Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
2Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
ami3

ami3

Ratings: (0)|Views: 50|Likes:
Published by Karine Lopes

More info:

Published by: Karine Lopes on Feb 24, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

04/18/2013

pdf

text

original

 
 
 
 
 ENCONTRO E DESENCONTRO
 
 Não podia acreditar finalmente a nave de Ami surgia sobre as rochas da praianuma noite iluminada de estrelas. Minha alma estava novamente feliz. A espera haviasido muito longa, porém agora tudo voltava a estar bem no Universo.O raio de luz amarela surgiu e eu me deixei içar por ele até que cheguei aointerior do veículo cósmico, em uma pequena sala de recepção. Em minha mente sóestava Vinka, minha noiva extraterrestre, minha alma gêmea. Voltaríamos a nosencontrar após uma triste separação. Meu coração ia batendo acelerado de alegria.- Bem vindo abordo – disse-me sorridente um estranho jovem que apareceu antemim para receber-me. Isso me pareceu muito raro, porque eu esperava ver ali a Amiou Vinka.- Ami não pode vir desta vez. Mas, entre Pedro, já falaremos.Trava-se de um magro e esbelto menino, muito mais alto que eu, queevidentemente, pertencia a raça de Vinka, os swamas. Como ela, tinha a pele rosada,os olhos cor violeta e as orelhas pontiagudas na parte superior.- Vinka está abordo? – perguntei antes de ingressar no salão de comandos.- Sim, aqui está. Entre para que a veja.Suspirei aliviado e feliz, e logo entrei. Lá estava aquele olhar mágico, ao fundodo recinto. Vinka estava esplendida. Meu peito se encheu de ternura e de meu sorriso brotaram faíscas de luz. Mas... ela não me olhou com simpatia senão com frieza. Nãomostrou a menor intenção de vir para mim, nem manifestou alegria alguma ante oreencontro, me observava séria desde longe. Nem sequer saudou-me! Comecei asentir uma espécie de angustia. O jovem caminhou até ela e Vinka lhe brindou comum sorriso que era todo mel... Pra ele sim, e pra mim não! Depois, ele parou ao seulado, tomou minha companheira pelo ombro e com um olhar cruel de triunfo, disse:- Houve um erro. Não existem almas gêmeas de mundos diferentes. Nós viemosdo planeta Kía, e você é terrícola, portanto, ela não é tua alma gêmea, senão minha – e começou a lhe dar um interminável beijo na boca... Enquanto Vinka lhe acariciava anuca e lhe arranhava as costas com paixão...Eu senti que me destroçava por dentro e quis chorar, mas não podia fazer nada,estava paralisado. Vinka me havia deixado por outro garoto, um grande, um homem já, de uns dezessete ou dezoito anos, como elas gostam, e não um nanico de menos dedoze, como eu. Nesse momento escutei umas batidas.
 
- Pedro.Com uma forte dor no coração e na alma, abri os olhos. Estava em meu quarto nacasa de praia.
 Ah... era outra vez esse pesadelo”...
eu disse, agradecendo interiormente aminha avó por haver-me despertado, e comecei a sentir me mais sereno.- É hora de levantar-se. Eu tenho que ir para minha aula de Yoga e alguém deveficar aqui acordado.- Sim. Já vou, vovó.- Depois tenho que atender uma cliente ao meio dia, portanto, vou chegar um pouco tarde para fazer o almoço. Poderia acender o forno às doze? Dentro está o pastel de batatas. Eu me ocupo do resto quando chegar.- Sim, vovó, não há problema.- Então até a volta, Pedrinho. Se cuida.Sim, esse era o estado de minha alma pessimista e impaciente durante aqueletempo de espera. A medida que os dias passavam sem novidades de Ami nem deVinka, com maior freqüência me assaltava o mesmo espantoso pesadelo. Porém sóisso: um mau sonho, por sorte...Minha avó teve um “ataque de rejuvenescimento”. Fazia Yoga, tomava vitaminas,se vestia mais juvenilmente e retomou seus antigos ofícios, não sei se cabeleireira,cosmetóloga, depiladora ou algo assim. Agora passava muito menos tempo em casa,aliás, aproveitava para trabalhar no balneário fazendo visitas a domicilio. Isso nos permitiu dispor de mais recursos e podíamos ficar na casa de praia por todo o verão.Quando chegamos, eu pensava que Ami e sua nave espacial estariam de regressonos primeiros dias da temporada, mas fiquei inutilmente quase dois meses esperandonas rochas onde nos encontramos nas ocasiões anteriores. As férias estavam por terminar, logo regressaamos para a cidade e, ainda nada... Essa triste esperaconverteu meu descanso em algo deprimente, interminável, eterno.Todos os dias, ia para as rochas da praia e ficava observando o céu durante horas,até o começo da noite, com o desejo de ver um objeto voador. Cada luzinha que semovia lá no alto me fazia saltar de esperança o coração, mas sempre resultava ser umdesilusionante satélite, um estúpido meteorito ou um miserável avião, e não a nave deAmi, único meio capaz de aproximar-me de Vinka.Vinka... Como desejava voltar a vê-la... Havia ficado em mim tão profundamente,que me parecia haver estado eternamente unido a ela, apesar de nos conhecermosapenas uns meses antes e nos vimos só durante menos de um dia, mas suficiente.Entre nós aconteceu uma atração irresistível. E poucas horas depois chegamos acompreender que nossas almas são metades de um mesmo ser; somos almas gêmeas.Por isso mesmo a separação me afetou muito, e acredito que à ela também, lembravadela todos os dias, todos. Desde o momento em que a vi pela primeira vez, dali emdiante, sempre estive pensando nela, com a sensação de sua presença dentro de mim a

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->