Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Civil i - Parte 2

Civil i - Parte 2

Ratings: (0)|Views: 67|Likes:
Published by Thaís Bombassaro

More info:

Published by: Thaís Bombassaro on Oct 25, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/30/2012

pdf

text

original

 
 1CIVIL I: UNIDADE III – DOMICÍLIO / UNIDADE IV – BENS / UNIDADE V – PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA
UNIDADE III – DOMICÍLIO
1.
 
Conceito:
local onde o individuo responde por suas obrigações ou local em que seestabelece a
sede principal de sua residência e de seus negócios
, trazendo segurança jurídica para ambas as pessoas (física e jurídica). Artigo 70 e 72 do Código Civil.
 
 
Domicilio Voluntário:
a pessoa pode voluntariamente escolher seu município. (Art.70 a 78 do Código Civil).
 
o
 
 Domicilio Geral:
é aquele livremente escolhido pelas partes.
 
o
 
 Domicilio Especial:
é aquele fixado em contrato. Quando um contrato porexemplo coloca um endereço, caso haja algum problema ele receberá as notificações nodomicilio fixado, mesmo que não more mais no endereço.
 
2.
 
Domicilio da pessoa jurídica
(Art. 70 a 78 do Código Civil)
 
 
A pessoa jurídica não tem residência, mas sim
sede ou estacionamento;
 
Em regra o domicilio é livremente escolhido pelas partes que são os representantesdas pessoas jurídicas. Deve ser definido o domicilio no contrato ou no estatuto (Art. 75 doCódigo Civil);
 
 
Se não escolhido será considerado o
“lugar onde funcionarem a diretoria e aadministração
”, normalmente é a
matriz da empresa
, que será o local para o credor poderexercer o direito de cobrança (Art. 75, IV, do Código Civil);
 
 
Se possuir sede no estrangeiro será seu domicilio o lugar do estabelecimento situadono Brasil; (Art. 75, § 2º, Código Civil) – estabelece alguns domicílios de pessoas jurídicas.
 
UNIDADE IV – BENS
1.
 
Introdução:
Bens é um conjunto patrimonial passível de valor econômico.
 1.1
 
- Diferença entre coisa e bem
o
 
Coisa = gênero
: tudo aquilo que não é humano. Ex: casa, cadeira, carro, dentreoutros;
 
o
 
Bem = espécie
: todas as coisas que possuem valor econômico, jurídico epatrimonial. Ex: caneta, carro, imóvel, pois possuem valor e são objetos de contrato;
 1.2 - Conceito
: Bens são coisas
materiais, concretas, úteis ao homem e deexpressão econômica
, suscetível de aprovação, bem como as de existência
imaterialeconomicamente apreciadas.
Não tem concretude, já que não pode ser tocado mas possuivalor econômico. Ex: direitos autorais de musicas, marcas, dentre outros;
 
OBS¹:
 
 Bens corpóreos
são aqueles que nossos sentidos podem perceber: um automóvel, umanimal, um livro. Os
 bens incorpóreos
não têm existência tangível
, s
ão direitos das pessoassobre as coisas, sobre o produto de seu intelecto, ou em relação à outra pessoa, com valoreconômico: direitos autorais, créditos, invenções.
OBS²:
 
 Patrimônio
é o conjunto de bens materiais e imateriais de uma pessoa física ou jurídica, é a soma de tudo que a pessoa tem no ativo retirado ao que eu tenho no passivo é opatrimônio liquido. Uma divida também corresponde ao patrimônio (patrimônio passivo).
 
 2CIVIL I: UNIDADE III – DOMICÍLIO / UNIDADE IV – BENS / UNIDADE V – PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA
2.
 
Classificação
 
2.1
 
- Bens considerados em si mesmosa)
 
Bens fungíveis (substituíveis) e bens infungíveis (insubstituíveis)
:
 os bens
 
 fungíveis
podem ser substituídos por outros da mesma qualidade e quantidade sem que hajaperda de qualquer uma das partes. Ex: uma nota de 50 pode ser trocada por outra nota de 50sem que ninguém saia no prejuízo. Os
 bens infungíveis
são os que não podem ser substituídospor outros da mesma espécie. Ex: obras de arte, pois podem ser feitas varias replicasidênticas, mas apenas a original terá um alto valor.
 OBS
: Natureza do bem ou vontade da parte (comodato “ad pompam”)
 
o proprietário podetransformar um bem fungível em infungível. Ex: quando você empresta algo há alguém e apessoa deve lhe devolver o mesmo objeto que foi emprestado, e não um objeto semelhante.
b)
 
Bens consumíveis e inconsumíveis:
(Art. 86, CC)
 
os
 bens consumíveis
sãomoveis e seu uso gera destruição imediata da própria substância, se deterioram em um únicouso, são também destinados a alienação. Ex: alimentos. Os bens inconsumíveis são tambémutilizados pelos indivíduos e também são deteriorados, mas não com um único uso e simgradualmente, ou então realizar mais de um uso e o bem não se deteriorar. Ex: carro.
 c)
 
