Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
75Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Como (Não) Escrever um Artigo Científico

Como (Não) Escrever um Artigo Científico

Ratings:

5.0

(6)
|Views: 13,791 |Likes:
The low quality of the technical and scientific writing among undergraduate and graduate students in Physics and Engineering is of great concern. The purpose of this work is to call attention to this problem and to provide guidelines for scientific writing by presenting suggestions so to prevent errors in its structure and style. To this end, we elaborate a model of norms, standards and specifications. Besides, we argue that the most important points for scientific writing are clarity, unity, organization, consistency and coherence in the ideas presented.
The low quality of the technical and scientific writing among undergraduate and graduate students in Physics and Engineering is of great concern. The purpose of this work is to call attention to this problem and to provide guidelines for scientific writing by presenting suggestions so to prevent errors in its structure and style. To this end, we elaborate a model of norms, standards and specifications. Besides, we argue that the most important points for scientific writing are clarity, unity, organization, consistency and coherence in the ideas presented.

More info:

Published by: José Felipe De Almeida on Feb 05, 2009
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/16/2013

pdf

text

original

 
Como (não) Escrever um ArtigoTécnico-Científico
 How (not) Write a Technical-Scientific Research Paper 
 )
José Felipe Almeida
1
, José Maria Filardo Bassalo
2
e Carlos Leonidas da S. S. Sobrinho
3
 
1
Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, PA, Brasil 
2
 Fundação Minerva, Belém, PA, Brasil 
2
Universidade Federal do Pará, PA, Brasil 
A baixa qualidade, com relação à escrita, das publicações técnico-científicas, principalmenteaquelas produzidas por graduandos da Física e da Engenharia, é um aspecto preocupante. Estetrabalho tem a finalidade de alertar sobre os cuidados que se deve ter na hora de escrever umtexto literário de cunho científico e apresenta algumas sugestões para que se evitem erros na suaestrutura literária. Trata-se do conteúdo de elaboração técnica no qual é discutido um modeloseguido de normas, padrões e especificações. Além disto, o mais importante para a escrita deartigos científicos é a clareza, a unicidade, a organização, a consistência e a coerência nas idéiasapresentadas.
Palavras-chave: Estrutura literária, Publicações científicas.
The low quality of the technical and scientific writing among undergraduate and graduatestudents in Physics and Engineering is of great concern. The purpose of this work is to callattention to this problem and to provide guidelines for scientific writing by presentingsuggestions so to prevent errors in its structure and style. To this end, we elaborate a model of norms, standards and specifications. Besides, we argue that the most important points for scientific writing are clarity, unity, organization, consistency and coherence in the ideas presented.
Keywords: Literary structure, Scientific publications.
1. Introdução
Um trabalho escrito nos moldes da literaturacienfica, quando publicado, representa acomunicação básica para o desenvolvimento daciência [1]. É através deste tipo de leitura que se busca informação, compara experimentos eapresenta resultados sobre uma determinada pesquisa. Portanto, os registros daquilo que setem como o maior bem da humanidade, oconhecimento, encontram-se na forma escrita.Sejam em revistas cienficas, livros e/oucapítulos de livros, artigos completos ou naforma de resumos, são sempre publicados com afinalidade de trazer algum tipo de contribuição para o conhecimento em qualquer categoria.Esses trabalhos ao serem submetidos passam por leitura e avaliação de revisores são nestasatividades que se verificam os vários problemasde escrita. Isto em todos os níveis acadêmicos:
 
relatórios da iniciação científica, dissertações demestrado e mesmo teses de doutorado,independentemente da nacionalidade ou idiomade origem.Torna-se difícil falar em escrever sem que sefale em ler. Em geral, os artigos publicados sãolidos na seguinte ordem: tulo; Resumo;Resultados (tabelas e figuras); Metodologia; e, por último, a Conclusão [2]. A pesquisa que tratadas afirmações acima revela que, para cada pessoa que lê um artigo completo, 10 lêem astabelas e figuras, 100 lêem o Resumo e 1000lêem somente o Título. Verifica-se com isso, quenão é só o problema de escrever bem, mas o dese criar o hábito da leitura – Ler e escrever sãoduas faces da mesma “moeda” de educação.Outra pesquisa [3] mostra que entre os mais de189 milhões de brasileiros, cerca de 26milhões de leitores ativos que lêem pelo menostrês livros por ano. Como resultado, cada brasileiro lê, em média, 1,8 livro/ano, diferentedos EUA (cinco livros per capita) ou da Europa(entre cinco a oito livros lidos pohabitante/ano). Portanto, a comunicação eficazdiferencia as pessoas na sociedade, em ummundo onde a disputa por algum destaque ésempre crescente. Seja na sala de aula, notrabalho ou até mesmo nas relações informais,ter lido muito e exercitado a escrita certamentecontribui com a qualidade dos relacionamentos ecom o nível das atividades desenvolvidas nessescontextos.Este artigo tem a finalidade de incentivar aescrita correta e de valorizar a leitura sobretrabalhos postados na literatura científica, deuma forma geral. Para isto, depois destaintrodução, optou-se pela seguinte divisão deconteúdos: a Seção 2 trata do envio de trabalhos,ou seja, a quem um determinado artigo deve ser endereçado – a um jornal, a uma revista ou a umcongresso, etc.; a Seção 3, intitulada poinstruções aos autores faz referência ao modelode como as seções devem ser organizadas e oque nelas se deve ter como foco, assim comodiscute os possíveis erros e dúvidas sobre o quese deve escrever, como, onde e quando; na Seção4 são apresentados os principais aspectos críticosde uma boa leitura e por isso foi colocada comoinstrução aos leitores; e, por fim, na Seção 5, sãofeitas as considerações finais (e não conclusão,como será justificado mais adiante) dos temasabordados nas Seções precedentes. Com estaabordagem, objetiva-se dar contribuição deenfoque literário, principalmente, para os alunosde cursos de Física e de Engenharia, em suascarreiras futuras.
2. Submissão de Artigo
Vários tipos de publicações estão disponíveis para a pesquisa. Dessa forma, a metodologiacientífica segue uma ordem em sua divulgaçãode conhecimentos. Por isso, sempre que se pretende submeter um trabalho escrito,esperando que seja publicado, deve-se anteslevar em conta o nível da pesquisa que se estárelatando, em uma determinada área, e ointeresse tetico do editor. É, portanto,importante que se tenha bem claro o interessedaquilo que se está propondo para publicar.A literatura científica se apresenta seguindouma hierarquia em seu banco de dados editorial. No topo das contribuições mais importanteseso os artigos de jornais cienficos quereportam pela primeira vez o resultado de pesquisas tidas como inéditas. O segundo maisimportante são livros e/ou capítulos de livros quesintetizam o conhecimento espefico potópicos e sugerem áreas para futuras pesquisas.Artigos publicados em revistas tipo
Magazines
,
 Letters
, ou
Transactions
, representam umacategoria de publicações para relatar trabalhosem andamento sobre pesquisas conhecidas, mascom um nível de contribuição elevado. Estasúltimas trazem rigor no julgamento deoriginalidade do trabalho, por isso muitas vezesapresentam trabalhos inéditos.Há ainda, os Congressos, as Conferências eos Simpósios que o outras categorias que podem frequentemente levar um artigo escrito à
 
