Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
5º HGP teste

5º HGP teste

Ratings: (0)|Views: 105|Likes:

More info:

Published by: Pedro Martins Santos on Nov 19, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/03/2013

pdf

text

original

 
Ao longo do
século XV
e
primeira metade do século XVI
, Portugal criou um vasto Império. Os seusterritórios espalhavam-se por várias áreas do globo:
ilhas atlânticas
(Madeira, Açores, Cabo Verde, S.Tomé e Príncipe),
praças
e
territórios
do
Norte de África
, na
costa africana
, no
oriente
e numa
faixa
de
território
do
Brasil
.A partir de
meados do século XVI
, o
império português
passou por um
período
de
grandesdificuldades
que se deveram:
à má administração do Império;
aos ataques dos muçulmanos a praças do norte de África e do oriente;
aos naufrágios e ataques de piratas a barcos carregados de produtos orientais;
à falta de dinheiro do Estado (diminuição dos lucros do comércio com o oriente e grandesdespesas da Coroa) No
reinado
de
D. João III
(
1521-1557
), devido à falta de meios, Portugal teve de abandonar algumas praças do norte de África. Durante o
mesmo reinado
, o
oriente
entrou em
decadência
e o
Brasil
sofreuataques de
corsários
,
franceses
e
ingleses
.
A morte de D. Sebastião e a sucessão ao trono
Quando
D. João III
morreu, sucedeu-lhe o
seu neto
 
D. Sebastião
. Como tinha apenas 3 anos, D.Catarina assume a regência do reino, seguindo-lhe o cardeal D. Henrique.Aos
14 anos
, (
1568
)
D. Sebastião
 assume ele próprio o governo do reino e decide conquistar o norte deÁfrica, organizando uma
expedição militar
(
cerca
de
18 mil homens
) e partiu para Marrocos. Noentanto, não foi bem sucedido e
morreu
na
batalha de Alcácer Quibir
 (
1578
) sem deixar descendentes.Em
1578
,
D. Henrique
passa a ser o rei de Portugal, e com a sua
morte
em
fevereiro
de
1580
, o problema de sucessão não estava resolvido, pois ele também não tinha filhos.Surgiram então
vários pretendentes
 ao
trono
:-
 D. Filipe II
, rei de Espanha, apoiado por grande
parte do clero
,
nobreza
e
grande burguesia-D. António, Prior do Crato
apoiado pelo
povo-D. Catarina de Bragança
apoiada por 
pouc
os
membros
da
nobreza
e do
clero
 
Em
agosto
de
1580
,
Filipe II
, para defender os seus direitos,
invadiu Portugal
. A
Espanha
era, então,uma grande potência europeia, com um forte e poderoso exército. O
exército espanhol
entrou em
Portugal
pelo
Alentejo
e
dirigiu-se
para
Lisboa
. Então,
D. António, Prior do Crato
reuniu um pequenoexército para fazer frente às tropas espanholas no entanto, foram
derrotados
na
Batalha de Alcântara
,em
Lisboa
. Após esta derrota militar,
D. António
refugiou-se no norte do país mas sem apoios, partiu para o estrangeiro (Inglaterra e França), em
maio
de
1581
, em busca de auxílio militar.Em
1583
, a
ilha Terceira
(
Açores
), caiu em poder das forças espanholas, apesar do apoio das esquadrasfrancesas enviadas em seu socorro, tendo terminado assim, o sonho de
D. António, Prior do Crato
manter Portugal independente.Após a vitória na
Batalha de Alcântara
,
Filipe II
de
Espanha
veio a
 
Portugal legalizar a subida aotrono. Para isso, mandou reunir 
 
as
Cortes de Tomar
(
abril de 1581
) onde foi
aclamado rei
com o
nome
de
 Filipe I
foi intitulado como D. Filipe I, rei de Portugal, tendo mandado publicar uma
carta de perdão
à maioria dos apoiantes do
Prior do Crato
e fez várias promessas entre as quais:
manter o comércio ultramarino na mão dos portugueses, a moeda, língua e costumes portugueses
cargos de governo de Portugal, apenas para portuguesesAssim, estabeleceu-se na
Península Ibérica
uma
monarquia dualista
– 
dois estados
(
Espanha
e
Portugal
) e
apenas
um
monarca
(
Filipe II 
de
Espanha
e
Filipe I 
de
Portugal
), o que significava que
cada Estado
continuava a ser 
independente
Entre1580e1640
,
Portugal
foi
governado
por uma
nova dinastia
– a
FILIPINA
Filipe I
cumpriu as promessas feitas nas
Cortes de Tomar
, durante a sua governação.
Sucederam-lhe
 
