, partindo do pressuposto que Lemosos pagará, mas este opõe-se, apresentandodefeitos, propondo em alternativa a compra deoutros mais baratos e entregando-lhe muitopouco dinheiro. Oportunista, aproveita aausência do Marido para cortejar a Ama e atéaceitar algumas refeições, é galanteador efanfarrão, o que contrasta com os seus parcosrecursos.Lemos simboliza o caso típico do escudeiropobre, mas pretensioso, que tenta valer-sedas suas palavras e estatuto aparente paraencobrir a precariedade da sua vida social emonetária.
 

Activity (31)

You've already reviewed this. Edit your review.
Joca Pereira liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Ines Gaivoto liked this
gloriamaia liked this
Rosemary Granja liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->