Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
1º Simulado - 2º Dia

1º Simulado - 2º Dia

Ratings: (0)|Views: 930 |Likes:
Published by Valéria Vilma
PROVA DE REDAÇÃO E DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
PROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
Este CADERNO contem 90 QUESTÕES numeradas
de 91 a 180, dispostas da seguinte maneira:
a. as questões de número 91 a 135 são relativas à
área de Linguagens, Códigos e suas tecnologias;
b. as questões de número 136 a 180 são relativas à
área de Matemática e suas Tecnologias.
PROVA DE REDAÇÃO E DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
PROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
Este CADERNO contem 90 QUESTÕES numeradas
de 91 a 180, dispostas da seguinte maneira:
a. as questões de número 91 a 135 são relativas à
área de Linguagens, Códigos e suas tecnologias;
b. as questões de número 136 a 180 são relativas à
área de Matemática e suas Tecnologias.

More info:

Published by: Valéria Vilma on Oct 22, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/13/2013

pdf

text

original

 
 
PROVA DE REDAÇÃO E DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIASPROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
 
LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES SEGUINTES
2º DIA16/06/12CADERNOAMARELO
01
- Este
CADERNO
contem
90 QUESTÕES
numeradasde
91 a 180,
dispostas da seguinte maneira:
a.
as questões de número
91 a 135
são relativas àárea de
Linguagens,
Códigos e suas tecnologias;
b.
as questões de número
136 a 180
são relativas àárea de
Matemática
e suas Tecnologias.
02
- Confira se o seu CADERNO contém a quantidade dequestões e se essas questões estão na ordemmencionada na instrução anterior. Caso o cadernoesteja incompleto, tenha qualquer defeito ouapresente divergência, comunique ao professor da salapara que ele tome as providências cabíveis.
03 -
Escreva e assine seu nome nos espaços próprios doCARTÃO-RESPOSTA com caneta esferográfica de tintapreta.
04
- Não dobre, não amasse nem rasure o CARTÃO-RESPOSTA, pois ele não poderá ser substituído.
05
- Para cada uma das questões objetivas, sãoapresentadas 5 opções identificadas com as letras
A, B,C, D e E .
Apenas uma responde corretamente àquestão.
06
- No CARTÃO-RESPOSTA, preencha todo o espaçocompreendido no círculo correspondente à opçãoescolhida para a resposta. A marcação em mais de umaopção anula a questão, mesmo que uma das respostasesteja correta.
07
- O
tempo disponível
para estas provas é de
cincohoras e trinta minutos.08
- Reserve os 30 minutos finais para marcar seu
CARTÃO-RESPOSTA
. Os rascunhos e as marcaçõesassinaladas no CADERNO DE QUESTÕES não serãoconsiderados na avaliação.
09
- Somente serão corrigidas as
redações
transcritas na
FOLHA DE REDAÇÃO
.
10
- Quando terminar as provas, entregue o
CARTÃO-RESPOSTA/FOLHA DE REDAÇÃO
ao professor desala.
11
- Você poderá deixar o local de prova somente apósdecorridas duas horas do início da aplicação .
12
- Você será excluído do exame no caso de:
a.
agir com incorreção ou descortesia para comqualquer participante ou pessoa envolvida noprocesso de aplicação das provas;
b.
perturbar, de qualquer modo, a ordem no local deaplicação das provas, incorrendo emcomportamento indevido durante a realização doexame;
c.
se comunicar, durante as provas, com outroparticipante verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma;
d.
utilizar qualquer tipo de equipamento eletrônico ede comunicação durante a realização do exame;
e.
utilizar ou tentar utilizar meio fraudulento, embenefício próprio ou de terceiros, em qualquer etapa do exame;
f.
utilizar livros, notas ou impressos durante arealização do exame;
g.
se ausentar da sala de provas levando consigo oCADERNO DE QUESTÕES/CARTÃO-RESPOSTA
 
 
ENSINO MÉDIO/ I SIMULADO - CSJ
2º dia (16/06/1012)
 –
Caderno AMARELO
 –
 
Página
1 
LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUASTECNOLOGIAS
QUESTÕES DE 91 A 135QUESTÕES DE 91 A 100
 – 
PORTUGUÊS
Leia o texto abaixo.
Combate à dengue Elimine a água parada.Recolha, proteja e tampe as latas, garrafas e  pneus.
Tampe a caixa d’água.
 Troque a água por areia nos vasos de plantas e lave bem os pratos dos xaxins.
QUESTÃO 91.
Ministério da Saúde
Todo e qualquer discurso possui uma implícitaintenção que se realiza na forma como acomunicação se realiza. Com base nisso,identifique a função da linguagem do texto a cima.
(A)
 
emotiva.
(B)
 
fática.
(C)
 
referencial.
(D)
 
apelativa.
(E)
 
metalinguística.
QUESTÃO 92.
Observe os quadrinhos abaixo e responda àquestão.
Assinale a alternativa em que se faz umcomentário
INACEITÁVEL
aos quadrinhos deZiraldo.
(A)
 
O menino tinha ideia clara acerca dafinalidade apelativa do seu texto.
(B)
 
Os termos do cartaz reproduzem a sintaxetípica desse gênero de texto.
(C)
 
O menino demonstra inabilidade para ajustar-se às exigências de textos publicitários.
(D)
 
As incorreções gramaticais do segundo quadrovão da ortografia à sintaxe.
(E)
 
