Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
trechos do livro Memórias das Trevas

trechos do livro Memórias das Trevas

Ratings: (0)|Views: 51 |Likes:
Published by Alex Simoes

More info:

Published by: Alex Simoes on Oct 17, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/21/2012

pdf

text

original

 
Trechos do livro“Memórias das Trevas”
Material fornecido pela Geração Editorial
 
(inserir do lado esquerdo da ficha técnica aimagem da capa do livro, que pode ser obtida noendereço
)
Ficha técnica:
MEMÓRIAS DAS TREVASUma Devassa na Vida de Antonio Carlos Magalhães Autor: João Carlos Teixeira GomesFormato 16x23 cm800 páginas (768 de texto, 32 de fotografias)ISBN: 85-7509-001-1Código de Barras: 9788575090015Preço: R$ 40,00Editora: Geração Editorial
Memórias das trevas
Uma devassa na vida deAntonio Carlos Magalhães
Nenhum político baiano tirou mais proveitodo golpe militar de 64 do que Antônio Carlos
 
Malvadeza
 – (...) Nenhum político baiano tirou mais proveito do golpe de 64do que Antônio Carlos (...) Na época, ele era apenas um deputado federalsem qualquer ressonância popular (...)(...) Ao assumir a prefeitura de Salvador, ele já era comentado nos meiospolíticos pelas explosões de seu temperamento (...) Na condição de simplesredator da Assembléia Legislativa, numa atitude insólita, interferiu nos
 
debates e envolveu-se em atritos com um deputado juracisista, João CarlosTourinho Dantas, que ele próprio acabaria agredindo. (...) Poderia ter sidopunido com demiso suria. o foi, pois dispunha de poderososprotetores.(...) Em virtude da sua capacidade de retaliação, acabaria recebendo aalcunha de “Toninho Malvadeza”, cuja autoria ele atribuiu ao generalGolberi, mas na verdade foi criada na Bahia por desafetos (...) A propensãopara o confronto, indicativa de temperamento impulsivo, já se manifestaraem Antônio Carlos desde a adolescência, quando frequentava uma turmade jovens no Campo da Pólvora, antigo bairro histórico de Salvador (...)Esses jovens deixaram triste fama, conhecidos pelas arruaças que alipromoviam entre meados da década de 40 e início da de 50, versãoprovinciana da juventude transviada simbolizada no cinema por JamesDean.(...) Numa frase bastante comentada e que deve ser transcrita em suacrueza, quando, então, expõe o seu sentido real, ele disse, de certa feita, aum repórter: “Quando eu quero agradar, sou pior do que uma puta!” Jamaisdesmentiu tal afirmação, muito divulgada na Bahia.
Empreiteiro
– Entre Antônio Carlos e Antonino Casais (vereador) cresceriaum clima de graves desavenças (...) A briga entre os dois culminaria comuma agressão sofrida por Casais na sede do Poder Judiciário na Bahia. (...)Em discurso, havia denunciado que Antônio Carlos recebera “20% deempreiteiros” por obras realizadas no subúrbio de Periperi.
Escuta
 – (...) Comentava-se que o apoio de Castelo ao então deputadodecorrera de um sistema de escuta, que teria gravado uma conversa por ele mantida telefonicamente com Juscelino Kubitschek, informando-o deque seria cassado e justificando a posição do marechal. Uma versão muitodifundida, na época, foi a de que Antônio Carlos defendera a inevitabilidadedo ato presidencial ardorosamente, sabendo que as ligações para Juscelinoestavam controladas (...) De concreto, houve a nomeação para a prefeitura,a generosa liberação de vultosa verba federal para Salvador e a gratidão donovo prefeito, colocando em seu gabinete uma foto em que aparecia com oseu benfeitor, marcada por calorosa dedicatória. (...)
Jornal da Bahia
 – (...) Sua posse (ACM) ocorreu em 13 de fevereiro de1967 e tempos depois se revelaria desastrosa para o Jornal da Bahia, poisfoi ainda como prefeito que ele iniciou, em 1969, as sisteticasperseguições destinadas a submeter ou silenciar o matutino.
 
(...) Antônio Carlos, amparado pelo governo Médici, chegou, enfim, aogoverno do Estado, após breve trégua havida entre ele e o jornal. (...)(...) Ele já havia ordenado a supressão da publicidade oficial em nossaspáginas e começou a intimidar os anunciantes particulares (...) Um dosmeios eficientes utilizados para obter a submissão dos anunciantes eraempregar a fiscalização tributária sobre o caixa das empresas. (...) “Paraintimidar, use os cachorros; se não der certo, use a polícia; se fracassar,use o fisco.”
LSN –
(...) A reportagem do JBa “A falsa austeridade do governador –Magnesita: o cúmulo do favoritismo” (...) o atingiu em cheio naquilo que erao bordão preferido das suas falas: a presumível honestidade com queadministrava. (...) Ficou de tal sorte abalado que, depois de uma explosãode raiva, não conteve abundante choro. E logo reuniu sua assessoria jurídica (...) Convenceu-se de que o melhor caminho seria usar contra o jornal a Lei de Segurança Nacional. Caiu em minha cabeça. (...) Tratava-sede uma matéria fastidiosa, sem grande apelo popular, cheia de números etranscrição de atos fazendários, além da reprodução de documentos,provando que o Estado havia concedido tratamento muito especial à firmaMagnesita S/A. (...) Agindo com incomum benevolência, numa época emque constrangia todos os empresários com o arrocho fiscal, firmou entãocom a Magnesita um “Termo de Acordo e Compromisso”, pelo qualconcedia os 50% de abatimento às dívidas e se comprometia a não voltar aautuá-la por débitos passados, enquanto não se resolvesse uma pendênciaexistente na Justiça. (...) Para agravar o quadro, a firma era contempladacom a redução, pela metade, de débitos não pagos (...)(...) Produziu-se um resultado (no Tribunal Militar) considerado fantástico:eu derrotara Antônio Carlos pela histórica goleada de 4 a 1. Pela primeiravez, a prepotência na Bahia fora vencida não só como força políticadevastadora, mas junto às próprias fontes que a sustentavam, ou seja, osguardiães e patrocinadores do regime ditatorial. (...) A imprensa de todo oPaís deu grande destaque ao resultado.
ACM por “Ataíde”
– (...) Certo dia, durante o nosso expediente noturno, osecretário Rafael Pastore Neto, tapando o telefone com a mão, chamou-me,ofegante, para dizer que do outro lado da linha estava o governador doEstado. (...) ouvi do outro lado da linha a voz rouca e característica de Antônio Carlos. Preparei-me para uma enxurrada de impropérios (...)Novamente fui tomado de surpresa quando ele, sem conseguir dissimular a

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->