Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword or section
Like this
33Activity
×
P. 1
Questões-PDF-CESP

Questões-PDF-CESP

Ratings: (0)|Views: 11,922|Likes:
Published by Daniele Huarachi

More info:

Published by: Daniele Huarachi on Aug 26, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

08/04/2013

pdf

text

original

 
RETA FINAL
-
POLÍCIA FEDERAL 2012
 
Autor:
Professor Alison Rocha
 
www.beabadoconcurso.com.br
 
todos os direitos reservados
 
1
 
QUESTÕES DE PROVAS DO CESPE/UnB - AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL 2012
SÃO+DE360QUESTÕES SEPARADAS POR ASSUNTOS
DIREITO PENAL: PARTE GERAL e ESPECIAL
APLICABILIDADE DA LEI PENAL1
As principais garantias constitucionais de caráter não-penal estão consubstanciadas, precipuamente,segundo a doutrina tradicional, nas garantias da inexistência de crime sem lei anterior que o defina(anterioridade), bem como na inexistência de pena sem prévia cominação legal (legalidade ou tipicidadepenal).
2
O princípio da legalidade veda o uso da
analogia in malam partem
, e a criação de crimes e penas peloscostumes.
3
O princípio da legalidade, que é desdobrado nos princípios da reserva legal e da anterioridade, não seaplica às medidas de segurança, que não possuem natureza de pena, pois a parte geral do Código Penalapenas se refere aos crimes e contravenções penais.
4
Segundo o princípio da reserva legal, apenas a lei em sentido formal pode criar tipos penais. Dessamaneira, a norma penal em branco, que exige complementação de outras fontes normativas, fere omencionado princípio e, consequentemente, é inconstitucional.
5
O princípio da estrita legalidade ou da reserva legal e o da irretroatividade da lei penal controlam oexercício do direito estatal de punir, ao afirmarem que não há crime sem lei anterior que o defina, nempena sem prévia cominação legal.
6
As normas processuais têm aplicação imediata, ainda que o fato que deu origem ao processo sejaanterior à entrada em vigor dessas normas.
7
Considere que um indivíduo seja preso pela prática de determinado crime e, já na fase da execuçãopenal, uma nova lei torne mais branda a pena para aquele delito. Nessa situação, o indivíduo cumprirá apena imposta na legislação anterior, em face do princípio da irretroatividade da lei penal.
8
Quando lei nova que muda a natureza da pena, cominando pena pecuniária para o mesmo fato que, navigência da lei anterior, era punido por meio de pena de detenção, não se aplica o princípio daretroatividade da lei mais benigna.
9
Considere a seguinte situação hipotética. Um indivíduo respondia a processo judicial por ter sido presoem flagrante delito, quando transportava em seu veículo, caixas contendo cloreto de etila (lança-perfume).Posteriormente à sua prisão, ato normativo retirou a referida substância do rol dos entorpecentes ou dosque causam dependência física ou psíquica. Nessa situação, em face da
abolitio criminis
, extinguiu-se apunibilidade.
 
