Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
21Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
True Blood - Escravos do Amor - Capítulo 25 - O Fio da Suspeita

True Blood - Escravos do Amor - Capítulo 25 - O Fio da Suspeita

Ratings: (0)|Views: 25,202 |Likes:
Published by WE LOVE TRUE BLOOD
Mais um capítulo de nossa novela mexicana preferida baseada em True Blood.
Mais um capítulo de nossa novela mexicana preferida baseada em True Blood.

More info:

Published by: WE LOVE TRUE BLOOD on Oct 30, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/26/2013

pdf

text

original

 
Temporada 02 Capítulo 25 
O Fio da Suspeita
 Yeah? Is that your head talking, or another part of your anatomy?
“Tire a roupa... bem devagar.”Bastian estava em pé completamente estático em frente a cama, Romeosentado no lado direito e Eric no outro lado. Havia dois guardas parados pertoda porta, observavam atentos a situação no quarto.“Será que os gorilas aqui podem sair do quarto?”, ele apontou para os doishomens atrás dele. “Sou tímido...”, fez um biquinho.Romeo fez um gesto impaciente com as mãos mandando-os para fora. Oquarto era iluminado por dois abajures, havia janelas de vidro que tomavamuma parede a outra, começavam no chão e terminavam no teto. Bastian olhoupara fora vendo se tinha algum movimento no andar de baixo.“Vamos, menino. Não tenho a noite toda. Quero usufruir dos dois.”, Romeoapertou a coxa de Eric.Bastian tirou lentamente a blusa xadrez, jogou na cama perto dos dois. Retiroua camiseta branca, notou que Eric exibia um sorriso divertido, sentiu vontadede matar o outro em vez de Romeo. Jogou a camiseta na direção de Ericmandando um beijinho. Eric olhou para Bastian intensamente e cheirou suacamiseta.“Vou ficar com ciúmes.”, Romeo disse afeminado.“Não fique.”, Eric acariciou o ombro dele. “Jogue as calças para ele.”, disse nadireção de Bastian.Romeo bateu palmas excitado, não conhecia os dois, mas haviam dito queeram ótimos na cama e topavam qualquer coisa. Ele respirou com dificuldadeao imaginar o rapaz em cima dele, e depois o loiro enorme. Abriu a gaveta nocriado-mudo, tirou uma cápsula de V oferecendo para Eric:
 
“Já foi servido? O sexo é maravilhoso com sangue de vampiro.”Eric quase rasgou a garganta de Romeo antes do previsto, estava secontrolando desde que chegaram na casa. Só se submetia a esse papelporque queria descobrir quem eram os vendedores de V para depois os matar sem piedade.“Não, obrigado. Eu já cheirei.”, bateu duas vezes no nariz com o dedoindicador.“E o menino?”“Sou de menor, moço. Não posso com essas coisas ainda.”, Bastian respondeutimidamente.O homem bebeu o V de uma vez, soltou um arroto de prazer como se tivesseexperimentado uma iguaria. Bastian não tirou as calças, em vez disso pulou emcima do homem o segurando pelo pescoço.“Mas, já? Nem está pelado... não estou entendendo.”O vampiro apertou a garganta dele com força, evitando que gritasse. Sentiu ovolume de Romeo perto da coxa, Bastian afastou para o lado, não queriacontato íntimo nenhum. Puxou o rosto dele perto do seu, os olhos castanhos dovampiro encararam os olhos pretos do homem, numa voz calma começou ahipnotizá-lo:“De quem comprou o V?”“Rapazes...”, ele respondia numa voz pastosa.“Quem eram os rapazes?”“Casas juntas... muito juntas, sujas e velhas. Moços, jovens e apetitosos...três...”, disse com um sorriso.“Onde?”, Bastian apertou novamente o pescoço dele, ouviu um estalo de umosso trincando.“Meu celular...”Eric enfiou a mão no bolso da calça de Romeo, não demorou para encontrar ocelular. Ligou o aparelho, mas não poderia acessar, pois precisava de umasenha.
 
“Faça-o dizer a senha.”, disse para Bastian.“Qual é a senha do celular?”“Hummm... 0724.”, disse rapidamente.Eric digitou a senha conseguindo acesso ao celular. Abriu o email, havia umamensagem com apenas V no assunto. Não demorou em achar o ponto deencontro, um local conhecido por ser uma antiga boca de fumo. Apagou amensagem, recolocou o celular no bolso de Romeo. Com um gesto mandouBastian se afastar. Abriu um rasgo com a unha no próprio pulso, pegou comviolência a cabeça do homem e o obrigou a beber o sangue.“Não vai ficar muito fraco?”, Bastian perguntou preocupado.“Um pouco.”, ele respondeu com uma careta conforme o homem sugava o seupulso. “O prazer de vê-lo se afogando no próprio vício vai compensar oesforço.”“Vou ter que matar os caras sozinhos.”, Bastian começou a vestir a camiseta ea blusa xadrez. “Algo que já estou bastante acostumado a fazer.”“Muito acostumado.”, Eric deu uma risada baixa, não poderia atrair os guardasque estavam do outro lado da porta.Romeo continuava sugando com vontade, seu rosto estava cheio de sangue,segurava com força no braço de Eric, de vez em quando mordia deixandomarcas na pele do vampiro. De repente, começou a sentir algo quente voltandoem sua garganta, quase que pegando fogo. Parou de sugar no mesmoinstante, começou a tossir, seu peito fazia um barulho estranho. Tentava pedir ajuda desesperado, mas os dois vampiros se afastaram, observavam com osolhos brilhando de prazer.Ele continuava tossindo sem parar, apertou a garganta, mas começou avomitar sangue, golfadas e golfadas saíam de sua boca, a cama ficou rubra. Arespiração falhou, os sons ficaram distantes, as imagens embaralhadas, atéque caiu pesadamente na cama e não se levantou mais.Bastian se aproximou cuidadosamente, empurrou com o pé o corpo, mas semresposta. Não ouvia mais as batidas do coração. Voltou-se para Ericconfirmando com a cabeça.“Está mortinho, mortinho... um a menos.”, deu um soco no ar.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->