Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
48Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A crucificação de Jesus

A crucificação de Jesus

Ratings:

5.0

(5)
|Views: 25,395 |Likes:
Published by Erasmo Nascimento

More info:

Published by: Erasmo Nascimento on Jan 13, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/28/2013

pdf

text

original

 
 A crucificação de JesusEntre os fatos narrados na bíblia, nenhum tem maior valor diante de Deus epara os homens que a crucificação de Jesus. Este desígnio divino começou aser anunciado em Gen. 3.15: "E porei inimizade entre ti e a mulher e entre atua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás ocalcanhar". Este texto fala da crucificação e derrota de satanás. No decorrer dotempo bíblico, Deus sempre acenou para o sacrifício do calvário: Abraãocolocando Isaque para ser imolado, Moisés e a serpente de bronze fixada emuma haste no deserto, a narrativa de Isaias 53, e em muitas outras ocasiões. Omotivo de tantas tipificações se deve ao fato de que a libertação da nossanatureza de pecado, só é possível quando cremos no sacrifício verdadeiro,manifestado graciosamente na morte do Cordeiro de Deus, por isso, Paulolança este brado de vitória diante do inimigo: "Onde está, ó morte, o teuaguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória".II Cor 15.55.Cruz: o caminho percorrido por Jesus no cumprimento da sua missão.Jesus foi enviado por Deus para promover a restauração do homem marcadopelo pecado e incapaz de libertar-se. O Filho de Deus assumiu a forma dehomem: "Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-sesemelhante aos homens", Fil. 2:7. Contrariando aqueles que esperavam umlibertador político, Jesus tomou o caminho da cruz; caminho de afronta,perseguição e escândalo.O significado da cruz no mundo romano.A crucificação era uma punição reservada a escravos rebeldes e aos que seopunham ao domínio romano. As torturas que os condenados sofriam eramenormes. Eram desnudados, flagelados, ofendidos e carregavam a própriacruz. Ficavam suspensos a dois ou três metros do chão. Alguns agonizavamvários dias.Para os gregos, seus deuses estavam sempre no poder. Para eles erainimaginável um Salvador crucificado em face da desonra que a cruz implicava.Jesus foi levado à crucificação, por ter tomado atitudes entendidas comocontrárias à autoridade reinante. Segundo o escritor Mackenzie, Jesus foicrucificado em uma cruz inmissa (cruz com duas madeiras cruzadas na partesuperior) devido à inscrição colocada acima de sua cabeça.Contexto e ambiente da Palestina nos tempos de Jesus.Os romanos tomaram a Palestina no ano 64 A.C. Como era costume,nomearam um governante nativo, e o escolhido foi Herodes o Grande. Jesusnasceu durante seu governo. A dominação romana era humilhante para os judeus. Pagava-se pesados tributos e havia grande revolta. Em razão das altas
 
taxas de impostos, as dívidas se acumulavam, havendo escravos que por nãoconseguirem pagar suas dívidas, vendiam mulher e filhos para quitá-las. Nãobastasse a miséria, mendicância e prostituição existentes, também sofriamdiante dos escribas e fariseus, pois, julgavam ser a pobreza, uma maldiçãodivina. Jesus, entretanto, declarou: "O filho do homem não tem onde recostar acabeça", Lucas, p.58. Esta situação faz parte da completa identificação deJesus com o homem.Quanto à religiosidade: havia vários movimentos.Os fariseus: se consideravam separados e santos. Apegados à tradição e à lei,criam que o seu cumprimento lhes davam recompensas no reino de Deus.Os Essênios: buscavam a perfeição e viviam separados nos acampamentos dodeserto.Usavam a Lei e esperavam o Messias que os libertassem.Os Saduceus: preservavam as mais antigas tradições judaicas e prestavamserviços aos romanos, em troca de vantagens. Criam não haver vida após amorte, portanto, buscavam a felicidade neste mundo. Sendo sacerdotes, eramresponsáveis pela administração do templo.O templo de Jerusalém ocupava cerca de vinte mil funcionários os quaisexerciam funções religiosas, administrativas, educacionais e jurídicas. Asnormas estabelecidas para o julgamento de pessoas consideradas impuraseram extremamente rígidas. O perdão divino nunca estava ao alcance dospobres; somente os abastados podiam obtê-lo, pois, as taxas de tributaçãoeram altas para que os funcionários e as elites sacerdotais pudessem ser mantidas. Esta situação sócio-politica e religiosa ensejou o aparecimento demovimentos libertários, como os Zelotes (o qual tinha Pedro como participante)e os Sicários, identificados como bandidos pelos romanos.Significados teológicos da cruz de CristoA ênfase Paulina sobre a importância da cruz evidencia seu desejo de revelar que a morte de Jesus foi decisiva para a salvação do homem. Paulo combatiaos falsos obreiros com a mensagem da cruz: "Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão", Fil.3.2. Eles nãoaceitavam um messias condenado à cruz. Leonardo Boff declara que os judeusnão criam que o texto de Isaias 53 é o relato da morte do Messias. Imaginavamque a referência era ao exílio de Israel. A cruz era tanto para o judeu como parao romano, fracasso e escândalo, mas, na verdade ela significa: reconciliação."E, pela cruz, reconcilia ambos com Deus em um corpo, matando com ele asinimizades". Ef. 2.16, paz: "E que, havendo feito por ele a paz pelo sangue dasua cruz... Cl. 1.20, abolição da condenação:"Portanto, agora, nenhumacondenação há para os que estão em Cristo Jesus". Rom 8.1. A cruz é símbolode auto-esvaziamento e dependência do Espírito Santo.Para nos salvar, Jesus passou pela Kénose, esvaziando-se da suahumanidade, para assim, se contrapor ao desejo de vanglória, como oexistente na comunidade de Felipos.(Fil.2.3 e 4) e também assumiu a condição
 