 publicação em revistas, livros e/ou capítulos delivros, ou a um jornal científico. Estes eventossão muito importantes, principalmente paraquem está se iniciando na trajetória da pesquisa, pois usualmente aceitam abordagens queanalisam ou resumem informações já publicadase, por isso, passam a ser o alvo de interesse dealunos da Graduação. Estimular e incentivar a publicação de trabalhos desses alunos, nesseseventos, é valorizar a educão. Com esseintuito, vale direcionar uma disciplina demetodologia cienfica com um pico paraobservar estas formas de publicões de pesquisa, as quais têm normas, padrões, estilos eobjetivos diferenciados. Devido a essa falta deconhecimento, muitos autores de trabalhoscientíficos ficam surpresos quando seus artigossão rejeitados.
3. Instruções aos Autores
A Ciência exige todo e isto envolve a publicação de artigos científicos. Com esse pensamento, é importante que um estudanteconheça os fundamentos da literatura textual,relacionados com os artigos científicos. Existemvárias obras sobre esse tema, as quais valem à pena consultar [4], porém, quase tudo é voltado para acadêmicos da área de Educação e que, noentanto, muitos da área de Física e daEngenharia rejeitam o acesso. Seja por acharemque não é a sua ênfase de questões ou por nãoserem incentivados, mas, principalmente, pelafalta de contato com a leitura. Nesta Seção seráapresentada uma introdução ao modelo clássicoda literatura científica.
3.1. O Modelo
O significado da palavra modelo refere-se àquiloque serve de exemplo ou norma. Existem doismodelos referentes a uma publicação: o modelotécnico, o qual trata das normas técnicas e suaformatação, e o modelo literário, no qual existeuma estrutura literária com padrões e normasque permeiam a literatura textual. Este trabalhotrata apenas do modelo literário.
3.1.1. A Estrutura
 No modelo literário de um artigo da Engenhariaou de Física, as normas são acompanhadas determos específicos de sua área de abrangência.Por isso, a prática da leitura deve ser sempreincentivada, pois é lendo que se criam afinidadescom as palavras e é neste mundo introspectivoque se busca essências para que as idéias possamser escritas. Também, é nele que se vai muitoalém do significado de cada termo, pois se passaa intuir uma arquitetura onde a palavra escritaganha força de compreensão. Uma vez que esseelo, entre ler e escrever, fique estabelecido, acapacidade de organização de idéias induz aoque se concebe no poder da criação. Assim,quando o entendimento de um determinadoassunto é adquirido, cabe recorrer ao solosagrado das palavras e organizá-las naquilo quese chama de modelo literário.Considere-se agora um modelo cujaarquitetura é baseada em células elementares. Asletras o as lulas das palavras, que irãocompor sentenças e que se organizam em parágrafos. Neste modelo, os parágrafos são asformações básicas do que será a introdução, odesenvolvimento e a conclusão. Esta é aarquitetura do modelo usado na literaturaclássica e, portando, nas academias da ciência.Com essa forma, pode-se observar que existe um padrão de construção em todas as fases destetipo de obra literária. Por exemplo, os parágrafossão formados por sentenças e, nessa lógica, háuma sentea de introdução, uma (ou mais)sentença (s) de desenvolvimento e uma sentençade conclusão. Note-se, portanto, que se trata nada mais doque uma técnica utilizada para escrever, ou seja,a estrutura literária. De fato, verifica-se que cada parágrafo cumpre a mesma finalidade, ou seja,existe um parágrafo de introdução, um (ou mais) pagrafo (s) de desenvolvimento e um

Activity (75)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Juanita Ellison liked this
Ana Santos added this note
Muito bom, deveriam palestrar sobre o assunto.
Jair Francisco liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->