Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
16Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Nova Consolidação Normativa CGJ-RJ

Nova Consolidação Normativa CGJ-RJ

Ratings:

4.78

(9)
|Views: 25,999|Likes:
Nova Consolidação Normativa da Corregedoria Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro
Nova Consolidação Normativa da Corregedoria Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

More info:

Published by: John Klaus Kanenberg on Feb 03, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See More
See less

02/01/2013

pdf

original

 
 
Ano 1
227/2009 Data de Disponibilização: quinta-feira, 13 de agosto
70
 
Caderno I
Administrativo
 
Data de Publicação: sexta-feira, 14 de agosto
Publicação Oficial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro
Lei Federal nº 11.419/2006, art. 4º e Resolução TJ/OE nº 10/2008.
 
Art. 428. Os Juízos de Direito com competência na matéria deInfância, Juventude e Idoso manterão cadastro atualizado dosColaboradores e Orientadores Voluntários.§ 1º. A Corregedoria Geral da Justiça manterá cadastropermanente dos Colaboradores Voluntários de todas asComarcas.§ 2º. Os dados do cadastro são sigilosos, somente podendo serinformados ao próprio interessado ou mediante autorização doCorregedor-Geral da Justiça.§ 3º. Na hipótese de apurar-se fato que recomende oafastamento de Colaborador Voluntário poderão determiná-lotanto o Juiz a que esteja subordinado como o Corregedor-Geralda Justiça.Art. 429. O cartão de identificação de Colaborador e OrientadorVoluntário será emitido em modelo expedido exclusivamentepelo Corregedor-Geral da Justiça e numerado em ordemcrescente, devendo os dados relativos ao credenciamento serregistrados no cadastro informatizado.Parágrafo único. Na hipótese de extravio, furto ou roubo docartão de identificação, ou outros motivos equivalentes, ocolaborador requererá segunda via em petição circunstanciadaao Juiz da Comarca, comprovando também que procedeu àscomunicações devidas.Art. 430. O voluntário descredenciado devolverá, em 24 (vinte equatro) horas, os autos e demais documentos que lhe tenhamsido confiados e, de imediato, o seu Cartão de Identificação, sobpena de apreensão e conseqüente responsabilidade.Art. 431. Os Juízes deverão observar os procedimentos paracredenciamento de Colaboradores Voluntários da Infância, daJuventude e do Idoso, e de Orientadores Voluntários, cuidandopara que o processo de seleção de candidatos seja revestido detodas as cautelas necessárias, observados os requisitos exigidospara habilitação.Seção XIIDo Perito JudicialArt. 432. A Corregedoria Geral da Justiça regulamentará efiscalizará o exercício da atividade pericial através deProvimento.
Processo: 2009-026395Assunto: ESTUDOS DESENVOLVIDOS PARA ELABORAÇÃODA NOVA CONSOLIDAÇÃO NORMATIVA DACORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA COM ATRIBUIÇÃO NAMATÉRIA EXTRAJUDICIALCGJ
NUCLEO DOS JUÍZES AUXILIARES
 
