Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
55Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Como redigir e propor um editorial, uma crônica, um texto narrativo, uma descriçaõ e uma dissertação

Como redigir e propor um editorial, uma crônica, um texto narrativo, uma descriçaõ e uma dissertação

Ratings:

4.5

(2)
|Views: 12,965 |Likes:
Published by logkgdf
nº8
nº8

More info:

Published by: logkgdf on Mar 03, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/13/2013

pdf

text

original

 
 MODALIDADES TEXTUAIS – LEITURA, INTERPRETAÇÃO E PRODUÇÃO TEXTUAL.(PARA A AULA DO DIA 05/3/2009)O grupo deverá ler cada modalidade textual, interpretar e tirar asdúvidas para no próximo encontro haver produção e análise textualsobre cada modalidade.
1.
Como redigir e propor um editorial:
Conceito: É uma forma de redação que veicula a opinião do jornal ou,especificando mais, da direção do órgão jornalístico.Características: É de caráter opinativo e, assim, aproxima-se dadissertação e distingue-se da informação (notícia) e da recreação.
 
Naredação do editorial, tomem sempre o cuidado de contextualizar osfatos. A mídia corporativa preza por apresentar notíciasdescontextualizadas, para que sua interpretação seja feita apenas porquem já se presta a estudar seu contexto; É preciso sempre apresentara maior quantidade de informação relevante possível no editorial,sempre que o assunto o permita. Por apresentar a opinião da direção dojornal, o traz, via de regra, assinatura. E por isso, o tom doeditorial é, quanto possível,
impessoal.
A linguagem do Editorial é amesma que caracteriza a dissertação, ou seja, INTRODUÇÃO, EXPLANAÇÃO eCONCLUSÃO.Para propor um editorial, basta que vocês escrevam um textocurto (de um ou dois parágrafos aproximadamente - mas que, a dependerdo assunto, pode chegar a três parágrafos razoavelmente curtos) com asinformações mais importantes do assunto em questão. Em geral, partamde algum texto publicado ou então de alguma denúncia ou tema de seuinteresse.É muito importante que os editoriais sejam sintéticos eobjetivos. Em geral, as primeiras frases devem ser objetivas eresponder às 6 questões:
O que? Quem? Onde? Quando? Como? Por quê? 
Porexemplo:
"Desde o dia 28/08 (quando), os estudantes (quem) de Salvador (onde)têm saído às ruas para protestar contra o aumento das tarifas dosônibus (o quê), que passaram de R$1,30 para R$1,50 (por quê). Astáticas mais utilizadas nas manifestações foram impedir a circulaçãodos ônibus e entrar pela porta da frente, para o pagar pelotransporte.
Além do texto, a proposta deve conter atalhos com pelo menosuma, mas de preferência mais de uma matéria onde a informação é maiscompleta. Pode haver atalhos para marias afins, para outroseditoriais mais antigos que tratem do mesmo assunto, etc.
2.
Como redigir e propor uma crônica:
Definição: Etimologicamente, o termo
crônica
liga-se ao grego
crónos
quesignifica tempo. É o relato de fatos dispostos em ordem cronológica, isto é,na ordem de sua sucessão, de seu desenvolvimento. Nessa acepção,crônica é um gênero literário histórico que se desenvolveu na Europa,durante a época medieval e renascentista. Os cronistas preocupavam-secom o simples relatar dos fatos, não lhes investigando as causas e osefeitos. Atualmente, a crônica é um tipo de relato que, se desenvolve noBrasil, por influência do romantismo francês, com o desenvolvimento da
 
