Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
História Geral - Apostila Pré-Vestibular Vetor.pdf

História Geral - Apostila Pré-Vestibular Vetor.pdf

Ratings: (0)|Views: 615 |Likes:
Published by MarcioMarcz

More info:

Published by: MarcioMarcz on Feb 12, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/29/2013

pdf

text

original

 
Pré-Vestibular Comunitário VetorCalendário das aulas de História Geral em 2006:
1
a
Parte do Curso - Aulas com duração de uma hora:Aula n
o
. 0 - Apresentação e reflexão sobre o vestibularAula n
o
. 1 - O feudalismo e a crise do feudalismo na Europa ocidentalPaixão de CristoAula n
o
. 2 - A Formação dos estados nacionais, enfoque sobre o caso de PortugalAula n
o
. 3 - O Estado moderno: absolutismo e mercantilismoAula n
o
. 4 - O RenascimentoSemana SantaPrimeira aula especial: Passeio pelo centro histórico do Rio de JaneiroAula n
o
. 5 - A América pré-colombianaAula n
o
. 6 - A colonização da AméricaAula n
o
. 7 - As reformas religiosas na EuropaCorpus ChristiAula n
o
. 8 - As revoluções inglesasAula n
o
. 9 - A Revolução científica e o Iluminismo do século XVIIIAula n
o
. 10 - O Despotismo esclarecidoSegunda aula especial: VídeoAula n
o
. 11 - A Independência dos Estados UnidosAula n
o
. 12 - A Revolução industrial, aula 1: as causas da Revolução industrialAula n
o
. 13 - A Revolução industrial, aula 2: a revolução e suas conseqüênciasAula n
o
. 14 - A Revolução francesa, aula 1: causas da Revolução FrancesaAula n
o
. 15 - A Revolução francesa, aula 2: as eras das instituições e das antecipações2
a
parte do curso - aulas com duração de duas horas:Aula n
o
. 16 - O Império napoleônico e a independência dos países latino-americanosAula n
o
. 17 - As revoltas e revoluções, idéias e ideologias da Europa do século XIXAula n
o
. 18 - A industrialização da Europa continental e unificações italiana e alemãTerceira aula especial: Música e HistóriaAula n
o
. 19 - A guerra de Secessão americana e expansionismo dos EUAAula n
o
. 20 - O imperialismo na África e na ÁsiaAula n
o
. 21 - A América Latina no século XIX e a Revolução MexicanaAula n
o
. 22 - A primeira guerra mundialAula n
o
. 23 - A revolução russaAula n
o
. 24 - A crise de 1929 e a depressão dos anos 30Aula n
o
. 25 - Os fascismos e a segunda guerra mundialAula n
o
. 26 - A Guerra friaAula n
o
. 27 - A revolução chinesaAula n
o
. 28 - As lutas de libertação nacional na África e na ÁsiaAula n
o
. 29 - A América Latina contemporâneaAula n
o
. 30 - O Oriente Médio contemporâneo e o mundo árabeAula n
o
. 31 - O fim da URSS e a nova ordem mundial
 