Os erros do cartaz constituíram umaestratégia para atrair possíveis consumidores.
QUESTÃO 93.
Nas Garras do Ciúme 
Atire a primeira pedra quem nunca se sentiu enciumado, ainda que tenha mantido o fato em segredo (1). Sutil ou avassalador, esse é um dos sentimentos mais contundentes do ser humano.Talvez por isso seja fonte de inspiração para escritores e compositores. O ciúme está no centro do inferno emocional de Bentinho, personagem esculpido por Machado de Assis no romance Dom Casmurro que passa os dias dominado por incertezas e fantasias sobre a  possível traição da idolatrada Capitu(2). Em Otelo,
de William Shakespeare, ele é o “monstro de olhos verdes” que leva ao assassinato de Desdêmona. Na 
música, também não fa 
ltam exemplos. “O ciúme 
foi cantado por Orlando Silva, Roberto Carlos e 
Caetano Veloso, entre tantos outros”, lembra Luiz 
Tatit, compositor e professor da Universidade de São Paulo (USP). E, claro, não há novela que não leve um toque dessa pimenta nas relações.Na vida real, o ciúme é um dos temas que aparecem com frequência nas conversas com amigos, nas sessões de terapia. É compreensível.Afinal, no di a dia, é difícil ignorá- 
lo. “É natural sentir ciúme. É como sentir dor ou fome”, diz o 
especialista Ailton Amélio da Silva, da USP.Também é verdade que, no Carnaval, o monstro ataca com volúpia. Em sã consciência, nessa época de barriguinhas lindas à mostra, quem deixaria o  parceiro passar o feriado sozinho? No entanto, para desespero dos mais preocupados, além do Carnaval e das situações comuns que podem ser estopins de uma crise, como uma simples ida a um restaurante, surgem outras capazes de despertar 
 
Tenho uma ideia genial prapropaganda do nosso negócio
!
 
 
ENSINO MÉDIO/ I SIMULADO - CSJ
2º dia (16/06/1012)
 –
Caderno AMARELO
 –
 
Página
2 
o monstro. As imensas possibilidades de contato com outras pessoas abertas pelas relações virtuais estão entre elas. Não é exagero dizer que as novas ferramentas de comunicação da internet estão para o ciúme (3) como a gasolina está para apagar incêndio (4). O Orkut, por exemplo, é uma  janela para o mundo que permite fazer contatos ou reencontrar antigos amores. Mas, para quem tem tendência ao ciúme, é mais uma trincheira de briga. Em geral, por causa de recados deixados nas páginas de visita. O correio eletrônico é outro cenário que atrai desconfiados decididos a escara funchar as mensagens eletrônicas atrás de pistas de traição.O sentimento também se infiltra nas baladas. Por trás do clima aparentemente descomprometido das festas, estão jovens que muitas vezes não se dão o direito de admitir o desconforto quando o parceiro acha nova companhia (5). O que a moçada tenta fazer é administrar a situação. Na verdade, na geração adepta do ficar (trocar carícias sem 
compromisso), o ciúme perdeu espaço. “O ficar 
transformou a relação com o ciúme, que se 
mantém mais escondido”, avalia o psicólogo Ailton.
(ISTO É. Nas garras do ciúme. 09.02.2005 .) 
As orações destacadas no texto são subordinadas.Qual das opções corresponde à classificação
 CORRETA
.
(A)
 
1.adverbial consecutiva, 2. Substantivaobjetiva direta, 3. Adjetiva restritiva,4.adverbial comparativa, 5. Adverbialcondicional.
(B)
 
1. substantiva objetiva direta, 2. Adjetivaexplicativa, 3. Adverbial concessiva, 4.Adverbial conformativa, 5. Adverbialtemporal.
(C)
 
1. Adverbial concessiva, 2. Adjetiva restritiva,3. Substantiva objetiva direta, 4. Adverbialconformativa, 5. Adverbial temporal.
(D)
 
1. Adverbial causal, 2. Objetiva indireta, 3.Adverbial comparativa, 4. Substantivacompletiva nominal, 5. Adverbial final.
(E)
 
1. Adverbial concessiva, 2. Adjetivaexplicativa, 3. Substantiva objetiva direta,4.adverbial comparativa, 5. Adverbialtemporal.
 
Leia os textos 1 e 2 para responder àsquestões de 94 a 97.
TEXTO 1 -O livro como fresta 
é certo que um livro quando se deságua a tinta negra de suas páginas além de suas quatro margens um rio que escorre letras metáforas que rompem diques  pelo postigo de quem escreve tudo 
– 
olhos, sóis, lentes 
– 
 na vigília, nas insônias: o universo às escâncaras além, nos telescópios tudo o que a vista desalcança 
– 
os minimundos vazios 
– 
 diante de uma veneziana entreaberta 
PEREIRA, Luís Araujo. Minigrafias. Goiânia: Cânone, 2009. p. 19.
TEXTO 2 Livros de biblioteca instalada em favela inspiram músicas.
Anderson Aparecido Bandeira da Silva, 16, ficou conhecido no Jardim Panorama, favela da zona oeste de São Paulo bem ao lado do shopping Cidade Jardim, por seus raps, que tratavam, quase sempre, da violência.A fonte de inspiração do garoto apelidado MC Guri, no entanto, mudou completamente há cerca de um ano, quando ele passou a frequentar a biblioteca comunitária da região onde mora.A partir da leitura de um livro cujo tema central é a lembrança 
– 
ironia: ele não se lembra do nome do livro 
– 
, fez uma música para três pessoas queridas que perdeu.Em casa, MC Guri não tem nenhum livro de leitura,
“só os que usa para a escola”. Mas sua presença na 
biblioteca comunitária é assídua. Tudo para manter fresco o novo repertório que apresenta em shows feitos em comunidade pobres da região.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->