imprensa, ou seja, crônica seria “considerações do cronista a respeito defatos correntes e marcantes do dia-a-dia”.Características: Os fatos do quotidiano, os acontecimentos diários é queensejam reflexões ao cronista. O nível da referencialidade liga-se ao tempocircundante. A matéria é leve e de extensão limitada. O cronista emite umavisão subjetiva, pessoal e mesmo crítica. Há o uso de linguagem coloquial,às vezes sentimental, ou emotiva ou, às vezes, irônica, sarcástica, crítica.Espécies: Fala-se em 3 formas de crônica:1)Crônica -Comentário: Elaboração em pessoa, linguagem direta,simples e despojada. Apresenta fatos geradores da história e reflexão.Há ausência de forma fixa de composição.2)Crônica Lírica: Elaboração em 1ª pessoa, ausência de forma fixa decomposição, linguagem sentimental e coloquial, ausência de um eixocentralizador, visão sentimental da realidade interna ou externa.3)Crônica Narrativa: Elaborão em ou pessoa, forma decomposição predominante (narração, exposição e diálogo), linguagemhumorística, irônica, presença de um eixo (fatos geradores dahistória), predomínio de uma história leve, divertida, de ritmo rápido,final inesperado.3.
Como redigir e propor um texto narrativo:
Conceito: É o relato de fatos ordenados em sequência lógica, com inclusãode personagens. É a modalidade de redação na qual contamos um ou maisfatos que ocorrem em determinado tempo e lugar, envolvendo certospersonagens. Exemplo:São elementos fundamentais da narração: o fato, o episódio ou o incidente(o quê?); a personagem ou personagens envolvidos nele (quem?). Ocorre,contudo, a presença facultativa de outras circunstâncias, segundo oseguinte esquema:Como? – modo como se desenvolvem os fatos.Onde? – local ou locais da ocorrência.Quando? – tempo, época ou momento em que se passa o fato.Por quê? – causa ou motivo do acontecimento.Por isso – consequência ou resultado. Todavia, nem sempre é necessária a presença de todos os elementos acimapara que a narração seja completa.
 
A narração não é exclusividade de contos, romances e outras formas deexpressão em prosa. Ela aparece também em versos, nos poemas, letras demúsica.É fácil identificar as fases da narrativa (exposição, clímax e desfecho), bemcomo a marcação do tempo, feita através das expressões adverbiais: umdia, então, depois, agora etc. A narração é caracterizada pelo emprego dos
verbos de ação
que traduzem a movimentação das personagens no espaçoe no tempo, bem como a sucessão dos fatos em função do enredo.ESTRUTURA (FASES) DE UMA NARRAÇÃO: APRESENTAÇÃO, COMPLICAÇÃO,CLÍMAX e DESFECHO.PARDALZINHOO pardalzinho nasceuLivre. Quebraram-lhe a asaApresentaçãoSacha lhe deu uma casa,Água, comida e carinhos,ComplicaçãoForam cuidados em vão;A casa era uma prisão,O pardalzinho morreu.ClímaxO corpo Sacha enterrouNo jardim; a alma, essa voouPara o céu dos passarinhos!Desfecho(Bandeira, 1974:265)ESPÉCIES DE NARRAÇÃO:a)História do nero humano relatos verídicos ou imagirios defatos, episódios transmitidos através das gerações.b)Biografia ou autobiografias – relatos da vida de personagens ilustresou relatos da vida do próprio autor; tem o nome de
memórias
(costumes e circunstâncias de determinada época);
 perfil
quando selimita aos traços característicos da pessoa em questão, geralmenterelatados de maneira irônica ou divertida.c)Contos, novelas, romances, anedotas – de maneira geral, resultam daimaginação de seus autores.d)Entrevistas e reportagens As entrevistas o constitdas,basicamente, de episódios, de depoimentos da pessoa entrevistada.As reportagens sejam policiais, de eventos culturais, de viagens ouacontecimentos inusitados, baseiam-se nos
fatos
, que são a matériada narração.

Activity (55)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Dinamar Castro liked this
Dinamar Castro liked this
Bruna Grasse liked this
Rosilete Nery liked this
Luísa Camargo liked this
Ana Lidia liked this
Milena Ribeiro liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->