Pré-vestibular comunitário Vetor
História Geral - Aula n
o
1 - O feudalismo e crise do feudalismo na Europa ocidental1. O Feudalismo, conceituação:. O que foi: Feudalismo foi o modo de organização da sociedade na Idade Média (séculos V ao XV) naEuropa. Sua característica maior é a servidão, relação social de produção onde há dependência e exploraçãoentre o senhor e o servo. Basicamente, o servo trabalhava nas terras do senhor e o senhor tinha que defender oservo. Vejamos outras características do feudalismo.. Descentralização política: Apesar de haver reis e reinos com grandes territórios, quem realmente tinha ocontrole das diversas regiões da Europa eram os senhores feudais, cada um tendo controle sobre o pequenosenhorio, estando a Europa dividida, portanto, em pequeníssimos estados, cada um com o seu senhor.. Produção para o consumo: Diferentemente do capitalismo, no regime feudal produziam-se bensessencialmente para o consumo dos habitantes do próprio senhorio. Assim, produzia-se apenas o pão que iriaser consumido no senhorio e não mais do que isso, a produção não era feita em função do comércio, apenas oexcedente de produção era vendido para o mercado.. Pequeno comércio e pouca movimentação de pessoas: O comércio entre as diversas regiões da Europaera pequeno assim como a movimentação das populações, principalmente na primeira parte da Idade Média, aAlta Idade Média (séculos V ao X). O comércio e a urbanização aumentaram na Baixa Idade Média (XI-XV).. Três ordens sociais: A sociedade medieval poderia ser dividida em três ordens ou grupos. Os quelavram, os camponeses que eram servos; os que guerreiam, a nobreza feudal que lutava nas guerras; e os queoram, o clero, membros da Igreja que, nesse período tinham grande prestígio. Tanto a nobreza – os cavaleiros– como o clero eram proprietários de terra e, portanto, senhores feudais.. Predomínio da Igreja romana e teocentrismo: A Igreja católica era muito poderosa nesse tempo,podendo ser considerada a maior força da Idade Média, mais que os reis e senhores feudais. Tudo nesseperíodo era explicado através da religião, de Deus e a superstição era muito forte entre todas as pessoas.. Condenação do lucro e da usura (juros) pela Igreja: Um ponto importante da doutrina da Igreja nesseperíodo era a condenação do lucro e da usura, que se tornaram empecilhos para o crescimento do artesanato ecomércio, tornando-se um ponto de conflito entre a Igreja e a burguesia que estava surgindo na Baixa IdadeMédia. Essa condenação do lucro e o fato de a produção não ser voltada para o comércio eram empecilhospara o desenvolvimento da burguesia.2. Crise e queda do feudalismo:. A Baixa Idade Média (XI-XV): Após o fim das invasões bárbaras da Alta Idade Média, a população naEuropa começa a crescer, levando em seguida à expansão do comércio e ao surgimento das cidades, o que iriatrazer grandes mudanças para a Europa.. Expansão do feudalismo: As inovações técnicas, o aumento da mão-de-obra e o fim das invasõespermitiram a produção de um excedente da produção nos senhorios que era vendido. Isso cria um certocomércio e uma classe mercantil, que transportava e comercializava essa produção. Novas terras começam aser exploradas e o feudalismo se expande, surgindo grandes movimentos mercantis como o comérciomarítimo e as Cruzadas, expansão do feudalismo europeu para o Oriente.. Feiras e burgos: Com o aumento do comércio, surgem as feiras, lugar onde se vendia o excedente deprodução dos senhorios. Elas logo cresceram e deixaram de ser temporárias para serem permanentes, virandocidades – ou burgos. Os comerciantes e artesãos que se estabeleciam nessa região compravam as terras dossenhores e faziam burgos livres dos senhores feudais. Para lá fugiriam os servos, reforçando a produçãodessas cidades.. Burguesia: O artesanato nas cidades se organizava através das corporações de ofício, que eram as uniõeshierarquizadas de artesãos que faziam um mesmo produto. Os chefes dessas corporações, mestres de ofício, eos comerciantes se enquadram no perfil da nova classe que estava surgindo, a burguesia.. Crise do século XIV: Nesse século, uma grande crise de fome, peste e guerras assola a Europa matandoum terço da sua população. Essa crise irá acentuar as modificações que já vinham ocorrendo no campo e,principalmente, irá acentuar a fuga de camponeses para as cidades.. Crise final do sistema: Com a fuga de servos para as cidades, a revolta de outros e a morte de maiscamponeses com a peste e a fome, os senhores feudais entram em crise e muitos vão perder seus postos. Asrelações no campo na Europa Ocidental não vão mais se basear na servidão. Era a decadência do feudalismo eo fim da Idade Média.
 
