Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
SPINDEL.o Que é Socialismo

SPINDEL.o Que é Socialismo

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 3,984 |Likes:

More info:

Published by: História Econômica on Jan 25, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC or read online from Scribd
See more
See less

05/10/2014

 
SPINDEL, Arnaldo.
O que é socialismo
.
- Levando em consideração a gama de conceitos que tal palavra assumiu hoje, se torna muito difícil aplicar uma única definição a mesma.- Parece que todos lutam pelo socialismo, do comunista ao anarquista.- Novo Dicionário Aurélio diz que SOCIALISMO é o conjunto de doutrinas que se propõe a promover o bem comum pela transformação da sociedade e da relação entre as classes, mediante a alteração do regimede propriedade; sistema político que adota essa doutrina.- O socialismo abriga várias doutrinas, nem sempre da mesma base teórica, que propõe soluções diferentes para os problemas sociais e visam a criação de sociedades futuras completamente diferentes.- Doutrinas completamente diferentes dizer ser socialistas.- Desde a antiguidade que o sonho de uma sociedade onde todos os homens fossem iguais e livres perseguea humanidade. Diversas correntes elaboraram meios diferentes de tentar atingi-lo. Várias estratégias.“A história das idéias socialistas possui alguns cortes de importância. O primeiro deles é entre os socialistasutópicos e os socialistas científicos”.- O avanço das idéias marxistas consegue dar uma maior homogeneidade ao movimento socialistainternacional. Pela primeira vez, trabalhadores de países diferentes, quando pensavam em socialismo,estavam pensando num a mesma sociedade – “aquela idealizada por Marx”. A maior concorrente era adoutrina anarquista.- Até hoje se acredita que comunismo e social-democracia é o mesmo que socialismo.- Não foi por acaso que Marx escolheu o nome COMUNISMO para lançar o
manifesto.
Socialismo naquelaépoca estava associado aos UTÓPICOS. Com o passar dos anos, e a crescente hegemonia do marxismo, aesquerda passou a usar indiscriminadamente socialismo como sinônimo de comunismo. No entanto, a IIInternacional desmancha o consenso.- Lênin faz questão de demarcar posição e diferenciar o “verdadeiro socialismo” dos revisionismo e osmoderados. Para tanto, Lênin retoma o termo comunismo.- Após a II Internacional sob a liderança do partido Social-Democrata alemão, alguns socialistas passa adefender a passagem gradual da sociedade capitalista à sociedade socialista, por meio de reformas sociais ede uma atuação parlamentar.
Os partidários desta linha passam a ser conhecidos como social-democratas ou, puramente, socialistas.-
Os comunistas diziam ser os verdadeiros socialistas. Dessa ala surgiram outras correntes como a chinesa ea da Iugoslávia.- O presente estudo limita-se a estudar do socialismo utópico ao da 2° Internacional.“O socialismo, entendido como a preocupação por uma sociedade que suprimisse as desigualdades entre oshomens, é uma idéia que pode ser encontrada no passado remoto da história universal”.- Platão após analisar a sociedade primitiva nos fala de um estado da natureza em que prevalecia a igualdadeentre os homens.- O cristianismo (antiguidade), as revoltas camponesas (idade média) e Thomas More (1516) já nos falavaalguma coisa dessa sociedade de iguais.- Foi no sec. XVIII, com a revolução industrial
1
protagonizando a história, que o socialismo ganha corpo.
As idéias socialistas são uma conseqüência da miséria reinante, são os gritos de revolta de umapopulação à procura de sua dignidade humana”.
- A burguesia ao lutar contra a aristocracia decadente motivava o povo com idéias socialistas. Dessa forma, osocialismo era uma corrente política que almejava a radicalização do modelo democrático burguês. Ficaramconhecidos também como democratas radicais, cooperativistas e comunistas.- A história, no entanto, reservou-lhes o nome de SOCIALISTAS UTÓPICOS ou Socialistas Pré-marxistas.- As obras de Marx é um momento fundador, fez um corte no pensamento socialista.- Tempos de mudanças são férteis para o aparecimento de idéias radicais.- INGLATERRA (séc.XVI): luta da burguesia comercial ligada às grandes navegações contra o domínioabsoluto das monarquias e da igreja. Foi aí que surgem os livres de Thomas More (Utopia) e Francis Bacon
1
Jornada de trabalho de 16 horas; expulsão dos camponeses de suas terras; etc.
 