RETA FINAL - POLÍCIA FEDERAL 2012
 
Autor:
Professor Alison Rocha
 
www.beabadoconcurso.com.br
 
todos os direitos reservados
 
2
 
10
Ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime, cessando em virtudedela a execução e os efeitos penais e civis da sentença condenatória.
11
Roberval foi definitivamente condenado pela prática de crime punido com reclusão de um a três anos.Após o cumprimento de metade da pena a ele aplicada, adveio nova lei, que passou a punir o crime por elepraticado com detenção de dois a quatro anos. Nessa situação, a lei nova não se aplicará a Roberval, tendoem vista que sua condenação já havia transitado em julgado.
12
O dispositivo constitucional que estabelece que a lei não retroagirá, salvo para beneficiar o réu, aplica-se à lei penal e à lei processual penal.
13
Considere a seguinte situação hipotética. Bira, auxiliado por Giovane, sequestrou sua própria vizinha.Ocorreu que, em virtude de a família da vítima se negar a pagar o resgate, passaram-se mais de 15 diasdesde o início do cativeiro. Nesse termo, ou seja, durante o período em que a vítima esteve sob a custódiados réus, foi publicada lei nova (com vigência e eficácia imediata), aumentando a pena do crime emquestão. Nessa situação, de acordo com a posição sumulada do STF, não será aplicada a lei nova emvirtude da obrigatória aplicação da lei mais benéfica.
14
Com relação ao lugar em que o crime é considerado praticado, a lei penal brasileira adotouexpressamente a teoria da atividade, desprezando a teoria da ubiquidade.
15
Considera-se praticado o crime no momento da produção do resultado.
16
Quanto ao momento em que o crime é considerado praticado, a lei penal brasileira adotouexpressamente a teoria da ubiquidade, desprezando a teoria da atividade.
17
Em relação ao tempo do crime, o Código Penal brasileiro adotou, em regra, a teoria do resultado.
18
Considere a seguinte situação hipotética. Entrou em vigor, no dia 1.º/1/2008, lei temporária quevigoraria até o dia 1.º/2/2008, na qual se preceituou que o aborto, em qualquer de suas modalidades,nesse período, não seria crime.
19
As leis penais excepcional e temporária são ultrativas, pois se aplicam a fatos ocorridos antes e duranteas respectivas vigências.
20
A lei excepcional ou temporária, embora tenha decorrido o período de sua duração ou cessadas ascircunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato praticado durante a sua vigência.
21
A lei temporária, após decorrido o período de sua duração, não se aplica mais nem aos fatos praticadosdurante sua vigência nem aos posteriores.
22
De acordo com a lei penal brasileira, o território nacional estende-se a aeronaves e embarcaçõesbrasileiras, mercantes ou de propriedade privada, onde quer que se encontrem.
23
Se, no interior de uma embarcação não-mercante brasileira que esteja navegando em alto-mar, umcidadão russo praticar lesão corporal em um dos tripulantes, aplicar-se-á, obrigatoriamente, à hipótese, alei penal brasileira, em face do princípio da territorialidade.
 
RETA FINAL - POLÍCIA FEDERAL 2012
 
Autor:
Professor Alison Rocha
 
www.beabadoconcurso.com.br
 
todos os direitos reservados
 
3
 
24
Aplica-se a lei penal brasileira a crimes praticados contra a vida ou a liberdade do presidente daRepública, mesmo que o crime tenha ocorrido em outro país.
25
Ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes contra a vida do presidenteda República, exceto se o agente tiver sido condenado no estrangeiro.
26
O princípio básico que norteia a aplicação da lei penal brasileira é o da territorialidade temperada.
27
Ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes de genocídio praticados porbrasileiros natos, mas não os praticados por estrangeiros, ainda que residentes no Brasil.
28
Em alto-mar, a bordo de uma embarcação de recreio que ostentava a bandeira do Brasil, Júlio praticouum crime de latrocínio contra Lauro. Nessa situação, aplicar-se-á a lei penal brasileira.
29
Os crimes cometidos no exterior por agente estrangeiro contra o patrimônio de sociedade de economiamista instituída pelo poder público federal brasileiro não se sujeitam à lei brasileira.
30
Um cidadão sueco tentou matar o presidente do Brasil, que se encontrava em visita oficial à Suécia.Nessa hipótese, o crime praticado não ficará sujeito à lei brasileira.
31
Laura, funcionária pública a serviço do Brasil na Inglaterra, cometeu, naquele país, crime de peculato.Nessa situação, o crime praticado por Laura ficará sujeito à lei brasileira, em face do princípio daextraterritorialidade.
32
De acordo com a lei penal brasileira, o território nacional estende-se a embarcações e aeronavesbrasileiras de natureza pública ou a serviço do governo brasileiro, onde quer que se encontrem.
33
Caso um cidadão alemão, dentro de uma embarcação da Marinha Mercante Brasileira, ancorada emporto holandês (local onde, em tese, não se pune o aborto), contribua para que sua esposa, francesa,pratique o abortamento, o território brasileiro não será considerado local de ocorrência da conduta, pois onavio estava ancorado em águas estrangeiras.
34
É aplicado o princípio real ou o princípio da proteção aos crimes praticados em país estrangeiro contra aadministração pública por quem estiver a seu serviço. A lei brasileira, no entanto, deixará de ser aplicadaquando o agente for absolvido ou condenado no exterior.
35
Em águas territoriais do Brasil, abordo de um navio mercante que ostentava a bandeira da Argentina,um brasileiro praticou um homicídio contra um argentino, ambos tripulantes da embarcação. Nessasituação, aplicar-se-á a lei penal argentina.
36
Considere a seguinte situação hipotética. Peter, de nacionalidade norte-americana, desferiu cinco tirosem direção a John, também norte-americano, matando-o. O crime aconteceu no interior de umaembarcação estrangeira de propriedade privada em mar territorial do Brasil. Nessa situação, não se aplicaa lei brasileira ao crime praticado por Peter.
37
Aplica-se a lei penal brasileira aos crimes praticados a bordo de aeronaves ou embarcações estrangeirasde propriedade privada que estejam em território nacional.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->