P A R E C E R 
 Trata-se de procedimento administrativo deflagrado para aelaboração de nova Consolidação Normativa da CorregedoriaGeral da Justiça em matéria Extrajudicial, que resultou naedição do Provimento nº 12/2009.A suspensão da vigência do referido Provimento, determinadapelas Resoluções nº 01/2009 e nº 02/2009 e pela redaçãooriginal do Provimento CGJ nº 50/2009, permitiu minuciosaverificação da consolidação sugerida, bem como um estudoaprofundado sobre as necessidades normativas da PrimeiraInstância do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro.Nesse passo, seguindo as diretrizes fixadas pelo Exmo.Corregedor-Geral da Justiça, realizaram-se reuniões com todosos setores da Corregedoria, servidores de todas asespecialidades e com Magistrados experientes nas diversasmatérias reguladas.Seguiu-se revisão cuidadosa, ratificando e reforçando pontosrelevantes já estabelecidos e, considerando a elevada qualidadedo texto anterior, foram apenas inseridos os conceitosestratégicos definidos pelo Exmo. Corregedor Geral da Justiça.Nesse passo, segue em anexo o texto final já alterado eexaminado para publicação.É o parecer que submetemos à elevada consideração de VossaExcelência.Rio de Janeiro, 13 de agosto de 2009.
FERNANDO CERQUEIRA CHAGASJuiz Auxiliar da CorregedoriaPAULO CÉSAR VIEIRA DE CARVALHO FILHOJuiz Auxiliar da CorregedoriaALEXANDRE DE CARVALHO MESQUITAJuiz Auxiliar da CorregedoriaEDUARDO PEREZ OBERGJuiz Auxiliar da CorregedoriaEDUARDA MONTEIRO DE CASTRO SOUZA CAMPOSJuiz Auxiliar da CorregedoriaLUIZ EDUARDO DE CASTRO NEVESJuiz Auxiliar da CorregedoriaGUSTAVO QUINTANILHA TELLES DE MENEZESJuiz Auxiliar da CorregedoriaD E C I S Ã O
 Acolho o parecer dos Juízes Auxiliares da Corregedoria, ficandoo prazo de vigência da Consolidação Normativa da CorregedoriaGeral da Justiça definido como sendo 24 de agosto de 2009, edetermino a republicação dos Provimentos CGJ nº 12/2009 e nº50/2009, com as redações atualizadas.Rio de Janeiro, 13 de agosto de 2009.
Desembargador ROBERTO WIDER Corregedor-Geral da JustiçaPROVIMENTO CGJ Nº. 12/2009
O Desembargador LUIZ ZVEITER, Corregedor-Geral da Justiçado Estado do Rio de Janeiro, no exercício das atribuições que lhesão conferidas pelo inciso XX, do art. 44, do Código deOrganização e Divisão Judiciárias do Estado do Rio de Janeiro:CONSIDERANDO que a Corregedoria Geral da Justiça do Estadodo Rio de Janeiro desempenha as competências e atribuiçõesestabelecidas na legislação pertinente, cabendo aoCorregedor-Geral conduzir a gestão de modo a proporcionar ascondições necessárias para normatizar, coordenar, orientar efiscalizar as atividades judiciárias de primeira instância eextrajudiciais, racionalizando no sentido da prestação eficiente eeficaz;CONSIDERANDO que cabe à Corregedoria Geral da Justiça oestabelecimento de medidas para melhorar a prestação dosServiços Notariais e Registrais;
Data: 13/08/2009 21:52:20. Local: TJ-RJ
 
 
Ano 1
227/2009 Data de Disponibilização: quinta-feira, 13 de agosto
71
 
Caderno I
Administrativo
 
Data de Publicação: sexta-feira, 14 de agosto
Publicação Oficial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro
Lei Federal nº 11.419/2006, art. 4º e Resolução TJ/OE nº 10/2008.
 