(Nova Atlântica) “propondo uma sociedade alternativa onde a inexistência da propriedade privadaasseguraria a felicidade dos homens”.- THOMAS MORE critica a sociedade da época. Pregava a jornada de trabalho de 6 horas e liberdade de pensamento. No livro discute: reforma ou revolução? O comunismo poderá ser implantado de forma pacífica?- A crítica era contra a monarquia, o absolutismo e a religião culpados da miséria na frança. A RevoluçãoFrancesa divulgou os ideais socialistas também. Após a vitória, a burguesia desligou-se do povo. Babouef foi quem empregou táticas para tomar o poder.“No caminho que vai de Baboeuf e Marx, umas séries de movimentos revolucionários ocorreram e muitos pensadores socialistas surgiram, propondo soluções diversas”.- Quatro são os principais pensadores pré-marxista: Saint-Simon; Fourier, Owen e Proudhon. Engels acertaas contas com os três primeiros e Marx com o último.-
Simon
foi um liberal avançado, escreveu quando da primeira fase da revolução francesa. A sociedadeestava dividida entre ociosos e trabalhadores. O que faz unir de um lado tanto proletariado como burguês.Concordava com o lucro capitalista desde que investisse parte na área social.-
Charles Fourier
: “o maior satírico de todos os tempos”. Pregou o associativismo. Profetizou o socialismocomo última fase da história. Nessa fase, a felicidade reinaria.- Ower: representa a passagem para o socialismo moderno. Antecede o movimento cartista. Chegou a ser sócio de uma grande empresa têxtil. Apontava as conseqüências da revolução industrial. A visão de mundodele foi ridicularizada.AS IDÉIAS DE KARL MARX E FRIEDRICH ENGELS.- Não é verdade que anterior a Marx, prevalecia as trevas. O que há de genial é sua visão aguçada da históriae dos movimentos sociais e a utilização de instrumentos de análise que ele próprio criou.- Juntou três fontes: a) a dialética; b) a economia política inglesa; c) o socialismo.- De 1843-1848, Marx vive em Paris. Momento em que se dedica à leitura dos utópicos.- DIALÉTICA: trata-se de uma concepção sobre o princípio de evolução da natureza e da sociedade. Cadacoisa tem em si o seu contrário – cada afirmação, sua negação. O mundo não um conjunto de coisas prontase acabadas e sim o resultado do movimento gerado pelo choque dos contrários. Cada coisa já carrega em si ogerme de sua destruição. Para Hegel, o pensamento criava a realidade.- Marx procurou descobrir que tipo de base econômica sustentava a sociedade.- Mostrou que o movimento da história é, necessariamente, um movimento dialético.- A pergunta era: O QUE È QUE DETERMINA AS MUDANÇAS SOCIAIS? Para os idealistas, asmudanças acontecem primeiras no espírito.“A passagem do modo de produção feudal, isto é, do modo de produção onde as relações de produção eramdominantemente feudais, ao modo de produção capitalista é um dos exemplos deste processo histórico. A partir de um determinado momento do período de dominação feudal, as forças produtivas conheceram umdesenvolvimento bastante acelerado. Inovações técnicas permitiram, por exemplo a construção dascaravelas, a liberação da mão-de-obra empregada na agricultura, a queda da taxa de mortalidade, etc.“A alteração da superestrutura, contudo, não obedecia ao mesmo ritmo que as modificações na estrutura produtiva; ela ainda permanecia fiel à antiga relação de produção, pois a estrutura de dominação política e jurídica ainda permanecia nas mãos da nobreza”.- A burguesia necessitava do poder político para construir uma sociedade à imagem e semelhança dasrelações de produção que havia disseminado ela.“O modo de produção feudal é o fato positivo, a afirmação, mas já traz dentro de si o germe de sua próprianegação: o desenvolvimento de suas forças produtivas propicia o surgimento da burguesia. A medida queestas forças produtivas se desenvolvem, elas vão negando as relações feudais de produção e introduzindo asrelações capitalistas de produção”.- A luta de classe é quem faz mover a história.
A I ITERNACIONAL E O ANARQUISMO.

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Kamilla Otoni liked this
Alaerte Barbosa liked this
dgpenna liked this
Andréa liked this
Andréa liked this
Luiza Ruhe liked this
Ramon Santos liked this
Luiza Ruhe liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->