Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O conceito de avaliação

O conceito de avaliação

Ratings: (0)|Views: 1 |Likes:
Published by Angélica Campos

More info:

Published by: Angélica Campos on Feb 25, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/25/2013

pdf

text

original

 
O conceito de avaliação: mudar é preciso
O tema “avaliação da aprendizagem” é um assunto incessante na sociedade
contemporânea, reflexo de debates e opiniões lançadas por educadores e profissionais da área
da educação. Em seu artigo “Avaliação e Mudança: Necessidades e Resistências”, Júlio Cé
sarFurtado expões ideias relevantes para a promoção de práticas educativas consistentes, quevisem à aprendizagem significativa do alunado.De acordo com o seu pensamento, o conceito de avaliação figura como uma incógnita queretoma as Cruzadas medievais. O questionamento acerca do ato de avaliar gira em torno dapromoção da aprendizagem, na medida em que não haja apenas a transmissão pura doconhecimento, e sim o vislumbre e apreciação ao estudo e ao ensinar. Mas os primórdios daeducação mostram o contrário. Documentos como o Ratio Studiorum e a Didática Magna deComenius ilustram uma prática avaliativa imposta, rígida e descompromissada com a relaçãoprofessor/aluno.Faz-se necessário que a concepção do ato avaliativo se transforme. Assim, passaria avincular-se com o processo constante de observação, que promova a realização de metas, odiagnóstico das imperfeições na aprendizagem do aluno e medidas que possam sanar estasdificuldades.Avaliar de forma consciente e eficaz é resultado de uma prática voltada para o sucesso doaluno e para o promover de sua formação crítico-cidadã. Infelizmente, a avaliação quepermeia a comunidade atual é herança de uma sociedade burguesa, na qual a competitividadeé soberana e a classificação ganha caráter excludente, como mecanismos de manutenção dos
mais “aptos” aos status sociais.
 O ensino que se apresenta leva em consideração o estado em que se encontra o aluno edesconsidera sua trajetória de estudos quando o assunto é avaliar. Sendo assim, o processoavaliativo apresenta caráter inerte. Como resultado desse sistema, advém a alienação do
discente e seu “insucesso” na vida profissional.
 Afim de quebrantar este paradigma que assombra o processo de avaliação, é urgenteperceber e efetivar uma nova postura do corpo docente acerca de suas práticas avaliativas.Desse modo, o professor verá que a prova como uma verificação, para constatar se seutrabalho está sendo eficiente no sentido de favorecer o sucesso de seu discente. O mito da
avaliação “
bicho-
papão”, aos poucos, daria lugar à consciência esclarecida de um processo
comprometido com a dinâmica ético-social.Mas, para implementar esta nova visão sobre o avaliar, é preciso romper a ordem socialvigente, na qual está pautada. Para tanto, o professor deve engajar-se na luta contra aresistência social (e escolar!) a esta necessidade de mudança. Avaliar reque incitar a prática
docente; não somente o “passar conteúdo”, mas enxergar no outro a possibilidade de sua
realização pessoal. E, ainda, deve voltar-se para a ética, para a construção da cidadania,centrada na aprendizagem coletiva e de qualidade, sem que haja exclusão.Em última análise, mudar o preceito de avaliação exige a mudança de consciência referenteao cultivo de um ambiente social mais justo e igualitário. Este seria o objetivo da verdadeira

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->