CONSIDERANDO a necessidade de proporcionar meios eficazesde controles e segurança aos atos praticados pelos ServiçosExtrajudiciais;CONSIDERANDO a constante necessidade de aperfeiçoar osprocedimentos fiscalizatórios dos Serviços Extrajudiciais;CONSIDERANDO a multiplicidade dos atos normativos expedidospor esta Corregedoria, formalizados, dentre outros, por meio deResolução, Provimento, Avisos e Pareceres;CONSIDERANDO que essa multiplicidade de normas dificultasobremaneira a pesquisa dos mencionados atos administrativosnormativos, contribuindo, inclusive, para que se adoteprocedimentos de forma diversa da estabelecida;CONSIDERANDO que essa situação somente será solucionadacom a consolidação das citadas normas e a inclusão de outrasainda não disciplinadas, o que deverá ser sistematizadomediante uma Consolidação Normativa mais atualizada;CONSIDERANDO que a Consolidação Normativa vigente teve aúltima atualização através da Resolução n.º 03/2.006, quealterou apenas alguns dispositivos legais;CONSIDERANDO que a mutação das normas e da jurisprudêncianacional, exige que se promova a devida adequação damencionada Consolidação à legislação em vigor, inclusive,adaptando-se ao novo Código Civil e as leis extravagantes;CONSIDERANDO a imprescindível necessidade de unificação,atualização, organização e padronização das diversas normasexistentes;CONSIDERANDO que tais medidas contribuirão para um melhoraproveitamento e compreensão das normas estabelecidas,facilitando sua consulta.RESOLVE:Artigo 1º. Fica aprovada a CONSOLIDAÇÃO NORMATIVA DACORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA, destinada aos ServiçosExtrajudiciais.Artigo 2º. Este Provimento entrará em vigor 60 (sessenta) diasapós a data de sua publicação, revogando-se as disposições emcontrário.Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2.009.
Desembargador LUIZ ZVEITER Corregedor-Geral da Justiça
CONSOLIDAÇÃO NORMATIVA DA CORREGEDORIA GERALDA JUSTIÇAPARTE GERALLIVRO IDA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇATÍTULO ÚNICODISPOSIÇÕES GERAISCAPÍTULO ÚNICODOS ATOS NORMATIVOSArt. 1º. A Corregedoria Geral da Justiça, órgão de planejamento,supervisão, coordenação, orientação e fiscalização dasatividades administrativas e funcionais dos ServiçosExtrajudiciais é representada pelo DesembargadorCorregedor-Geral da Justiça, nos termos dos artigos 44 a 48 doLivro I, Título II, Capítulo III, do Código de Organização eDivisão Judiciárias do Estado do Rio de Janeiro (CODJERJ).Art. 2º. No cumprimento de suas funções, o Corregedor-Geralda Justiça expedirá, observada sequência anual:I - Provimento - instrumento de caráter normativo interno eexterno, por meio do qual a Corregedoria Geral da Justiçaorganiza seus órgãos e atividades, inclusive privatização edesativação de Serviço Extrajudicial, visando regulamentar,esclarecer e viabilizar a aplicação de disposições legais, bemcomo para consolidar normas atinentes a matéria de suacompetência ou modificar a Consolidação Normativa, com afinalidade de normatizar os atos concernentes aos ServiçosExtrajudiciais;II - Portaria - instrumento utilizado para aplicar disposiçõeslegais a casos concretos; designar Responsável pelo Expedienteou Encarregado pelo Expediente e Interventor perante ServiçoExtrajudicial, bem como substituto de Serviço Oficializado;designar Servidores e delegar competência para o desempenhode funções, ou instaurar sindicância, procedimentoadministrativo disciplinar ou outro evento de naturezaapuratória;III - Convocação - instrumento pelo qual se convoca Notários eRegistradores para participarem de atividades administrativas;IV - Aviso - instrumento de divulgação de notícias de interessegeral, normas, instruções ou orientações uniformizadas voltadaspara grupos ou atividades específicos ou não, nos âmbitosinterno e externo;V - Ordem de Serviço - instrumento utilizado para transmitir, noâmbito interno da unidade organizacional, ordens uniformes aosrespectivos subordinados, visando organizar as atividades daestrutura interna, indicando a maneira de ser conduzidodeterminado serviço ou atividade, eVI - Ato Reservado - instrumento por meio do qual oCorregedor-Geral da Justiça dá ciência aos Notários eRegistradores de decisões judiciais, exaradas em processos judiciais ou administrativos, que tramitam em segredo de justiça.§ 1º. Os Juízes de Direito e os Juízes Substitutos poderãoexpedir ou baixar os atos constantes dos incisos II e V,observados os limites do exercício de suas atribuiçõesadministrativas.§ 2º. Os atos disciplinados nos incisos I, II, III e IV do
caput 
 deste artigo tornar-se-ão públicos mediante publicação no Diárioda Justiça Eletrônico. Os demais ganharão publicidade por meiode veículo próprio.§ 3º. A Ordem de Serviço proveniente de Juiz de Direito terásua eficácia sujeita à prévia aprovação do Corregedor-Geral daJustiça.Art. 3º. Além dos atos citados no artigo anterior, serãoexpedidos pelas unidades organizacionais da Corregedoria osseguintes atos:I - Memorando - instrumento que estabelece a comunicaçãointerna entre as unidades organizacionais da Corregedoria,podendo conter solicitações, recomendações ou informações;
Data: 13/08/2009 21:52:22. Local: TJ-RJ
 
 
Ano 1
227/2009 Data de Disponibilização: quinta-feira, 13 de agosto
72
 
Caderno I
Administrativo
 
Data de Publicação: sexta-feira, 14 de agosto
Publicação Oficial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro
Lei Federal nº 11.419/2006, art. 4º e Resolução TJ/OE nº 10/2008.
 
