Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
2Activity
P. 1
White Lie

White Lie

Ratings:

3.0

(1)
|Views: 293 |Likes:
Published by arl1975
Desde a primeira vez que ouvi falar dela, no princípio de minha adolescência, converti-me em devoto de
Ellen G. White e de seus escritos. Aprendi a escrever à máquina copiando porções de seu livro Mensagens
Aos Jovens. Na escola superior e na universidade com freqüência ia de alojamento em alojamento no
dormitório, reunindo citações de Ellen White dos outros estudantes para usá-las em minha preparação para
converter-me em ministro da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Foi por aqueles dias que concebi a idéia de
preparar um comentário Adventista compilando, dos escritos de Ellen White, todas as declarações
pertencentes a cada livro da Bíblia, cada doutrina, e cada personagem bíblico.

Enquanto trabalhava em meu projetado tomo quatro (as citações de Ellen White sobre doutrinas bíblicas),
por casualidade tropecei com algo interessante em Orlando, Flórida, onde eu era pastor da Kress Memorial
Church, chamada assim em honra dos doutores Daniel H. e Lauretta E. Kress, renomados pioneiros da obra
médica Adventista. A família Kress me presenteou com um antigo livro de Ellen White, Sketches From The
Life of Paul, publicado em 1883, mas que nunca foi reimpresso. Quando um dia mostrei este livro a um
membro da igreja, disse-me que o problema do livro era que se parecia demasiado a outro que não tinha sido
escrito por Ellen White, e que nunca tinha sido reimpresso por causa da estreita similitude entre os dois.
Sendo de mente inquisitiva, fiz um estudo comparativo e descobri que algumas das críticas pareciam ser
verdadeiras.
Desde a primeira vez que ouvi falar dela, no princípio de minha adolescência, converti-me em devoto de
Ellen G. White e de seus escritos. Aprendi a escrever à máquina copiando porções de seu livro Mensagens
Aos Jovens. Na escola superior e na universidade com freqüência ia de alojamento em alojamento no
dormitório, reunindo citações de Ellen White dos outros estudantes para usá-las em minha preparação para
converter-me em ministro da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Foi por aqueles dias que concebi a idéia de
preparar um comentário Adventista compilando, dos escritos de Ellen White, todas as declarações
pertencentes a cada livro da Bíblia, cada doutrina, e cada personagem bíblico.

Enquanto trabalhava em meu projetado tomo quatro (as citações de Ellen White sobre doutrinas bíblicas),
por casualidade tropecei com algo interessante em Orlando, Flórida, onde eu era pastor da Kress Memorial
Church, chamada assim em honra dos doutores Daniel H. e Lauretta E. Kress, renomados pioneiros da obra
médica Adventista. A família Kress me presenteou com um antigo livro de Ellen White, Sketches From The
Life of Paul, publicado em 1883, mas que nunca foi reimpresso. Quando um dia mostrei este livro a um
membro da igreja, disse-me que o problema do livro era que se parecia demasiado a outro que não tinha sido
escrito por Ellen White, e que nunca tinha sido reimpresso por causa da estreita similitude entre os dois.
Sendo de mente inquisitiva, fiz um estudo comparativo e descobri que algumas das críticas pareciam ser
verdadeiras.

More info:

Published by: arl1975 on Feb 19, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

01/28/2013

 
www.averdadeacimadetudo.com averdadeacimadetudo@gmail.com
 Atenção
 Em alguns locais a leitura do texto poderá tornar-se um pouco difícil, tendo em vista a tradução ser um pouco truncada, mas nada que impeça a compreenção do texto original. Sendo assim, solicitamos ao prezado leitor, compreeenção quando isto acontecer. A Mentira Branca
Por Walter T. Rea
1982.
Extraído e Traduzido de The
 Ellen White Web Site
(http://www.ellenwhite.org/)
 
 
Introdução 
 
Capítulo 1 - Como Mudar a História 
 
Capítulo 2 - Fechem A Porta 
 
Capítulo 3 - Como Ellen White Se Tornou Conhecida Como Profeta 
 
Capítulo 4 - Desaparecida, Mas Não Esquecida 
 
Capítulo 5 - Aquela Estante Alto -
Patriarcas e Profetas
 
 
Capítulo 6 - Fontes Que Utilizou -
O ‘Desejado de Todas as Nações
 
 
Capítulo 7 - Nova Luz do Branco -
Fatos dos Apóstolos
 
 
Capítulo 8 - A Evasão do Branco -
O Grande Conflito
 
 
Capítulo 9 - Restos e Retalhos -
Profetas e Reis - E Coisas Variadas
 
 
Capítulo 10 - O Fim de Todas as Coisas 
 
Capítulo 11 - Uma Questão de Ética 
 
Capítulo 12 - A Vida Tem Seus Incidentes 
 
Capítulo 13 - É Possível Salvar Este Matrimônio? 
 
