Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
lendasemito_sMariadosocorro

lendasemito_sMariadosocorro

Ratings: (0)|Views: 0|Likes:
Published by diegoramy
IFNOPAP
IFNOPAP

More info:

Categories:Types, Research
Published by: diegoramy on Sep 23, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/23/2012

pdf

text

original

 
Revista Litteris LiteraturaJulho de 2010Número 5Revista Litteris ISSN 1983 7429www.revistaliteris.com.br  
LENDAS E MITOS DA AMAZÔNIA
 Maria do Socorro (UFPA)
1
 
Resumo: Os mitos/relatados, que fazem parte do acervo do Projeto: “Oimaginário nas formas narrativas orais populares da Amazônia paraense” são a verdadeira
expressão da multiplicidade do viver amazônico, envolvendo as emoções, os sonhos, osdevaneios, as aspirações, ideais, realizações e frustrações, encantos e desencantos... enfim,toda vida e utopia de um homem dividido entre a selva e as águas desta vasta planície. Otrabalho propõe-se a fazer uma leitura sobre alguns mitos amazônicos, a partir da visão de
Leminski (1994), que considera o mito como a “ palavra fundadora, a fábula matriz, aestrutura primordial, leitura analógica do mundo e da vida”
 Palavras-chave: Narrativa, Amazônia, Cultura, OralidadeKey-words: Narrative, Amazonia, Culture, Oralidade.A proposta de recolha e reflexão sobre lendas e mitos da Amazônia iniciouem 1994, sendo que o percurso trilhado, assegurado por pesquisadores, professores, bolsistase profissionais de diversas áreas do conhecimento, levou ao patamar em que hoje seencontra, ou seja, uma proposta institucionalizada, com o formato de Campus Flutuante.Mas, para bem se entender os caminhos percorridos pelo projeto, vale a pena reconstituirparte deste percurso.Inicialmente, o IFNOPAP ( O imaginário nas formas narrativas oraispopulares da Amazônia paraense) destinou-se a reunir as várias formas de narrativas oraiscontadas pelo amazônida, como já ficou indiciado, numa tentativa de
“mapear o que se contano Pará”, para preservação da memória da região.
 Assim sendo, o Projeto iniciou em 1994, com o formato de Programa dePesquisa, tendo sido implantado em seis dos oito Campi Universitários do Interior. Osmunicípios atingidos foram: Santarém, Castanhal, Abaetetuba, Bragança, Marabá, Cametá, eo Campus- sede da UFPA em Belém. O sistema de Campi Avançados constituiu a estrutura
1
 
Professora Associada II, da Universidade Federal do Pará, Bolsista deProdutividade do CNPq.
 
Revista Litteris LiteraturaJulho de 2010Número 5Revista Litteris ISSN 1983 7429www.revistaliteris.com.br  
adequada para pesquisa de tão grande alcance, permitindo uma ampla cobertura do territórioparaense, envolvendo grande número de professores e de estudantes de todas asmicrorregiões do Pará. O material recolhido possui uma riqueza e diversidade ímpares. Talfato propiciou inúmeras propostas, organizadas em subprojetos de várias áreas de pesquisa,principalmente, dos Centros de Letras, Ciências Humanas e Educação. Em 1995, oPrograma foi transformado em Projeto Integrado, atendendo a uma proposta da Instituição,que se preocupava em privilegiar trabalhos que se ajustassem às chamadas atividades finsdesenvolvidas na Universidade Federal do Para: ensino, pesquisa e extensão.Em 1997, a coordenação do projeto, juntamente com os professores e bolsistassentiram a necessidade de realizar um evento distinto do que tinha acontecido, no anoanterior, em que se ateve à apresentação dos primeiros resultados da pesquisa de campo e aalgumas propostas de avaliação de novos subprojetos. Naquele ano, considerou-senecessário reunir professores de outras universidades brasileiras para que a proposta pudesseser apreciada por quem já detivesse uma experiência reconhecida, nos meios acadêmicos,dos temas, em questão. Assim foi que o primeiro encontro se organizou com apresentaçãode conferências, palestras e mesas-redondas para discutir temas que o grupo elegeu como osmais pertinentes do projeto, sobretudo, conceitos relacionados com :
"Narrativa Oral e
 Imaginário Amazônico”.
 
