Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
17Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
o Que é Capital

o Que é Capital

Ratings: (0)|Views: 3,839 |Likes:

More info:

Published by: História Econômica on Jan 24, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

11/12/2013

 
 
O QUE É CAPITAL
(Versão atualizada – abril 2003)
INDICE Nota introdutóriaFormação do capital Acumulação do capitalQuem cria o excedente? A apropriação do excedenteConcentração e globalização do capitalGlobalização e desequilíbrio dinâmico do capitalO capital global: novas tendênciasIndicações para leitura
 
NOTA INTRODUTÓRIA
Escrever sobre o capital pode parecer pretensioso. Qualquer economista conhece acomplexidade do conceito. No entanto, qualquer pessoa fala em "capital" aindaque se refira a realidades diferentes ou mal comprendidas. Vale a pena pôr umpouco de ordem nos sentidos que a palavra pode ter, e explicar de forma simplesas realidades que ela recobre, ainda que não se esgote a complexidade doassunto.E o que é capital? Frente aos excelentes mas volumosos estudos de Karl Marx, ouàs elucubrações econométricas norte americanas, muita gente que fala diariamenteem capital hesita em empreender o seu estudo, e se contenta com a vaga noção deque se trata de assuntos de dinheiro.Na realidade, uma vez analisados os diversos sentidos que se dá ao termo, e emparticular as determinações do processo de acumulação de capital, desvendam-semuitos problemas que são, afinal, bastante simples.A confusão inicial tem suas razões: grande parte da complicação vem dosmalabarismos teóricos que minorias privilegiadas usam para justificar a suaapropriação do capital. Já viram intermediário financeiro explicando os seuslucros?A nossa ambição aqui é tomar simplesmente as formas que o capital assume,estudar a sua transformação, ver quem o cria, quem dele se apropria e com quefins. Nesta edição revista e atualizada, acrescentamos algumas páginas sobre astransformações recentes do mercado e do planejamento.Uma nota bibliográfica no fim deste pequeno trabalho orientará o leitor sobrepassos seguintes a seguir. A recomendação não é formal: guardo a convicção deque o estudo da acumulação do capital constitui a forma mais fácil e mais ricade se penetrar nos problemas econômicos em geral.
 
FORMAÇÃO DO CAPITAL
A noção de capital é familiar e de uso generalizado, mas de difícil definição.Antes de tudo, portanto, é necessário esclarecer o próprio conceito de capital.O conceito mais próximo é o de "riqueza". De forma geral, o objetivo explícitode quem maneja capitais num sistema capitalista é tornar-se rico. No entanto, ariqueza não significa a mesma coisa para o indivíduo e para o país. Tomemos oexemplo de uma pessoa que comprou uma casa a baixo preço, prevendo que a área emque se situa a casa irá sofrer valorização geral. Depois de seis meses a mesmapessoa revende a casa, digamos, pelo dobro do preço. É indiscutível que estapessoa enriqueceu. Mas do ponto de vista do país, da economia como um todo,houve alguma modificação? É óbvio que não, pois o interessado não construiunada, não aumentou o patrimônio de riqueza da sociedade.Inversamente, podemos conceber - e os exemplos são muitos - uma pessoa queempatou o seu dinheiro para construir um prédio, e por uma série de razõesacabou perdendo dinheiro, não conseguindo recuperar o investimento inicial. Noentanto, o prédio está aí, e várias famílias poderão viver nos apartamentosconstruídos. O indivíduo perdeu, a sociedade ganhou.É preciso distinguir, em consequência, o problema a nível do indivíduo, e oproblema a nível da sociedade. Quando um enriquece à custa de outro, através deespeculações comerciais, jogo sobre os preços, venda de ações, etc., há umasimples transferência de riqueza, perdendo um o que ganhou o outro, sendo neutroo resultado para o país.Este tipo de movimento, de aplicações e especulação financeira, pode ser muitoimportante. No caso da Tailândia, por exemplo, Joseph Stiglitz, Prêmio Nobel deeconomia, explica como se depena um país: um especulador de Wall Street pede umempréstimo na Tailândia, em moeda local. Como se trata de uma grande financeiraamericana, os bancos locais ficam encantados. De posse de bilhões em moedalocal, o especulador passa a comprar dólar no mercado local, sabendo que asreservas do pais são limitadas. O dólar sobe rapidamente, pois outros agenteseconômicos locais, assustados, passam a comprar dólar também. Com pouco tempo, odólar duplica de valor, o especulador revende dólares suficientes para saldar adívida com os bancos locais, e leva para casa 400 milhões de dólares para cadabilhão empatado. Ganhou um rio de dinheiro, não produziu nada – pelo contráriodesorganizou uma economia, empobreceu os poupadores de uma país já pobre. Omesmo mecanismo foi utilizado na Argentina pelo especulador americano El-Erian,e em numerosos outros países.Os especuladores gostam de chamar o que fazem de “investimento”, quando narealdiade se trata de aplicações financeiras, e gostam de falar do seu“capital”, quando se trata de movimentos especulativos. O que nos interessadominantemente aqui, é claro, não é o movimento especulativo de dinheiro, e simo movimento de recursos econômicos reais, que resultam em prêdios, represas,produção, escolas: interessa-nos justamente o capital, o processo deenriquecimento de uma sociedade. Encher o bolso deixando outra pessoa mais pobreconstitui um mecanismo importante, é o mundo dos espertos. Investir o dinheirode maneira a aumentar o volume de bens disponíveis é mais importante, é o mundodos inteligentes. A sociedade avança quando se usa os recursos sociais demaneira inteligente. A imagem que se utiliza, é que a maré levanta todos osbarcos.

Activity (17)

You've already reviewed this. Edit your review.
Thayanne Duarte liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Felipe Ladislau liked this
Ramon Swell liked this
Emerson Aguiar liked this
Lorena Fernandes liked this
Leandro Reis liked this
Professor Jhow liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->