Capítulo 14 - Deus, O Ouro, ou A Glória
 
Epílogo
 
Apêndice - A Conferência Bíblica de 1919
 
 A Mentira Branca
(Por Walter T. Rea 1982)
Extraído e Traduzido The
 Ellen White Web Site
 
2
www.averdadeacimadetudo.com averdadeacimadetudo@gmail.com
 Introdução
 Desde a primeira vez que ouvi falar dela, no princípio de minha adolescência, converti-me em devoto deEllen G. White e de seus escritos. Aprendi a escrever à máquina copiando porções de seu livro MensagensAos Jovens. Na escola superior e na universidade com freqüência ia de alojamento em alojamento nodormitório, reunindo citações de Ellen White dos outros estudantes para usá-las em minha preparação paraconverter-me em ministro da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Foi por aqueles dias que concebi a idéia depreparar um comentário Adventista compilando, dos escritos de Ellen White, todas as declaraçõespertencentes a cada livro da Bíblia, cada doutrina, e cada personagem bíblico.No começo de minha vida ministerial (que se iniciou na parte central da Califórnia, em fins da década de1940), compilei dois tomos de biografias bíblicas do Antigo Testamento e do Novo Testamento,incorporando em cada artigo as citações pertinentes encontradas na obras de Ellen White. Algumas pessoasproeminentes da igreja me estimularam neste projeto, e pensaram que o Ellen G. White Estate poderiapublicar estas coleções para que fossem usadas no clube de livros que a igreja dirigia nesses dias. Depois demuito tempo e muito intercâmbio de correspondência, finalmente me dei conta de que tinha sido ingênuo eque o White Estate não tinha a menor intenção de colaborar desta maneira com ninguém que parecesse estarinvadindo seu terreno. De maneira bem clara, fizeram-me saber que eles possuíam essa "franquia celestial" eque olhariam com maus olhos a qualquer um que pisasse em seu território.
1
.No entanto, e de maneira independente, publiquei dois tomos de biografias bíblicas, e um terceiro tomo sobreDaniel e o Apocalipse, todos baseados nas obras de Ellen White. Cedo estes livros se venderam na maioriadas livrarias Adventistas, e foram usados em muitas escolas e universidades de Norte América.O pessoal do White Estate não se sentiu muito feliz com tudo isto, e chamaram o departamento de minhaunião regional e dos presidentes de conferências locais sobre o tema. Depois de algum tira e afrouxa, todosestiveram de acordo em que os livros podiam ser vendidos se eu mantivesse um perfil baixo, porquanto detodos os modos eles não criam que meus livros seriam aceitos em grande escala. No entanto, em anossubseqüentes, venderam-se dezenas de milhares.Enquanto trabalhava em meu projetado tomo quatro (as citações de Ellen White sobre doutrinas bíblicas),por casualidade tropecei com algo interessante em Orlando, Flórida, onde eu era pastor da Kress MemorialChurch, chamada assim em honra dos doutores Daniel H. e Lauretta E. Kress, renomados pioneiros da obramédica Adventista. A família Kress me presenteou com um antigo livro de Ellen White,
Sketches From The Life of Paul
, publicado em 1883, mas que nunca foi reimpresso. Quando um dia mostrei este livro a ummembro da igreja, disse-me que o problema do livro era que se parecia demasiado a outro que
não
tinha sidoescrito por Ellen White, e que nunca tinha sido reimpresso por causa da estreita similitude entre os dois.Sendo de mente inquisitiva, fiz um estudo comparativo e descobri que algumas das críticas pareciam serverdadeiras.
2
 Mais tarde, depois que fui transferido para a Califórnia, os membros da família de Wellesley P. Magan,também de pioneiros Adventistas estabelecidos, foram membros de minha congregação. Com a morte daviúva do pai de Wellesley, Lillian E. Magan, presentearam-me com um livro da biblioteca da família Magan
“Eliseu, o Profeta”
- escrito por Alfred Edersheim.
3
Na folha de guarda aparecia a assinatura de EllenWhite. Então, devido ao meu constante uso dos livros de Ellen White, tinha-me familiarizado tanto com eles,que em seguida reconheci a similitude de palavra e de pensamento ao examinar o livro de Edersheim.Ainda mais tarde, enquanto estudava na Universidade do Sul da Califórnia, para obter o grau de Doutor emFilosofia, sobressaltei-me ao tropeçar com uma obra de sete tomos sobre a história do Antigo Testamento,escrita pelo mesmo Edersheim.
4
Desta vez encontrei, nos tomos um ao quatro, que os títulos e subtítulos decapítulo, e os encabeçados de página de Edersheim, eram paralelos, e muitas vezes quase idênticos, aostítulos de capítulo do livro Patriarcas e Profetas (1890), de Ellen White. Tempo e estudo mostraram queobviamente a Sra. White obtivera ajuda liberal destas obras adicionais de Edersheim. Uma investigação
 