de homem, porém, diferente de Adão que quis ser como Deus. Aqui vemosmais uma demonstração de antagonismo de Jesus em relação ao homemnatural. Hoje, os homens buscam obter as condições que lhes permitam viver no melhor de suas potencialidades, objetivando serem senhores de seus atos,na procura incessante da glória e do reconhecimento público. De outro modo, onosso Senhor Divino buscou o esvaziamento voluntário de sua condição deDeus para alcançar o homem em sua miséria. Enquanto Adão pretendeu ser Deus, Jesus deixou a condição de Deus para alcançar o homem, tomando ocaminho da cruz. A condição do homem sem Deus é de arrogância e precisaser esvaziado de sua glória, de seus preconceitos, idéias próprias e assim, ser revestido de vida vinda do Senhor Jesus.Para iniciar seu ministério, Jesus foi revestido de autoridade pelo espíritoSanto: "O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados de coração", Lc. 4.18. O seuministério, portando, foi realizado na condição de dependente do EspíritoSanto. Renunciou seus poderes divinos para compartilhar plenamente dacondição humana. Ao contrário dos Saduceus que perseguiam o poder, Jesusabdicou de tudo para se identificar com o homem e viver na dependência doEspírito santo. O caminho da cruz caracteriza-se pela dependência total eabsoluta da capacidade que procede de Deus.Cruz: identificação com marginalizados e oprimidos.Em Fil 2.7b encontramos a expressão: "forma de escravo". Ao assumir estaforma Jesus se identifica com os miseráveis daquela época. Deixando aposição de senhor (Kyrios) para ser escravo (doulos). A melhor tradução éescravo e não servo, como se observa em algumas versões.A crucificação eradenominada dento do império romano, como servile supplicium, ou seja,suplício infringido ao escravo. A crucificação foi o preço pago por Jesus aoassumir a função de escravo, servidor da coletividade.Jesus começa a palmilhar o caminho da cruz desde o seu nascimento, dandoatenção às pessoas que viviam à margem da sociedade, excluídas a exemplode Raabe. A maior parte do ministério de Jesus se deu na galiléia, uma regiãodesprezada, demonstrando seu amor aos rejeitados: "E Jesus tendo ouvidoisso, disse-lhes: os sãos não precisam de médicos, mas sim os que estãodoentes; eu não vim chamar justos, mas sim os pecadores", Mc 2.17.O Senhor Jesus no caminho da cruz experimentou isolamento, perseguição,incompreensão e difamação. Solidarizou-se com os fracos, marginalizados,oprimidos, doentes, famintos, perdidos e pecadores, e o mais terrível:experimenta a plena realidade do homem distante de Deus: "Deus meu, Deusmeu, por que me desamparaste?" Mar. 15.34. Aquele que crê na sua morte eressurreição juntamente com Cristo, vai também passar pelo isolamento dosamigos e parentes e sofrer incompreensão. Será difamado por sua fé, pois, aonegar a si mesmo e tomar o caminho da cruz, dia a dia, terá somente noSenhor o descanso durante a caminhada neste mundo.Cruz: obediência incondicional á vontade do Pai.

Activity (48)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Que Deus possa sempre vos capacitar dando a verdadeira sabedoria dos altos céus !!!!
Antonio Onofre added this note
BOM TRABALHO
Fabio Ribeiro Silva added this note
shou maravilhoso estudo................
Vanessa Bohrer liked this
Jose Goncalves added this note
bom texto para feflexão.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->