Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Cronica Guerra Eterna

Cronica Guerra Eterna

Ratings: (0)|Views: 3 |Likes:
Published by Flavio Conrado
Uploaded from Google Docs
Uploaded from Google Docs

More info:

Published by: Flavio Conrado on Aug 08, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/29/2012

pdf

text

original

 
Crônica de uma guerra eterna:
Palestina
1917
Depois da queda do Império Otomano durante a Primeira Guerra Mundial, a zona passa para ocontrole britânico cujo governo favorece a chegada de judeus sionistas na região, aos quais haviaprometido a criação de um estado judeu em troca de apoio econômico na guerra. Enquanto aosárabes lhes promete um grande estado muçulmano se se rebelassem contra os turcos.
1933
Começa a perseguição nazista aos judeus. O ritmo da imigração judaica aumentaexponencialmente.
1937
Diferentes relatórios analisam a situação criada pela chegada massiva de imigrantes àPalestina. Conclusões: dois povos com forte sentimento nacionalista que lhes impedem de conviver;propõe-se o fim do mandato britânico e a criação de dois estados.
1939
Conflito entre judeus e palestinos. A Grã-Bretanha proíbe a imigração (Livro Branco). Ossionistas começam uma campanha de atentados contra palestinos e britânicos.
1939-45
 –
II Guerra Mundial
Os judeus se organizam e criam seu próprio parlamento eadministração, dando lugar a um estado dentro do estado. Contam com o apoio da Haganat (atualexército israelense).
1945
Depois da visão do Holocausto judeu perpetrado pelos nazistas, a opinião pública internacionalse torna bastante favorável à criação de um estado judeu. A Haganat organiza a imigração judaica doscampos de refugiados na Europa.
1947
Relatórios anglo-americanos sugerem passar o mandato da Grã-Bretanha aos Estados Unidos.Onda de atentados tanto de judeus como de palestinos. A ONU se envolve: plano de partição em doisestados.
 
29 novembro de 1947
O plano de partição em dois estados com Jerusalém sob controleinternacional é votado por 33 votos a favor e 13 contra. Os judeus com 54% da terra aceitam o plano.Os palestinos e os países árabes o recusam. Enfrentamento entre judeus e palestinos.
1948
 
Um dia antes do fim do mandato britânico, os judeus proclamam unilateralmente o estado deIsrael. A liga árabe ataca Israel.
1949
 
Firma-se a paz pela pressão das potências internacionais. Israel obtem 78% do território.Generaliza-se a imigração de judeus de todo o mundo (mais de 650 mil), enquanto que mais de 1milhão e 500 mil palestinos se convertem em refugiados.
1956
O Egito nacionaliza o Canal de Suez (empresa britânica). França, Grã-Bretanha e Israel entramem guerra contra o Egito. A pressão soviética e americana na ONU faz com que os europeus se retireme entreguem à ONU o controle da Península do Sinai. Nasce o Al-Fatah, liderado por Yasser Arafat,movimento pela libertação da Palestina.
1957-67
Os Capacetes Azuis patrulham as fronteiras do Egito e Israel. Israel se converte em umpoderoso estado militarista.
1964
O Al-Fatah cria a OLP (Organização pela Libertação da Palestina) que aglutina as diferentesforças com o objetivo da criação de um estado palestino. Defende a luta armada como método e nãoaceita o estado de Israel. A OLP fustigará com táticas guerrilheiras as fronteiras de ISrael a partir dospaíses fronteiriços.
1967
 –
Guerra dos seis dias
O Egito remilitariza a Península do Sinai. Israel lança um ataquepreventivo e passa a controlar a Faixa de Gaza, Jerusalém Oriental, Cisjordânia e as Colinas de Golã.Resolução 242 da ONU que reclama a devolução dos territórios ocupados por Israel e a aceitação doestado hebreu pelos países árabes. Ambos os lados a recusam. Nos anos seguintes a situação dospalestinos sob controle militar israelense é cada vez pior. Os Estados Unidos são o aliado de Israel,enquanto que a URSS apóia os estados árabes. A OLP se radicaliza.
1970
 –
Setembro negro
A radicalização da OLP leva-os a querer ser a primeira força militar naJordânia ao que o rei Hussein responde atavando os campos de refugiados palestinos.
1973
 –
Guerra de Yom Kippur
O Egito ocupa a margem do Canal de Suez contralada por Israel,enquanto a Síria ataca as posições que Israel havia ocupado em 1967. Neste novo conflito os paísesárabes usam o petróleo como arma política, envolvendo o mundo inteiro no conflito.
1977
 –
Acordos de Camp David
O Egito (que não tem petróleo) firma unilateralmente a paz comIsrael e começam a ter relações diplomáticas. Israel retira suas tropas do Sinai e se compromete a dar certa autonomia aos palestinos em Gaza.
1982
 –
Massacre de Sabra e Chatila
As milícias libanesas falangistas (católicos maronitas),treinadas e dirigidas por Israel (Ariel Sharon dirige a operação) assassinam, violam e esquartejam maisde 3 mil pessoas nos campos de refugiados de Shabra e Chatila no sul do Líbano.
1987
 –
Primeira Intifada
A população civil palestina de Gaza e Cisjordânia se subleva para chamar aatenção internacional. Principalmente crianças armadas com paus e pedras enfrentam o exércitoisraelense. A resposta do exército hebreu deixou mais de um milhão de vítimas.
Anos 1990
 –
Acordos de Madri e Oslo
Como resultado da Primeira Intifada, são convocadas asprimeiras negociaçãoes em Madri, onde a OLP reconheceria o estado de Israel em troca da retirada doexército hebreu e a criação de um estado palestino. Israel concede o contrloe à OLP sobre 20% doterritório enquanto que Israel mantem controle sobre os assentamentos judeus em território palestino

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->