 A Mentira Branca
(Por Walter T. Rea 1982)
Extraído e Traduzido The
 Ellen White Web Site
 
3
www.averdadeacimadetudo.com averdadeacimadetudo@gmail.com
ulterior revelaria que Edersheim tinha escrito também uma história do Novo Testamento sobre a vida deCristo, e que nesta obra, também, havia similitudes adicionais com o livro O Desejado de Todas as Nações,da Sra. White.
5
 Ainda que perturbadores, estes achados não eram demasiado inquietantes para mim nesse tempo, porque oWhite Estate, em Washington, sempre parecia ter desculpas para os "empréstimos" de Ellen White. Foisomente quando Bruce Weaver, um jovem seminarista na Universidade Adventista de Andrews emMichigan descobriu um arquivo sem marcar contendo meu trabalho e minhas comparações (materialduplicado guardado na biblioteca do White Estate) que as coisas começaram a adquirir o aspecto de umconto de mistério. O White Estate acusou a Bruce de roubar o material da biblioteca, ainda que ele só otivesse copiado e devolvido. Ao final, Bruce foi despedido do seminário e do ministério, mas não antes quetivesse tomado parte significativa no drama.O que Bruce encontrou no arquivo não foi somente meu material e as críticas dele, senão também cópias dealgumas cartas internas do White Estate, escritas por Robert W. Olson e Arthur L. White, que revelavam apreocupação destes homens do escritório de Washington a respeito da descoberta, por parte de Bruce, domaterial que eu lhes estivera enviando como evidência de que Ellen White tinha copiado material alheio.Ambos os homens tinham posto por escrito suas sugestões para manejar o problema Rea. Anos subseqüentesrevelaram que eles haviam adotado o método de Arthur White, que era, em essência, aplicar táticas dilatóriase tanta pressão e linguagem de duplo sentido tanto quanto fosse possível.Olson se dedicou a fazer uma campanha verbal num máximo esforço por suavizar o impacto que meusachados estavam começando a ter, porque pessoas de várias regiões da América Norte já estavam solicitandoa evidência encontrada durante minhas investigações. Numa apresentação que Olson fez, numa tarde de janeiro de 1979, na Universidade de Loma Linda, na Califórnia, alguém no auditório perguntou a respeito deempréstimos, por parte de Ellen White, de fontes publicadas. A resposta de Olson foi no sentido de que nadadisso era verdade, que todos seus escritos eram dela. Depois, adicionou que tinha algum ministro naCalifórnia do Sul fazendo ondas com alegações a respeito de que ela tinha tomado material emprestado paraseu livro chave
"O Desejado de Todas as Nações",
mas que nenhum desses rumores era verdadeiro.Dizer que fiquei estupefato depois da reunião é pouco. Nesse mesmo momento, em meu arquivo já tinhavárias cartas desse mesmo Olson animando-me a continuar enviando-lhe minhas comparações entre EllenWhite e seus contemporâneos. Ademais, tinha falado comigo pessoalmente quando esteve na Califórnia faziasó pouco tempo, e tinha-me arrancado a promessa de que não publicaria nenhum relatório sobre meutrabalho senão até que ele e o pessoal da direção do Ellen G. White Estate tivessem tempo adicional paraexaminar o material. Eu tinha acedido à sua solicitação, e o fato do acordo fora registrado no memorandointerno que ele escreveu depois, o qual eu possuía em meus arquivos.Assim que agora eu sabia que Robert Olson, ou tinha muito má memória, ou estava dizendo uma mentirabranca. Em qualquer caso, era óbvio que os diretores do White Estate sabiam muito mais do que diziam.Os arquivos do White Estate se tinham referido a um livro escrito por William Hanna, chamado
The Life of Christ.
6
Antes de vinte e quatro horas depois da reunião de Loma Linda, eu já havia obtido uma cópia dolivro de Hanna. Desde esse momento em adiante, aprendi mais do que jamais quis saber.
Spectrum
, um diário publicado independentemente pela Association of Adventist Forums, fez um relato dosantecedentes de uma reunião de comitê de Janeiro de 1980, em Glendale, Califórnia. Esta reunião foraconvocada por Neal C. Wilson, então presidente da Conferência Geral, atendendo às minhas instâncias deque se considerasse o alcance dos achados em relação com a dívida literária de Ellen White. Dezoito dosrepresentantes da igreja nomeados declararam que o explicitado por minha investigação era de proporçõesalarmantes, mas que o estudo deveria continuar com ajuda adicional.
7
 

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->