Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
0Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
09_Uma Nova Ordem de Coisas 3p

09_Uma Nova Ordem de Coisas 3p

Ratings: (0)|Views: 21|Likes:
Published by RomualdoDiego

More info:

categoriesTypes, Speeches
Published by: RomualdoDiego on Sep 20, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

09/20/2012

pdf

text

original

 
www.escatologia.com.br 
 
escatologia@escatologia.com.br 156
ESTUDOS EM ESCATOLOGIA BÍBLICA
 
E ESPÍRITO DE PROFECIA
 
 
UMA NOVA ORDEM DE COISAS
Parte 3Como Purificar a Igreja para
 
os Acontecimentos Finais
“O tempo presente é de dominante interesse para todo o vivente.Governadores e estadistas, homens que ocupam posições de confiança e autoridade,homens e mulheres pensantes de todas as classes, têm sua atenção posta nosacontecimentos que tomam lugar ao nosso redor.
Estão observando as relaçõesque existem entre as nações
. Eles examinam a intensidade que está tomando possede cada elemento terreno, e reconhecem que algo grande e decisivo está paraacontecer que o mundo está no limiar de uma crise estupenda. PR, 537“As calamidades em terra e mar, as condições sociais agitadas, os rumoresde guerra, são portentosos. Prenunciam a proximidade de acontecimentos da maior importância.
As forças do mal estão-se arregimentando e consolidando-se
. Elasse estão robustecendo para a última crise.
Grandes mudanças estão prestes aoperar-se no mundo, e os acontecimentos finais serão rápidos
. 3 TS, 280
 
Tempos Turbulentos que Ocorrerão em Breve
“O tempo de angústia, que há de aumentar até o fim, está muito próximo.
ão temos tempo a perder
. O mundo está agitado com o espírito de guerra. As profecias do capítulo onze de Daniel quase atingiram o seu cumprimento.”Review and Herald, 24 de novembro de 1904
 
www.escatologia.com.br 
 
escatologia@escatologia.com.br 157
“O tempo de angústia – angústia qual nunca houve, desde que houve nação[Daniel 12:1] – está precisamente sobre nós, e somos semelhantes às virgensadormecidas. Devemos acordar e pedir que o Senhor Jesus ponha debaixo de nós osSeus braços eternos e nos conduza durante o tempo de provações à nossa frente.”3 MR, 305 (1906)“O mundo está-se tornando cada vez mais iníquo. Em breve surgirá grande perturbação entre as nações – perturbação que não cessará até que Jesus venha.”Review and Herald, 11 de fevereiro de 1904“Estamos mesmo no limiar do tempo de angústia, e acham-se diante de nós perplexidades com que dificilmente sonhamos.” 3 TS, 306“Estamos no limiar da crise dos séculos. Em rápida sucessão os juízos deDeus se seguirão uns aos outros – fogo, inundações e terremotos, com guerras ederramamento de sangue.” PR, 278“Há perante nós tempos tempestuosos, mas não pronunciemos uma só palavra de incredulidade ou desânimo.” SC, 136“Uma grande crise aguarda ao povo de Deus. Uma crise aguarda ao mundo.A mais momentosa luta de todos os séculos está justamente à nossa frente. ...Masestaremos prontos para o acontecimento? Temo-nos desincumbido fielmente dodever que Deus nos confiou, de dar ao povo a advertência quanto ao perigo que têm pela frente? ...Se Deus nos proporcionou luz que mostra os perigos à nossa frente,como poderemos subsistir perante Ele se negligenciarmos de envidar todos osesforços que pudermos para apresentá-la ao povo? Poderemos contentar-nos comdeixá-los a ir ao encontro desse acontecimento momentoso sem os advertir? ...Nóscomo um povo não temos cumprido a obra que Deus nos confiou. Não estamos preparados para o desfecho ao qual nos levará a imposição da lei dominical. Énosso dever, ao vermos os sinais do perigo que se aproxima, despertar-nos para aação. ...O povo deve ser despertado em relação aos perigos do tempo presente. Osatalaias estão adormecidos. ...Deus nos convida a despertarmo-nos, pois está pertoo fim.” 2 TS, 318-323“Devemos estudar os grandes sinaleiros da estrada que indicam os temposem que vivemos.” Nossa Alta Vocação, 338“Demorai-vos perante Ele em humildade de coração. Orai com o máximofervor por compreensão dos tempos em que vivemos, por mais plena concepção deSeu desígnio”... 2 ME, 400“À medida que nos aproximamos do termo da história deste mundo, as profecias referentes aos últimos dias exigem nosso estudo especial.” PJ, 133
 
www.escatologia.com.br 
 
escatologia@escatologia.com.br 158
 
COFLITO E DIÁLOGO:
O Pr. Marcos Shultz, presidente da Associação Mineira Central da IASD redigeartigos valiosos, publicados esporadicamente em edições do importante diário brasileiro
O Estado de Minas
. Discutindo o tema da tolerância no confrontoideológico religioso em excelente artigo recentemente publicado, ele trata dorelacionamento ideal entre pessoas de diferentes convicções religiosas no mundo láfora. Enquanto isso, noutro excelente material para reflexão e estudo, John McLarty,editor de
 Adventist Today
, fala de ideal semelhante no seio da nossa própriacomunidade de fé. São dois artigos que vale a pena ler e manter em arquivo, abaixoreproduzidos para ambos propósitos.
 
PLURALISMO RELIGIOSO
“. . . Se tu diferes de mim, em vez de me prejudicar, tu me enriqueces. . .”
Marcos Osmar Schultz*
A morte do bispo católico John Joseph com um tiro na cabeça diante de umtribunal islâmico no Paquistão comprova que mesmo na era da globalização,diferenças religiosas, étnicas ou políticas ainda conseguem atear paixões. Seu protesto extremado evitou que o jovem cristão Ayoud Masih, acusado de blasfêmiacontra Maomé, fosse condenado à morte e impôs aos intérpretes do Corão e aomundo a reflexão sobre a liberdade em uma sociedade pluralista. No século que chega ao fim, a humanidade experimentou mudanças profundas. Entre elas a quebra da mentalidade excludente, monolítica. Omonolitismo ideológico e social foi superado pelo pluralismo e suas implicações práticas em todos os campos, inclusive o religioso.A consciência da unidade da humanidade passou a exigir o diálogo dediferentes identidades que se enriquecem mutuamente. A passagem do monolitismo para o pluralismo despertou atitudes de tolerância, respeito e diálogo entre pessoasde convicções diferentes que podem divergir sem, contudo, dominar a consciência.Legislação opressiva, posturas arbitrárias e intolerantes têm tentado, ao longodas eras, reger a consciência pelo medo e pela força. A desconsideração do direitoque têm as pessoas de dispor do seu destino sem pressões, história afora, vem promovendo registros de constrangimentos pela crueldade, de violações dosdireitos humanos, de torturas físicas e até mortes, além da aplicação do rótulo derebeldes, hereges e malditos aos que pensam ou crêem diferentemente.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->