Em 1998, sob o tema: “
 A Cultura Amazônica em suas Multivozes
”, o II Encontro
Nacional IFNOPAP reuniu um grande número de convidados, de várias IES brasileiras, quedeu um brilho especial às atividades programadas em forma de palestras, oficinas,exposições e lançamentos de livros. O evento aconteceu num dos espaços mais interessantesda UFPA, o Núcleo de Arte, contou com a participação de convidados de outras instituiçõese teve grande destaque em mídia impressa.Sob o tema:
"Memória e Comunidade: entre o rio e a floresta
.” , o projeto ganhou
novas dimensões.Com a preocupação de levar cada participante ao universo das narrativas, o IFNOPAPinovou fazendo o seu III Encontro a bordo do navio Catamarã-PA.O evento contou com personalidades internacionais, nacionais e regionais, queengrandeceram o encontro com palestras, oficinas, mini-cursos, exposições sobre temasvariados e de interesse do público; ainda é importante referir que o público do III IFNOPAPfoi agraciado com a presença de artistas paraenses premiados e reconhecidos no mundo
 
Revista Litteris LiteraturaJulho de 2010Número 5Revista Litteris ISSN 1983 7429www.revistaliteris.com.br  
artístico nacional e internacional. Citamos, entre eles, o violonista Sebastião Tapajós, quenos brindou com audição de alto nível, em noite de gala, em Santarém; a cantora líricaMárcia Aliverti, o pianista Antônio José, dançarinos Eder Jastes, Jaime Amaral, osviolonistas Nego Nelson e Maca Maneschy foram notáveis com a sua arte, nas nossas noitesde lazer e convívio social, enquanto o Catamarã singrava as águas do Médio Amazonas. Noretorno, vivemos uma experiência inesquecível, para a maioria: excursionamos nas cavernasde Monte Alegre, onde pudemos contemplar os exemplares de arte rupestre, em plenaAmazônia paraense.A Quarta versão do Encontro IFNOPAP, foi marcada por duas grandes mudanças doprojeto. A primeira, foi a entrada do estudo das manifestações culturais da Amazônia, comotema de reflexão e análise, e, a segunda, foi a parceria firmada entre as áreas de letras ebiologia, inserindo, dessa forma, o estudo da biodiversidade da região mais rica do planetacomo objeto de estudo do IFNOPAP.A região agora escolhida para a viagem a bordo do Catamarã, foi aquela que dispõe deum dos rios mais belos da Amazônia
 – 
o Trombetas. A pitoresca Oriximiná constituiu onosso alvo, onde assistimos a uma particular manifestação religiosa do Estado: O Círionoturno fluvial, que acontece no segundo domingo de agosto, em homenagem ao padroeiroSanto Antônio.A quinta versão do Encontro Nacional do IFNOPAP privilegiou o maior arquipélagodo mundo, com o título:
 Marajó
 – 
um arquipélago sob a ótica da cultura e dabiodiversidade
. A importância desse evento deveu-se a certa singularidade: saímos do barcoe convivemos, durante oito dias, com as comunidades de quatro municípios marajoaras, ematividades diversificadas, simultâneas e de abrangência distinta, nas diversas áreas doconhecimento. Assim sendo, ofertamos às comunidades de Breves, Ponta de Pedras, Muanáe Soure oficinas e cursos desde Iniciação à fotografia (sob a orientação da extraordináriafotógrafa Fátima Roque) até Identificação de DNA (ministrada pela Dra. Ândrea). Foi umaexperiência notável, que se repetiu nos demais encontros, tornando-se o ponto alto doseventos IFNOPAP.O VI IFNOPAP foi quase uma ousadia. Á medida em que foi pensado, concebido egestado, sentíamos que não se trataria de uma expedição comum, enfim o foco de interesseera o Xingu. Realizar este encontro nacional, dentro de um navio, com mais de cento equar
enta pessoas, durante oito dias, “navegando entre o rio e a floresta” foi mais que um

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->