Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
APS_NARA

APS_NARA

Ratings: (0)|Views: 1 |Likes:
Published by Lucas Baston Borges

More info:

Published by: Lucas Baston Borges on Nov 15, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/05/2013

pdf

text

original

 
Lucas Baston BorgesRA B31825-2Sala 209Curso: Direito SemestreInvestigação Criminal
 A palavra investigação é derivada do latim
investigare 
, e significa ato ou efeito de investigar,pesquisar; e criminal do latim
criminalis,
significando algo relacionado a crime. A investigaçãocriminal pode ser conceituada como um conjunto de ações praticadas para obter informações eelementos de convicção com o fim de preparar a ação penal, seja apresentando denúncia ouqueixa, ou ainda, oferecendo ao Ministério Público a provisória base fundamentada dasentença a ser dada.
No Brasil
No Brasil as atribuições de polícia judiciária são da competência das Polícias Civis dos 27 entesfederativos (Polícias Civis dos Estados e do Distrito Federal) e da Polícia Federal, de acordo comos parágrafos 4º e 1º, do artigo 144, da Constituição Brasileira. A Polícia Judiciária no Brasil remonta à 1619, quando os alcaides exercendo as suas funções nasvilas da Colônia realizavam diligências para a prisão de malfeitores, sempre acompanhados deum escrivão que do ocorrido lavrava um termo ou auto, para posterior apresentação aomagistrado. Mais tarde surgiu a figura do ministro criminal (ou meirinho) que nos seus bairrosmesclava as atribuições de juiz e policial, mantendo a paz, procedendo devassas e determinandoa prisão de criminosos. A partir de 1808, com a criação da Intendência Geral de Polícia da Corte e do Estado do Brasil,no Rio de Janeiro, e a instituição no mesmo ano da Secretaria de Polícia, o embrião da atualPolícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, seguida da criação do cargo de Comissário de Políciaem 1810, fixou-se na nova estrutura policial o exercício da polícia judiciária brasileira.Durante o governo imperial coube o seu desempenho aos Delegados do Chefe de Polícia, cargopreservado depois da Proclamação da República em 1889, na Polícia Civil do Distrito Federal enas polícias civis dos demais estados da federação. A partir de 1967 as polícias civis, por força da legislação da ditadura militar, perderam asatribuições relativas ao policiamento ostensivo uniformizado que vinham exercendo desde 1866através das suas corporações de guardas civis. Essa modalidade passou à competênciaexclusiva das polícias militares estaduais.Nos termos do § 4º, do artigo 144, da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, "àspolícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competênciada União (Polícia Federal), as funções de polícia judiciária e a apuração das infrações penais,exceto as militares. Estão subordinadas aos governadores dos estados da federação, através dassecretarias de segurança pública. A apuração das infrações penais (crimes), conhecida também como investigação policial, érealizada no curso do Inquérito Policial, previsto no Código de Processo Penal brasileiro. O
 
Inquérito Policial é conduzido de forma independente por cada Polícia Civil ou Polícia Federal,que o remetem ao juízo criminal competente após a sua conclusão. O Ministério Público poderárequisitar diligências complementares destinadas a melhor instruí-lo para o oferecimento da açãopenal. As Polícias Civis e a Polícia Federal denominam-se "judiciárias" porque, em sede deprocedimento preparatório ao processo penal (inquérito policial), auxiliam o poder judiciário,através da coleta de provas e do esclarecimento da autoria e da materialidade do crime. Emboraalguns doutrinadores definam o inquérito policial como "mera peça informativa", é certo que asprovas ali coletadas, mormente as provas técnicas (perícias), são aproveitadas no processo judicial; aliás, a imensa maioria das ações penais são baseadas, quase em sua totalidade, norespectivo Inquérito Policial. A Polícia Judiciária (Polícia Civil) não tem qualquer relação de subordinação com nenhum órgãoou instituição do poder, nem mesmo com o Ministério Público, a quem incumbe apenas o controleexterno da atividade policial. É que tal controle faculta ao Ministério Público a supervisão doandamento do inquérito, sem poderes, porém, para ingerir na presidência do inquérito policial,que cabe somente ao Delegado de Polícia.Mesmo as requisições do Ministério Público, se entendidas impertinentes, inadequadas ouprejudiciais ao andamento do inquérito policial, podem ser rejeitadas pelo Delegado, por despacho fundamentado, sem que haja o risco de constituir crime de desobediência, uma vezque, segundo Rogério Greco, não há relação hierárquica entre Delegado e Promotor de Justiça.
Policia
Não são órgãos do poder judiciário, são vinculadas ao poder executivo, são dirigidas por delegados de policia (de carreira) Da Segurança Publica (Art. 149 da CF) O objetivo fundamentalda segurança pública é dever do Estado Art. 144,: A segurança pública é exercida através dosseguintes órgãos:
•Policia federal
 