Pré-vestibular comunitário Vetor
História Geral - Aula n
o
2 - A formação dos estados nacionais, enfoque sobre Portugal1. A formação dos estados nacionais, características gerais:. Acordo entre nobreza, clero e burguesia: Com o enfraquecimento da classe feudal – os senhores de terra –,as monarquias vão conseguir se fortalecer no panorama europeu. As novas monarquias são chamadas deabsolutas, características da Era Moderna na Europa (séculos XV-XVIII). Essa monarquia ondeaparentemente o rei tem todo o poder do Estado é, na verdade, um Estado com a preponderância do clero e danobreza, tendo também a presença importante da burguesia.. Mercado nacional unificado: Interessa ao comércio e à produção dos burgos um estado nacional onde nãose precise pagar taxas para atravessar os senhorios (como acontecia na Idade Média), onde os pesos e medidassejam os mesmos em todo o território nacional e a moeda seja a mesma em todo o reino. Tudo isso écumprido no novo estado que está surgindo. O mercado nacional é unificado pelos interesses do comércio eda produção da burguesia.. Língua nacional: É nesse mesmo período que surgem as línguas nacionais européias. Elas são importantespara que todos no país se entendam na fala e na escrita e o Estado se faça presente em todo o território comuma língua comum. O surgimento das línguas nacionais é marcado pela publicação de grandes obras literáriasnacionais.. Redução do poder da Igreja e do papa: Se durante a Idade Média, o poder do papa se fazia presente emtoda a Europa fragmentada em pequenos senhorios, agora na Era Moderna, o poder papal encontrarádificuldade de se impor diante de poderosos estados nacionais. Há diversos conflitos entre a Igreja e osEstados recém-surgidos.. Casos particulares: Apesar de haver características gerais ao surgimento dessa nova forma de organizaçãopolítica, o estado nacional, cada país se unificou em condições específicas: A Espanha se unificou pela luta devárias casas de nobreza contra os muçulmanos na península ibérica, é a chamada guerra de
 Reconquista
. Nofinal do conflito, o rei de Aragão se casou com a rainha de Castela unificando o território; a França fortaleceua sua monarquia e o seu exército com a guerra dos cem anos contra a Inglaterra; a Inglaterra teve aespecificidade de manter forte os poderes regionais através do parlamento durante a Idade Média, que não eracompletamente submisso ao rei; Itália e Alemanha não conseguiram se unificar, só o fazendo no século XIX, já no contexto das revoluções burguesas.2. A unificação de Portugal:. Uma região voltada para o mar: Também dominada pelos mouros – muçulmanos ibéricos – assim comoa Espanha, Portugal surgiu na luta de Reconquista contra os mouros, que chegaram na península no séculoVIII. Desde cedo, Portugal mostrou uma forte tendência para a pesca e o comércio, visto que era o entrepostomarítimo entre as duas principais regiões de comércio da Europa, as cidades italianas e Flandres. Assim,conseguiu se organizar facilmente para a expulsão dos mouros. No século XII, todos já tinham sido expulsosda região, diferentemente da Espanha que só expulsou os últimos muçulmanos do seu território em 1492.. Feudalismo diferente, centralizado: O condado
Portucalense
surge como um estado vassalo de Castela,tornando-se independente em 1139. Portugal se caracterizava no início por ter um feudalismo muitocentralizado, diferente de outros feudalismos na Europa. O rei tinha mais poder do que em outras regiões daEuropa, o feudalismo iria acabar no país com a Revolução de Avis de 1385.. Decadência do feudalismo em Portugal: O rei era forte em Portugal e, opondo-se aos senhores feudais,faz um amplo incentivo à fuga dos servos e também a criação das feiras de comércio. Os senhores feudais vãose enfraquecer e desesperadamente tentam se aliar a Castela para manter o poder sobre os senhorios. Issodetona a guerra que trará a formação do moderno estado português, a chamada Revolução de Avis.. Revolução de Avis: Em uma disputa dinástica, dois postulantes ao trono se confrontam em uma guerra.A casa de Borgonha era aliada aos senhores feudais portugueses e ao poderoso reino de Castela. Do outrolado, Dom João da casa de
 Avis
, aliado dos comerciantes portugueses, dos pescadores e mestres de ofício. Avitória é de Dom João I e marca o fim do feudalismo em Portugal e o início do estado nacional monárquicoportuguês. Com essa unificação adiantada do país, os lusitanos serão o primeiro povo a navegar pelos oceanosem busca de riqueza. Nesse momento, Portugal é uma das regiões mais avançadas comercialmente da Europa,sendo o primeiro Estado a se unificar de fato.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->