Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
54Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
CP NG5 DR3 Conviccao Firmeza Etica

CP NG5 DR3 Conviccao Firmeza Etica

Ratings:

4.75

(1)
|Views: 9,279|Likes:
Published by Pedro Vitória
Ficha EFA CP relativa ao NG5, DR3
Ficha EFA CP relativa ao NG5, DR3

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Pedro Vitória on Feb 07, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF or read online from Scribd
See more
See less

03/10/2013

pdf

 
Ética Empresarial e Responsabilidade Social
O Desenvolvimento Sustentável e o Imperativo da Transparência
O objectivo do
desenvolvimento sustentável
é “satisfazer as necessidades do presente semcomprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades”.As várias organizações existentes – forças impulsionadoras da sociedade – têm um importante papel adesempenhar para se atingir este objectivo. No entanto, nesta era de crescimento sem precedentes, atingir este objectivo pode parecer mais um ideal do que umarealidade. À medida que a economia se torna cada vez mais globalizada, surgem
novas oportunidades para a criaçãode prosperidade e aumento da qualidade de vida, em consequência do comércio, da partilha do conhecimento edo acesso às tecnologias
. No entanto, estas oportunidades
nem sempre estão disponíveis para uma população mundial
que se multiplicaconstantemente, sendo acompanhadas por 
novos riscos para a estabilidade do meio ambiente
. As estatísticas quecomprovam os melhoramentos ocorridos nas vidas de muitas pessoas em todo o planeta são, porém, contrabalançadas por informações alarmantes acerca do estado em que se encontra o meio ambiente e do fardo permanente da pobreza efome que exerce o seu peso sobre milhões de pessoas. Este
contraste
é responsável por um dos mais inquietantesdilemas do séc. XXI.Um dos principais desafios do
desenvolvimento sustentável implica escolhas e formas de pensar que sejam novas einovadoras
. Se o desenvolvimento do conhecimento e da tecnologia contribui, por um lado, para o crescimentoeconómico, por outro, pode contribuir para solucionar os riscos e as ameaças à sustentabilidade das nossas relaçõessociais, do meio ambiente e das economias. Os novos conhecimentos e as inovações em tecnologia, gestão e políticas públicas representam um desafio às organizações, fazendo com que estas alterem o impacto que as suas operações, produtos, serviços e actividades têm no planeta, nas pessoas e nas economias.A urgência e a magnitude destes riscos e ameaças para a nossa sustentabilidade colectiva, assim como as crescentesescolhas e oportunidades farão com que
a transparência das organizações na divulgação dos seus impactes nasustentabilidade global seja uma componente fundamental
nas relações com as partes interessadas, nas decisõessobre o investimento e nas restantes relações de mercado.Para apoiar esta expectativa, é necessária
uma estrutura de conceitos partilhada globalmente, uma linguagemconsistente e uma métrica largamente compreendida, a fim de comunicar de forma clara e transparente,questões relativas à sustentabilidade
.A transparência em relação à sustentabilidade das actividades das organizações é do interesse das várias partesinteressadas, incluindo as empresas, os sindicatos, as organizações não-governamentais, os investidores, os
CPFormadores:
Ana Paula Guerreiro e Pedro Vitória
1/8
Núcleo Gerador 5Convicção e Firmeza Ética
Unidade de Competência 5:
 
Avaliar a realidade à luz de uma ordem de valores consistente e actuar em conformidade.
DR3 – Identificar a convicção e firmeza ética como valores necessários para odesenvolvimento institucionalCritério de evidência:
- Identificar valores necessários para o desenvolvimento institucional;- Explorar posturas valorativas em contexto organizacional;- Contribuir para a construção de um código de conduta ético.
Nome: ______________________________________________________ 
Data
___/____/_____ 
Ficha
Direcção Regional de Educação do Centro
Escola Secundária com 3º Ciclo de Vagos
Curso EFA / Secundário – 2008/09
 