Bens divisíveis e indivisíveis:
(Art. 87, CC) os
 bens divisíveis
são aquelesrepartíveis em partes sem que haja alteração, existindo apenas diminuição no seu valor. Ex:um saco de 60 kg de café pode ser dividido em 120 sacos e 500g de café. Os
 bens indivisíveis
 são aqueles que não podem ser repartidos sem que haja alteração. Ex: um relógio, pois ele nãopode ser dividido.
 d)
 
Bens singulares e coletivos:
(Art.89 a 91, CC) os
 bens singulares
são
 
considerados individualmente na sua singularidade, mesmo que reunidos. Ex: uma arvoresozinha é um bem singular. Os
 bens coletivos
é um conjunto de bens singulares, ele é divididoem universalidade de fato (são vários bens singulares que dependem da vontade humana, umexemplo seria uma manada de cavalos) e universalidade de direito (que é um grupo de bensreunidos pela vontade do legislador, um exemplo seria a herança).
2.2-Quanto a mobilidade:
é considerado por ele mesmo em relação a sua mobilidade.
 
a)
 
Imóveis:
é incorporado ao solo e se for retirado do solo irá se deteriorar, podese dar de duas formas:
natural
ou
artificial
. Ex: uma casa, pois se ela for retirada do localhaverá perdas estruturais.
 
 
Natural
o
 
Por natureza:
ele é imóvel por natureza. Ex: o solo, o espaço aéreo;
 
 
Artificial
o
 
Por acessão física industrial:
parte da vontade humana. Ex: quando
 
alguém planta uma arvore, ou qualquer outra plantação, construções de prédios ou casas, etc;
 
o
 
Por acessão física intelectual:
imobilidade que depende da vontade
 
humana. Ex: quando instalamos um ar condicionado na nossa casa para que possamosmelhorar sua estrutura;
 
o
 
Por determinação legal:
impõe a vontade do legislador e não a
 
vontade humana. Ex: hipoteca, quando faço um empréstimo e dou um bem como garantia dopagamento da divida; (Art. 80, CC, I e II).
 
 
 3CIVIL I: UNIDADE III – DOMICÍLIO / UNIDADE IV – BENS / UNIDADE V – PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA
b)
 
Móveis:
podem ser removidos ou transferidos sem que sejam deteriorados. Ex:caneta, lápis, carro, dentre outros;
 
o
 
Por natureza:
são aqueles que sua mobilidade depende de suaessência. Podem ser divididos em: bens móveis propriamente ditos são bens inanimados que
 
não possuem vida (ex: cadeira, dinheiro, mercadorias) e bens móveis semoventes elespossuem vida, conseguem se locomover e podem ser transportados por ação humana ( ex:cabeças de gado, dentre outros);
 
o
 
Por antecipação:
são aqueles que eram imóveis, mas devido a
 
atividade humana se tornaram moveis. Ex: arvores de eucalipto, pois são destinadas ao corte,frutos não colhidos nas arvores que são usados para mudas, dentre outras;
 
o
 
Por determinação legal:
não depende da vontade humana, mas sim
 
do legislador. São bens
imateriais e moveis
. Ex: furto de energia elétrica em postes (Art. 83,CC), direitos autorais que são furtados e usados de forma indevida.
 
2.3- Quanto a sua dependência
 
a) Principal:
não depende de outro bem para existir, existentes por si só. Ex: casa.
 
b) Acessórios:
conjunto de bens que formam um bem principal. Ex: as portas, janelas e tijolos que formam uma casa;
 
 
Frutos:
saem do principal sem diminuir sua quantidade, se dividem em 3tipos:
naturais
(pois nascem sem a interferência humana),
industriais
(pelo engenho humanoda fabrica)
civis
(rendimento pela utilização da coisa por outrem, rendas, aluguéis, juros);
 
 
Elementos definidores:
Periodicidade;
 
Inalterabilidade da substância;
 
Separabilidade do bem principal;
 
 
Produtos:
saem do principal reduzindo sua quantidade. Ex: petróleo e mina,pois são esgotáveis e uma hora irão acabar;
 
 
Pertenças:
bens acessórios com o objetivo de conservar ou facilitar o uso
 
dos bens principais. São obras ou despesas que se faz em coisa móvel ou imóvel, paraconservá-la, melhorá-la, ou embelezá-la. Ex:
 
adubo (mesmo que não seja essencial, não podeser retirado depois, porque ele se mistura); Art. 93, CC.
 
 
Partes Integrantes:
estão unidas ao bem principal. São acessórios que,
 
unidos ao principal, formam com ele um todo, sendo desprovidos de existência materialprópria. Ex.: lâmpada de um lustre, pois ela precisa do lustre para ser acoplada e também olustre precisa da lâmpada.
 
 
 Benfeitorias:
melhoramentos ou acréscimos ao bem principal que depende
 
da vontade humana. Ex: construções; Art. 96, CC. Existem 03 tipos de benfeitorias:
 
 
 Necessárias:
aquelas realizadas para a manutenção do bem principal.Ex: Concertar uma coluna de uma casa.
 
 
Úteis:
são menos importantes que as necessárias, mas facilitam o usodo bem principal. Ex: construir mais um banheiro na casa para aumentar o conforto.
 
 
Voluptuárias:
servem de luxo, ao lazer. Ex: jardim em casa, quadra detênis, sauna.
 
OBS:
toda benfeitoria é artificial

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->