Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Harlequin Desejo 27 - Dinastias Os Danforth 05 -Tudo por Você - Kathryn Jesen

Harlequin Desejo 27 - Dinastias Os Danforth 05 -Tudo por Você - Kathryn Jesen

Ratings: (0)|Views: 282 |Likes:
Published by Edina Maciel

More info:

Published by: Edina Maciel on Jan 28, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/17/2013

pdf

text

original

 
Dinastias: Os Danforth 05
Tudo Por Você
Kathryn Jensen
A nova assistente de Ian Danforth estava escondendo alguma coisa. Alindíssima Katie O’Brien era muito segura de si, orgulhosa e misteriosa para ser uma sim- ples assistente.Numa questão de dias, Katie levou Ian do escritório para o quarto. Aindassim, seu coração continuava um enigma - e Ian iria desvendá-lo a qualquer preço.
Título original: The BossMan’s Fortune
Disponibilização: RitaDigitalização: SimoninhaRevisão: Ster Lopes
 
Tudo por você! Kathryn Jensen 
CAPÍTULO UM
Consegui senhor! A voz animada no celular de Ian Danforth lhedava a primeira boa notícia das últimas semanas.Depois de interromper seu exercício físico matinal, o jovem presidenteda Danforth & Danforth Import Company pegou a toalha de algodão egípcio,enxugou a testa suada e a jogou em torno do pescoço.— Excelente — exclamou, tentando recuperar o fôlego. — Quando elapode começar?Ela vem de uma agência de temporários, pode começarimediatamente. — Holly Francis, sua gerente de Recursos Humanos, pareciaaliviada. — Seu nome é Katie O'Brien. Já falei com ela e acho que vai lhe agra-dar. É uma moça muito segura, embora sem experiência em escritório.— Não preciso da biografia da mulher — Ian interrompeu impaciente.Ele girou um ombro para trás, depois o outro, para soltar os músculosretesados pelo exercício pesado. Calma, Danforth. Não era culpa da pobreHolly que sua assistente executiva tivesse saído tão repentinamente. E elatambém não poderia ser responsabilizada pelo que o havia magoado tãoprofundamente, nem pelos problemas de família que vinham repercutindo naempresa.Começou pelo seu pai, Abraham Danforth, que se candidatara aoSenado dos Estados Unidos. Depois disso, uma crise após a outra vinhaatingindo a distinta família da Geórgia e sua bem-sucedida empresa de impor-tação. A última gota d'água fora perder recentemente sua assistenteexecutiva. Mas nada disto justifica sua rispidez com Holly. Tentou suavizar seu tom de voz.— É apenas uma temporária. Contanto que possa atender ao telefone efazer arquivo, servirá até que você consiga uma substituta permanente.O corpo de uma moça havia sido encontrado no sótão de seus pais e adescoberta chocara a família inteira. A jovem era a filha problemática daempregada da casa, que havia morrido de uma longa doença. Em seguida,uma inexplicável explosão no prédio onde trabalhavam e a pressão vindo defontes suspeitas na Colômbia para que fossem trocados os fornecedores degrãos de café importados da D&D acabaram com seu bom humor.Graças ao dispositivo contra incêndios instalado desde a época daguerra em Savana, a matriz estava vazia quando a bomba explodiu.Ninguém se machucou. Ainda assim, um dos andares ficou muito danificado.E, como presidente, Ian sentia-se responsável pela segurança de seusempregados. A polícia ainda não fora capaz de descobrir quem plantara osexplosivos, mas tratava-se, obviamente, de um trabalho profissional, com ointuito de intimidar — para forçar Ian e sua família a tomar uma direção a queIan se recusava.— Vou me trocar e encontro com ela no quinto andar.— Vou encaminhá-la pessoalmente ao seu escritório.— Obrigado, Holly. Agradeço muito o seu esforço. — Desligou o celular efoi para o chuveiro.Perder a assistente sem nenhum aviso tornara a semana anterior um
2
 
Tudo por você! Kathryn Jensen 
inferno. Gloria trabalhava para ele desde que seu pai lhe passara a direção daempresa, como filho mais velho. Mas não porque estivesse muito velho paracontinuar a dirigir os negócios multimilionários de importação da família.Abraham, o veterano da guerra do Viet, duro feito o, encarava osdesafios como um der natural. Por isso, parecia inevitável que secandidatasse a um cargo público em algum momento de sua vida. Tendopassado dos 50, o momento parecia perfeito.Abe II, o Honesto — foi como a gerente da sua campanha o nomeara,ressaltando ao máximo sua reconhecida imagem de retidão. Agora, seriaimprescindível mantê-lo acima de qualquer desaprovão, resolvendopossíveis fontes de escândalo rapidamente e sem exposição à imprensa.Entretanto, neste meio tempo, Ian precisava manter a empresafuncionando. Além de supervisionar a parte de importação, Ian tambémgerenciava uma cadeia nacional de cafeterias, a D&D, que ele mesmofundara, como uma ramificação da empresa original de seu pai e de seu avô.Gloria era uma pedra preciosa. Sempre garantia que ele nãoesquecesse reuniões importantes e respondia pessoalmente às chamadastelefônicas inoportunas, mantendo a imprensa afastada quando as coisascomeçaram a ficar turbulentas para a família. Mas sua mãe ficou doente derepente, e ela, é claro, teve que socorrê-la. Ian soube que ela havia voltadopara Ohio para tomar conta da mãe. Precisava lembrar de pedir a Holly quelhe passasse o endereço dela. Iria mandar-lhe flores.Vinte minutos depois, Ian vestia um terno Armani feito de um levetecido tropical e descia do elevador no quinto andar. Murmurou um bom diapara rios funciorios que se encontravam ao longo do corredor eempurrou a pesada porta de madeira que dava acesso ao conjunto de salasda presidência.Uma moça, com volumosos cabelos ruivos ondulados, olhou para ele dosofá da recepção onde estava sentada, mostrando expectativa em seus olhosverdes. Parecia tremendamente jovem se comparada a Gloria.— Sr. Danforth, estou muito feliz por trabalhar com o senhor — disseela, de um só fôlego. Não pode imaginar como estou feliz pelaoportunidade de estar aqui, num escritório de verdade, fazendo... fazendo coi-sas importantes. Se houver qualquer coisa que deseje que eu faça, é só falar. Talvez a agência de temporários lhe tenha dito que eu não tenho muitaexperiência... — As palavras jorravam de sua boca de tal maneira que eletinha dificuldade em decifrá-las. — Mas aprendo rápido, e vou trabalhar commuito, muito afinco. Juro que não ficará desapontado...Ele recuou quando ela apertou sua mão. Ficou exausto só de ouvi-lafalar.— Pare! — ele gritou.Ela olhou espantada e ele perdeu o fôlego com a visão daqueles olhosde jade, como se o imobilizassem.— Eu disse alguma coisa errada? — ela perguntou.Ele se virou para abrir a porta de sua sala.— Você fala muito.— Como? — Ela o acompanhou até sua sala.Ele apontou uma cadeira para que ela sentasse.Srta. O’Brien. A Danforth & Cia. faz recrutamento e promõesinternas sempre que possível. Mantemos certa lealdade aos nossos
3

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->