contabilistas, entre outros.
Proposta de trabalho 1
1.Tendo em conta o que foi até este momento, comente a seguinte figuraResposta:
 ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________ 
Sustentabilidade Empresarial e os Três P’s
A imagem do
tripé
é perfeita para entender asustentabilidade. No
tripé
estão contidos os aspectos
económicos
,
ambientais
e
sociais
, que devem interagir, de forma holística, parasatisfazer o conceito. Até meados da década de 70, uma empresa era sustentável se tivesse economicamente saudável,ou seja, tivesse um bom património e um lucro sempre crescente, mesmo que houvesse dívidas. Para um país, estemodelo de desenvolvimento incluía um contratempo social. Afinal, o desenvolvimento teria que incluir uma repartiçãoda riqueza gerada pelo crescimento económico, seja por meio de mais empregos criados, seja por mais serviços sociais para a população em geral. Esse critério, na maioria das vezes, é medido pelo 
 do país, oque para o novo modelo de desenvolvimento é uma medição limitada e pouco interessante.Por exemplo,
a perna ecológica
do tripé trouxe, então, um problema e uma constatação. Se os empresários e osgovernantes não cuidassem do aspecto ambiental podiam ficar carentes de matéria-prima e talvez, sem consumidor,além do fantasma de contribuir para a destruição do planetaTerra.Assim, o
triple bottom line
ficou também conhecido como
os 3 Ps
 
(People, Planet and Proift, ou, em português, PPL- Pessoas, Planeta e Lucro)
.É importante verificar que este modelo de desenvolvimento pode ser aplicado tanto de uma forma
macro
, para um paísou próprio planeta, como
micro
, sua casa ou uma pequena propriedade agrícola.
CPFormadores:
Ana Paula Guerreiro e Pedro Vitória
2/8
 
Otriple bottom lineouos 3 Ps(People, Planet and Profit / PPL - Pessoas, Planeta e Lucro)
People
Refere-se ao tratamento do capital humano de umaempresa ou sociedade: salários justos, adequação àlegislão do trabalho e um ambiente de trabalhoagradável. Também é imprescindível ter em atenção aosefeitos da actividade económica nas comunidadesvizinhas ao empreendimento.
Planet
Refere-se ao capital natural de uma empresa ousociedade. É a perna ambiental do tripé. Aqui éimportante pensar no pequeno, médio e longo prazo. A princípio, praticamente toda actividade económica temimpacto ambiental negativo. Nesse aspecto, a empresa oua sociedade deve pensar nas formas de amenizar ecompensar. Deve ser levado em conta a adequação àlegislação ambiental e a vários princípios discutidosactualmente como oProtocolo de Quioto.
Profit
É resultado económico positivo de uma empresa. Essa perna do tripé deve levar em conta os outros doisaspectos.
Proposta de trabalho 2
1.Que perna do tripé considera mais importante? Justifique.Resposta:
 ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________  ________________________________________________________________________________________________ 
A Ética das Organizações e das Empresas
Vamos agora referir-vos o papel de uma
organização internacional
, uma
ONG
, o
GLOBAL COMPACT
, cuja missão ésatisfazer esta necessidade, oferecendo uma estrutura credível para a elaboração dos relatórios de sustentabilidade, que possa ser utilizada pelas várias organizações independentemente da sua dimensão, sector ou localização.Esta parte, para já, de uma iniciativa voluntária, na qual as empresas se comprometem a alinhar as suas estratégias eoperações com dez princípios aceites universalmente em quatro áreas temáticas: direitos humanos, trabalho, ambiente ecorrupção.O
GLOBAL COMPACT
é a maior iniciativa da cidadania do mundo empresarial. Trata-se de um quadro de acções nosentido de construir a legitimação social de negócios e mercados. As empresas que aderem ao
GLOBAL COMPACT
 partilham a convicção de que as que as práticas comerciais baseadas nos princípios universais contribuem para aconstrução de um mercado global mais estável e sociedades mais justas, inclusivas e mais prósperas.As empresas, o comércio e o investimento são pilares essenciais para a paz e a prosperidade. Mas em muitas áreas asempresas têm graves dilemas tais como a exploração, a corrupção, a desigualdade, a exclusão e outras barreiras àinovação e ao espírito empreendedor.As acções das empresas responsáveis criam confiança e capital social, ao mesmo tempo que contribuem para odesenvolvimento sustentável e dos mercados.Participar no
GLOBAL COMPACT
implica que as empresas assumam incorporar os dez princípios nas actividades enegócios que a empresa realiza, tanto no país origem, como nas suas operações em todo o mundo.
CPFormadores:
Ana Paula Guerreiro e Pedro Vitória
3/8

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->