•Policia Rodoviária Federal
 
•Policia Ferroviária Federal
 
•Policiais Civis
 
•Policiais Militare
s e Corpo de Bombeiros Policia Federal: Vinculada à União, cabe-lhe exercer asfunções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras e, com exclusividade, as funções depolícia judiciária da União, além de apurar infrações penais contra a ordem política e social, ouem detrimento de bens, serviços e interesses da União, ou de suas entidades autarticas eempresas públicas, bem como infrações que causem repercussão interestadual ou internacional.Também é sua função a repressão ao tráficoPolicia Militar: Vinculadas a Estados e ao Distrito federal, têm a função de policia ostensiva, bemcomo a função de preservação da ordem pública;
•Policia Rodoviária Federal: Vinculada à União, têm atribuições específicas de efetivar o
patrulhamento ostensivo das rodovias federais.
•Policia Rodoviária Federal: Vinculada à União, têm atribuição específica para patrulhar 
ostensivamente as ferrovias federais
 
•Policia Judiciária: É repressiva. Também conhecida como policia de investigação, atua APÓS o
cometimento de um crime, tem a função de atuar repressivamente, investigando a prática deinfrações penais, a fim de apurar as respectivas autorias. Ao lado da apuração dos delitos, cabetambém a ela auxiliar o Poder Judiciário na execução de medidas administrativas e processuais,tais como cumprimento de diligências (mandado de busca e apreensão), cumprimento demandados de prisão, etc
•O Corpo de Bombeiros Militares não tem função ostensiva nem repressiva, eles têm atos de
defesa civil (salvamentos, incêndios, etc.). São forças auxiliares e reserva do exército., vinculadosaos Estados e ao Distrito Federal.
A Lei:
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
Capítulo III - Da Segurança PúblicaArt. 144.
 A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercidapara a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, atravésdos seguintes órgãos:I - polícia federal;II - polícia rodoviária federal;III - polícia ferroviária federal;IV - polícias civis;V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.§ 1º A polícia federal, instituída por lei como órgão permanente, estruturado em carreira, destina-se a:I - apurar infrações penais contra a ordem política e social ou em detrimento de bens, serviços einteresses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outrasinfrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija repressãouniforme, segundo se dispuser em lei;II - prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e odescaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreasde competência;III - exercer as funções de polícia marítima, aérea e de fronteiras;IV - exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União.§ 2º A polícia rodoviária federal, órgão permanente, estruturado em carreira, destina-se, na formada lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais.§ 3º A polícia ferroviária federal, órgão permanente, estruturado em carreira, destina-se, na formada lei, ao patrulhamento ostensivodas ferrovias federais.§ 4º Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada acompetência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, excetoas militares.§ 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corposde bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividadesde defesa civil.§ 6º As polícias militares e corpos de bombeiros militares, forças auxiliares e reserva do Exército,subordinam-se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores dos Estados, do DistritoFederal e dos Territórios.§ 7º A lei disciplinará a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurançapública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades.§ 8º Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens,serviços e instalações, conforme dispuser a lei.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->