Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
9Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
HABERMAS, Jurgen. Entre Naturalismo e Religião

HABERMAS, Jurgen. Entre Naturalismo e Religião

Ratings: (0)|Views: 1,266 |Likes:
Published by Milton Bortoleto
Livro Entre naturalismo e religião completo
Livro Entre naturalismo e religião completo

More info:

Published by: Milton Bortoleto on Sep 12, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/05/2013

pdf

text

original

 
DEDALUS
- Acervo -
FFLCH-HI
21200052008
C1P-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTESINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS. RJH119e Habermas,
Jürgen
1929-Entre naturalismo
e
religião: estudos
filosóficos
/
Jügen
Habermas; (tradução
Fávio
Beno Siebeneichler). - Riode Janeiro: Tempo Brasileiro, 2007.400 p.; - (Biblioteca
Coégo
do Brasil; 14)Tradução de
Zwischen Naturalismus und Religion.Philosophische Aufsatze.
ISBN 978-85-282-0141-31.
Metafísica
2. Religião - Filosofia. 3. Naturalismo.
4.
Tolerância
religiosa.
5.
Solidariedade.
I.
Ttulo.
II.
Série
07-1889CDD 110CDU 11
JÜRGEN
HABERMAS
ENTRE NATURALISMO E RELIGIÃO.ESTUDOS
FILOSÓFICOS
SBD-FFLCH-USP
325428Tempo Brasileiro
 
BIBLIOTECA
COLÉGO
DO BRASIL
-
li
DiretorEDUARDO PORTELLAProfessor daUniversidade Federal do Rio de JaneiroTraduzido do original alemão
Jürgen
Habermas.
Zwischen Naturalismus und Religion.Philosophische Aufsatze
© Copyright
SUHRKAMP VERLAG
Frankfurt am Main, 2005(Todos os direitos reservados)Tradução
FLÁVIO
BENO SIEBENEICHLER
Capa e Diagramação
JUNIA CAMARINHA DA SILVA
Direitos reservados aEDIÇÕES TEMPO BRASILEIRO LTDA.Rua Gago Coutinho, 61
-
Laranjeiras
CEP:
22221-070
-
CP 16.099Telefax: (21) 2205-5949Rio de Janeiro
-
RJ
-
Brasile-mail:tb@tempobrasileiro.com.br 2007
SUMÁRO
Introdução
7
I. A constituição intersubjetiva do
espírito
que se guiapor normas
15
1.
Espaço
público
e esfera
pública
política.
Razes
biográficas
de dois motivos de pensamento
15
2.
Agir comunicativo e razão destranscendentalizada
31
3.
Sobre a
arquitetônica
da diferenciação do discurso.Pequena
réplica
a uma grande
controvérsia
91
II.
Pluralismo religioso e solidariedade de cidadãos doEstado
115
4.
Bases
pré-políticas
do Estado de direito
democráico
..115
5.
Religião na esfera
pública.
Pressuposições cognitivaspara o "uso
público
da razão" de cidadãos seculares ereligiosos
129
III.
Naturalismo e religião
169
6. Liberdade e determinismo
169
7. "Eu mesmo sou um bocado de natureza"
-
Adornosobre o
enaçameno
entre razão e natureza.Considerações sobre a relação entre liberdade eindisponibilidade
203
8. A fronteira entre fé e saber. Sobre o alcance e a
importância
histórica
da filosofia da religião, de Kant
235
 
IV.
Tolerância
279
9. A
tolerância
religiosa como precursora de direitosculturais
279
10.
Direitos culturais iguais
-
e os limites do liberalismo
s-moderno
301
11.
Uma constituição
política
para a sociedade mundialpluralista?
348
Sobre os
captuos
deste livro
393
Registro de nomes
395
INTRODUÇÃODuas tendências
conrárias
caracterizam a situação culturalda
época
atual
-
a proliferação de imagens de mundo naturalistase a influência
política
crescente das ortodoxias religiosas.De um lado, dominam a cena os progressos na
área
da
bogenéica
nas pesquisas sobre o
cérebro
e na
robótica,
que sãoimpulsionados por
esperanças
terapêuticas e eugênicas. O conjuntodesses programas se destina à propalação, nos
próprios
contextosda ação e da comunicação, de uma autocompreensão objetivadadas pessoas nos moldes das ciências naturais. O adestramento numaperspectiva de auto-objetivação capaz de reduzir tudo o que é viven-
ciável
e compreenve a
algo
observáve
poderia estimular,outrossim, a disposição a uma correspondente auto-instrumen-talização.' A luz da filosofia, é
possíve
afirmar que tal tendênciavem associada ao desafio de um naturalismo cientificista. O quese discute não é o fato de que todas as operações do
espírito
humanodependem de um substrato
orgânico.
Já
que
o
motivo da
controvérsia
tem a ver, antes, com o modo correto de naturalizaçãodo
espírito.
Uma compreensão naturalista adequada da evoluçãocultural tem de fazer
jus,
não somente à constituição intersubjetivado
espírito,
mas
também
ao
caer
normativo de suas operaçõesorientadas por regras.
1
Cf. HABERMAS, J.
Die Zukunft dermenschlichen Nalur.
Ed. ampliada, Frankfurt/M.: Suhrkamp, 2002.
7

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->