Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
2Activity

Table Of Contents

0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Rousseau - Rousseau e as Relações Internacionais

Rousseau - Rousseau e as Relações Internacionais

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 173 |Likes:
Published by willianf

More info:

Published by: willianf on Feb 06, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

10/16/2011

 
Tratado Sobre a Economia Política 
 
 A palavra economia vem do grego
oikos 
, “casa”, e
nomos 
, “lei”, ea princípio significava apenas a administração prudente e legítima deuma casa, tendo em vista o bem comum de toda a família. Posteriormente,o sentido do termo foi ampliado para denotar o governo da grande famíliarepresentada pelo Estado. Para distinguir essas duas acepções, elas sãodenominadas de
economia geral 
ou
 política 
e
economia privada 
ou
doméstica 
, esó a primeira é considerada no presente estudo.Mesmo se houvesse entre o Estado e a família uma analogia tãopróxima como a indicada por muitos autores, não se seguiria que as regrasde conduta apropriadas para uma dessas sociedades fossem igualmenteadequadas para a outra. Elas diferem demais em extensão para quepudessem ser reguladas do mesmo modo; e haverá sempre uma grandediferença entre a administração doméstica, em que um chefe de famíliapode decidir sobre tudo, e o governo civil, cujo chefe tudo vêpraticamente através de olhos alheios. Assim, para manter essa igualdadeo talento, a energia e todas as faculdades do chefe de família precisariamampliar-se em proporção à dimensão da sua família, e o espírito de ummonarca poderoso precisaria manter, comparativamente ao de uma pessoacomum, a proporção representada pelo seu império com respeito a umpatrimônio particular.Mas, como poderia o governo do Estado assemelhar-se ao dafamília quando é tão grande a diferença entre a base de um e a deoutro? Como o pai é fisicamente mais forte do que seus filhos, é razoáveladmitir que a autoridade paterna é estabelecida pela natureza. Nagrande família, porém, onde todos os membros são naturalmente iguais,a autoridade política, sendo puramente arbitrária no que se refere à sua
 Tratado Sobre aEconomia Política (1755)
 
4J
EAN
-J
 ACQUES
OUSSEAU
instituição, só pode basear-se em convenções, e assim só em virtudeda lei pode o governante exercer autoridade sobre os demais. Osdeveres de um chefe de família lhe são ditados por sentimentosnaturais, de tal forma que raramente lhe permitem negligenciá-los.Para os governantes não prevalece esse princípio, e eles têm obrigaçõesreais para com o povo apenas na medida em que prometeram obrigar-se,havendo o povo neste caso o direito de exigir o seu cumprimento.Outra diferença mais importante é que, como os filhos nada têm senãoo que recebem do pai, está claro que todos os direitos de propriedadepertencem a este, ou dele emanam; na grande família, porém, a situaçãoé a oposta, pois a administração geral é instituída apenas para garantira propriedade individual, que a antecede. O objetivo principal dotrabalho de toda família é preservar e aumentar o patrimônio do pai,para que ele possa algum dia distribuí-lo entre os filhos, não osempobrecendo, enquanto a riqueza estatal é só um meio, freqüentementemal compreendido, de manter os indivíduos em paz e bem estar. Emresumo, a pequena família tem por destino a extinção, resolvendo-seum dia em várias famílias de igual natureza; mas a grande família, que éo Estado, criada para perdurar para sempre na mesma condição, nãoprecisa aumentar, como acontece com a outra, para proporcionar umamultiplicação; basta que se mantenha, e não é difícil provar que qualqueraumento lhe traz mais desvantagens do que vantagens.No caso da família, está claro, por várias razões ligadas à suaprópria natureza, que o pai deve comandar. Em primeiro lugar, aautoridade não deve ser dividida igualmente entre pai e mãe. Já ogoverno precisa ser único, e sempre que a opinião se divide é precisoque uma voz predominante assuma a função de decidir. Em segundolugar, por menos importância que se dê às desvantagens peculiares àsmulheres, como elas ocasionam necessariamente intervalos inativos,esta é uma razão suficiente para excluí-las da autoridade suprema,pois quando o equilíbrio é perfeito basta uma palha para deslocar ospratos da balança. Além disso, o marido deve superintender a condutada esposa, porque para ele é importante ter a garantia de que os filhos,

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->