II - Ofício - instrumento que estabelece comunicação comterceiros, fora do âmbito da Administração da Corregedoria,podendo conter solicitações, recomendações ou informações;III - Certidão - instrumento pelo qual a Administração afirma aexistência de fatos ou de situações que constam deassentamentos públicos;IV - Declaração - instrumento de afirmação da existência deuma situação ou de um fato, segundo a constatação do agentedeclarante, que não consta de qualquer livro, pastas oudocumentos em poder da Instituição, eV - Atestado - instrumento destinado à comprovação, mediantevaloração do agente, de situação ou de fato transeunteconcernente à Administração, mas que não consta de qualquerlivro, pastas ou documentos em poder da Instituição.Parágrafo único. A emissão de memorando deve ser realizadapor correio eletrônico com a solicitação de confirmação deleitura pelo destinatário, exceto quando houver anexos que nãopossam ser digitalizados, devendo, neste caso, seguir viasistema corporativo de protocolo administrativo - PROT.LIVRO IIDOS SERVIÇOS EXTRAJUDICIAISTÍTULO ISERVIÇOS EXTRAJUDICIAISCAPÍTULO IDISPOSIÇÕES GERAISSeção IDas definições e atribuições dos Serviços ExtrajudiciaisArt. 4º. Os Serviços Extrajudiciais são exercidos em caráterprivado, por delegação do Poder Público, de organização técnicae administrativa, destinados a garantir a publicidade,autenticidade, segurança e eficácia dos atos jurídicos (art. 236,caput e parágrafos da CRFB/88; art. 1º da Lei nº. 8.935/94).Art. 5º. Os Serviços Extrajudiciais Oficializados serãoprivatizados na medida em que forem providos por concursopúblico, nos termos da Lei nº. 8.935/94, ou por determinaçãodo Corregedor-Geral da Justiça, que nomeará Responsável peloExpediente.Art. 6º. Os Titulares/Delegatários e Responsáveis peloExpediente deverão rescindir o contrato de trabalho de todos osseus prepostos quando ocorrerem as seguintes hipóteses:I - aposentadoria facultativa;II - invalidez;III - renúncia da delegação;IV - remoção para outro Serviço;V - perda da delegação, eVI - dispensa da função de Responsável pelo Expediente.Art. 7º. As normas técnicas a serem observadas pelosTitulares/Delegatários, Responsáveis pelo Expediente ouInterventores são as estabelecidas nesta ConsolidaçãoNormativa, subsidiariamente à legislação em vigor.Art. 8º. É dever dos Titulares/Delegatários, Responsáveis peloExpediente ou Interventores manterem-se atualizados emrelação à legislação aplicável à função, verificando e observandoas edições, alterações e revogações das leis e regulamentos,bem como as decisões emanadas pela Corregedoria Geral daJustiça.Art. 9º. O ingresso na atividade notarial e de registro dar-se-áatravés de concurso público de provas e títulos, não sepermitindo que o Serviço Extrajudicial fique vago, sem aberturade concurso de provimento ou de remoção, por mais de seismeses. (art. 236, caput e parágrafos da CRFB/88).Art. 10. O Notário e o Registrador têm o dever de transmitir aoseu sucessor os livros, papéis, registros, em bom estado deconservação, banco de dados e programas de informáticasinstalados, bem como a senha e dados necessários ao acesso detais programas, garantindo a continuidade da prestação doserviço de forma adequada e eficiente, sem interrupção.Parágrafo único. O sucessor, a qualquer título, da prestação doserviço notarial e/ou de registro, deverá ressarcir o antecessorde todo material de consumo de sua propriedade que estiversendo utilizado, bem como do uso de imóvel, utensílios, linhastelefônicas,
software
e instalações de que for locatário,proprietário ou utende, constitutivos do acervo indispensável aofuncionamento do Serviço empregado na atividade delegada.Art. 11. Os Serviços Extrajudiciais possuem as seguintesatribuições:I - Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições eTutelas;(artigos 1º, § 1º, inciso I, e 29 a 113, todos da Lei nº.6.015/73; artigos 33 a 47 do Livro III, Título I, Capítulos VII eVIII, do CODJERJ)II - Registro Civil das Pessoas Jurídicas;(artigos 1º, § 1º, inciso II, e 114 a 126, todos da Lei nº.6.015/73; art. 32 do Livro III, Título I, Capítulo VI, do CODJERJ)III - Registro de Títulos e Documentos;(artigos 1º, § 1º, inciso III, e 127 a 131, todos da Lei nº.6.015/73; art. 31 do Livro III, Título I, Capítulo V, do CODJERJ)IV - Registro de Imóveis;(artigos 1º, inciso IV, e 167 a 288, todos da Lei nº. 6.015/73;artigos 25 a 30 do Livro III, Título I, Capítulo IV, do CODJERJ)V - Registro de Distribuição;(artigos 5º, inciso VII, e 13, ambos da Lei nº. 8.935/94; artigos9º ao 24 do Livro III, Título I, Capítulo III, do CODJERJ)VI - Tabelionato de Notas;(artigos 5º, inciso I, e 6º ao 9º, todos da Lei nº. 8.935/94;artigos 1º ao 7º do Livro III, Título I, Capítulo I, do CODJERJ)VII - Tabelionato de Notas e Registro de Contratos Marítimos, e(artigos 5º, inciso II, e10, ambos da Lei nº. 8.935/94; art. 8º doLivro III, Título I, Capítulo II, do CODJERJ)VIII - Tabelionato de Protesto de Títulos.(artigos 5º, inciso III, e 11, ambos da Lei nº. 8.935/94; art. 48do Livro III, Título I, Capítulo IX, do CODJERJ; Lei nº.9.492/97).Art. 12. Os Titulares dos Serviços Extrajudiciais denominam-se:I - Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdiçõese Tutelas;II - Oficial de Registro Civil das Pessoas Jurídicas;III - Oficial de Registro de Títulos e Documentos;IV - Oficial de Registro de Imóveis;V - Oficial de Registro de Distribuição;VI - Tabelião de Notas;VII - Tabelião e Oficial de Registro de Contratos Marítimos, e
Data: 13/08/2009 21:52:23. Local: TJ-RJ

Activity (16)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Rafaelle Do C. R liked this
Elias Sanglard added this note|
não dá p fazer o download gratuitamnte?
Popescu Vitor liked this
Bruna Gonçalves liked this
maiara171 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->