Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O Direito Nas Sociedades Primitivas

O Direito Nas Sociedades Primitivas

Ratings: (0)|Views: 7 |Likes:

More info:

Published by: Marcus Vinicius Martins on Oct 23, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/04/2012

pdf

text

original

 
O DIREITO NAS SOCIEDADES PRIMITIVAS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES
Fernando Horta Tavares
1
1. Introdução histórica
Segundo Cristiano da Paixão Araújo Pinto
2
, pode-se ilustrar a transição dasformas arcaicas de sociedade para as primeiras civilizões da Antiguidademediante três fatores históricos: 
a) o surgimento das cidades
cuja origem pode-se situar no Paleolítico, naMesopotâmia. Pode-se dizer que o processo de destribalização teve início no séculoIV a . C. , tendo-se notícia da formação de cidades nos anos 3100-2900 a. C., naBaixa Mesopotâmia, isto é, região designada por Suméria, nas margens do RioEufrates, mais próxima ao Golfo Pérsico. No período histórico imediatamentesubseqüente (dinástico primitivo 2900-2334 a. C.) menciona-se a formação deoutras cidades, entre as quais Nipuur e Ur;
b) a invenção e domínio da escrita
, estreitamente ligada ao surgimento dascidades, cujas primeiras manifestações (cuneiformes) se deram na Mesopotâmia,por volta de 3.100 a. C e
c) o advento do comércio
e, numa etapa posterior, da moeda metálica, por umsistema de trocas de mercadorias, e venda em mercados ou na navegação. Naclássica lição de Engels
3
, a origem do comércio localiza-se na divisão do trabalhogerada pela apropriação individual dos produtos antes distribuídos no seio dacomunidade; com a reteão do excedente, a criação de uma camada de
1
Professor da Faculdade Mineira de Direito, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
2
 
Direito e sociedades no oriente antigo,
In:
Fundamentos de história do direito
. Org. Antonio CarlosWolkmer. Belo Horizonte: Del Rey, 2001, p. 20
3
 
 A origem da família, da propriedade privada e do Estado.
3. ed. São Paulo: Global, 1986
1
 
comerciantes e a atribuição de valor a determinados bens, o homem deixa de ser senhor do processo de produção. Inaugura-se, então, ainda segundo Engels, umaassimetria no interior da comunidade, com a introdução da distinção rico-pobre. A síntese desses três elementos (cidades-escrita-comércio), como esclareceo mencionado Cristiano da Paixão Araújo Pinto
4
 
representou a derrocada de uma sociedade fechada, organizada em tribos ouclãs, com pouca diferenciação de papéis sociais e fortemente influenciada, no plano das mentalidades, por aspectos místicos ou religiosos. Há, nestassociedades arcaicas, um direito ainda incipiente, bastante concreto,cognoscível apenas pelo costume e que se confunde com a própria religião
. A construção de uma sociedade urbana, aberta a trocas políticas, maisdimica e complexa, demandará, contudo, um novo direito, cujas primeirasmanifestações ocorrem na Mesopotâmia e no Egito.Já o período, em Roma, é aquele conhecido como a Realeza (753 a . C. a510 a . C), o qual, em razão dos objetivos deste trabalho e da importância do DireitoRomano, não será aqui estudado.No que se refere ao direito grego, é o peodo que se inicia com oaparecimento da
 polis
, meados do século VIII a C. , e vai até o seu desaparecimentoe surgimento dos reinos helenísticos do século III a C., isto é, "esse período de cincoséculos corresponde aos convencionalmente denominados
época arcaica
(776 a480 a C., datas dos primeiros Jogos Ompicos e batalha de Salamina,respectivamente) e
 período clássico
(quinto e quarto séculos a C.)".
5
 
4
op. cit. p. 36-37,
5
SOUZA, Raquel de.
O direito grego antigo
. In:
Fundamentos de história do direito,
op. cit. p. 59-60.
2
 
2. Introdução ao estudo da história do Direito
"Na maioria das sociedades remotas, a lei é considerada parte nuclear decontrole social, elemento material para prevenir, remediar ou castigar os desvios dasregras prescritas. A lei expressa a presença de um direito ordenado na tradição enas práticas costumeiras que mantêm a coesão social", no dizer de Antonio CarlosWolkmer.
6
Assim, falar em um direito arcaico ou primitivo implica, contudo, ter presenteuma diferenciação da pré-história e da história do direito e ainda, quanto aoshorizontes de diversas civilizões, no sentido de precisar o surgimento dosprimeiros textos jurídicos com o aparecimento da escrita, tudo dependendo do graude evolução e complexidade de cada povo.Por isso, prossegue Wolkmer 
7
 
o direito arcaico pode ser interpretado a partir da compreensão do tipo desociedade que o gerou. Se a sociedade da pré-história fundamenta-se no princípio do parentesco, nada mais considerar que a base geradora do jurídico encontra-se, primeiramente, nos laços de consangüinidade, nas práticas do convívio familiar de um mesmo grupo social, unido por crenças etradições.
Relativamente aos princípios e regras que governaram a sociedade grega e asociedade romana, por exemplo, aduz Fustel de Coulanges
8
que há uma conexãoíntima entre as instituições destes povos, suas crenças religiosas e o direito privado.É que
a comparação das crenças e das leis demonstra que as famílias grega eromana foram constituídas por uma religião primitiva, que estabeleceu ocasamento e a autoridade paterna, fixou os graus de parentesco, consagrouo direito de propriedade e o direito de herança. Esta mesma religião, por haver difundido e ampliado a família, formou uma associão maior, a
6
 
O direito nas sociedades primitivas.
In:
Fundamentos de história do direito
. Belo Horizonte: Del Rey,2001, p. 20.
7
(op. cit. p. 21)
8
 
 A cidade antiga
. 2 ed. São Paulo: Edipro, 1999, p. 13-14.
3

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->