Filipe II
(
1598-1621
) e
Filipe III
(
1621-1640
).
Durante este último reinado
(
FilipeIII
), a
Espanha
enfrentou
várias dificuldades
:
quebras nos rendimentos da Coroa, devido sobretudo às menores quantidades de prata que vinhamda América do Sul
guerras com os vários países da Europa, como a França, Inglaterra e HolandaDurante o reinado de
Filipe III
, para fazer frente às dificuldades,
Espanha
:
aumentou os impostos e do custo de vida
soldados portugueses eram mobilizados para o exército espanhol
espanhóis eram nomeados para cargos em Portugal
os inimigos de Espanha atacavam as colónias portuguesasTudo isto fazia de
Portugal
, cada vez mais, uma
província espanhola
, desrespeitando as promessasfeitas nas
Cortes de Tomar
.A
partir 
de
1620
 
cresceu
o
descontentamento popular
, tendo-se dado
várias revoltas populares
emdiversos lugares do país. Entre estes levantamentos populares, destacou-se o
motim de Évora
em
1637
,mais conhecido por “
Revolta do Manuelinho
” que se
deveu
ao
lançamento
de
umnovo imposto
 
sobre
o
povo
. A rebelião alastrou-se a
outros pontos
do
país
, em particular ao
Algarve
.
 
Devido ao facto das promessas feitas nas
Cortes de Tomar
terem deixado de ser cumpridas,especialmente no reinado de
Filipe III
, toda a população portuguesa tinha motivos de queixa:
o povo
: sobrecarregado de impostos, passava por grandes dificuldades
a burguesia
: em especial, a
ligada
ao
comércio
do
Brasil
, via diminuir os seus negócios devido àconcorrência dos holandeses, ingleses e franceses
a nobreza
: empobrecia devido à redução das suas rendas e à perda dos cargos de Estado. Por outro lado, estava em risco de ser mobilizada para as guerras que a Espanha travava na EuropaPor tudo isto, a
nobreza
e alguns
burgueses
começaram a reunir-se secretamente contra o domínioespanhol.
E, no dia
1 de Dezembro de 1640
, um
grupo de fidalgos armados
dirigiu-se ao
Palácio da Ribeira
onde residia a
Duquesa de Mântua
, vice-rainhae
altos funcionários
, como o secretário de estado, Miguel de Vasconcelos.
Morto
o
secretário
e
presa
a
vice-rainha
, as
tropas espanholas
, em
Lisboa
,renderam-se sem resistência. De seguida, o
povoaclamou
no
Terreiro do Paço
,o
novo rei
D. João IV
, neto de D. Catarina de Bragança. Assim, estava
restaurada
a
independência
 
de
 
Portugal
.
Mas a situação no país, no início do reinado de
D. João IV
, era má. Com efeito,
encontrava-se semexército
e
sem fortificações
e os
domínios do seu império
estavam
ocupados
pelos
inimigos
de
Espanha
. Por outro lado, a
Coroa portuguesa
esperava que, a todo o momento,
Espanha
reagisse à
restauração
da
independência
A
guerra
era
inevitável
.Em
1644
deu-se o
primeiro confronto
entre
Espanha
e
Portugal
e
por iniciativa
das
tropasportuguesas
. Estas,
comandadas
por 
Matias de Albuquerque
, entraram em território espanhol e
bateram
as
forças inimigas
na
batalha de Montijo
.
 
As
principais batalhas
 
deram-se entre
 
1659
e
1664
,
durante
o
reinado
de
D. Afonso VI
(
1656-1667
).Entre as
grandes batalhas
da Restauração, a do
Ameixial
(
1663
) e a de
Montes Claros
(
1665
), foramdecisivas para o sucesso militar português. No decorrer do conflito,
D. João IV
e o
seu sucessor
 
D. Afonso VI
 
tiveram
de
reorganizarmilitarmente
o país. Assim,
contrataram soldados estrangeiros
,
construíram
e
restauraramfortalezas
e
castelos fronteiriços
com
Espanha
, principalmente nas
Beiras
e no
Alentejo
.Para além dos esforços no campo militar,
D. João IV
e
D. Afonso VI
enviaram embaixadores a vários países para conseguir 
apoio militar
(
soldados
,
armas
 
e munições
e
ver reconhecida
a
restauração daindependência
). Procuraram
recuperar territórios
 
ocupados
pelos holandeses, no Brasil, Angola, S.Tomé e noutras regiões.O êxito de Portugal na
Guerra da Restauração
foi o resultado do apoio de alguns países, sobretudo deInglaterra e da ação do
Conde de Castelo Melhor
(
ministro
de
D. Afonso VI
) que então, dirigia a política externa.O
tratado de paz
entre
Portugal
e a
Espanha
 
foi assinado
em
1668
, no
tempo
de
 D. Pedro II
.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->