Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Construindo O Plano De Estágio Em Psicologia Comunitária.

Construindo O Plano De Estágio Em Psicologia Comunitária.

Ratings: (0)|Views: 51 |Likes:
O trabalho em Psicologia Comunitária nos faz pensar, desenvolver, implantar e implementar novas técnicas, fundamentais para a atuação do psicólogo em diversos contextos, na visão do ser humano como sujeito da história e no entendimento do indivíduo e dos grupos como membros indissociáveis. No trabalho com a comunidade podemos promover novas formas de subjetividade, possibilitando a construção de novos sentidos, novos registros diante do sofrimento humano, pois, fazer Psicologia Comunitária é estudar as condições internas e externas ao homem que o impedem de ser sujeito e, as condições que o fazem sujeito numa comunidade, ao mesmo tempo que, no ato de compreender, se trabalha com esse homem a partir dessas condições, na construção de sua singularidade bio-psico-sócio-cultural.
O trabalho em Psicologia Comunitária nos faz pensar, desenvolver, implantar e implementar novas técnicas, fundamentais para a atuação do psicólogo em diversos contextos, na visão do ser humano como sujeito da história e no entendimento do indivíduo e dos grupos como membros indissociáveis. No trabalho com a comunidade podemos promover novas formas de subjetividade, possibilitando a construção de novos sentidos, novos registros diante do sofrimento humano, pois, fazer Psicologia Comunitária é estudar as condições internas e externas ao homem que o impedem de ser sujeito e, as condições que o fazem sujeito numa comunidade, ao mesmo tempo que, no ato de compreender, se trabalha com esse homem a partir dessas condições, na construção de sua singularidade bio-psico-sócio-cultural.

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Soraia de Figueiró de Lima on Mar 10, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/05/2013

pdf

text

original

 
3SUMÁRIOINTRODUÇÃO 071.
 
DADOS DE IDENTIFICAÇÃO1.0. Nome Do Estagiário1.1. Coordenador Do Estágio1.2. Supervisor Acadêmico1.3. Período Do Estágio1.4. Área De Concentração1.5. Turnos De Trabalho1.6. Público-alvo1.7. Local Do Estágio
 – 
Base De Desenvolvimento Do Plano1.8. Endereço/Telefone1.9. Responsável Local1.10. Nome Da Atividade1.11. Pró-Reitoria/Coordenadoria/Centro/Campi/Núcleo1.12. Número Do Centro De Custo1.13. Classificação Da Atividade1.14. Área De Conhecimento1.14.0. Área Temática1.14.1. Linha De Extensão1.15. Responsável1.15.0. Fone1.15.1. E
’m
ail0909090909090909090909090909090909090909092.
 
CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO2.0. Descrição Da Estrutura e Funcionamento Do Local2.0.0. Público Atendido Pela Instituição2.0.1. Histórico2.0.2. Missão2.0.3. Objetivos Da Instituição2.0.4. Estrutura Física Da Instituição2.0.5. Serviços Oferecidos2.1. Aspectos Dinâmicos E Entendimento Do FuncionamentoInstitucional101010101010111112
 
42.1.0. Procedimentos2.1.1. Funcionamento E Estrutura Hierárquica2.1.2. Dinâmica Instituição X População2.1.3. Objetivos Acadêmicos Gerais121213133.
 
ANTECEDENTES HISTÓRICOS3.0. FUNDAMENTOS TEÓRICOS SOBRE A VIOLÊNCIA3.0.0. Apresentação3.0.1. Explicações Teóricas Sobre O Fenômeno Da Violência3.0.1.0. Etologia3.0.1.1. Psicanálise3.0.1.2. Behaviorismo3.0.1.3. Aprendizagem Social3.0.1.4. Cognitivismo Neo-Associacionista3.0.1.5. O Processamento Da Informação Social3.0.1.6. Interacionismo Social3.0.1.7. Modelo Geral Da Agressão Baseado EmEstruturas De Conhecimento
 
3.1. IMPLICAÇÕES NA E DA VIOLÊNCIA3.2. DIMENSÕES DA VIOLÊNCIA3.2.0. Dimensões Econômicas e Sociais3.2.1. Dimensões Simbólicas3.2.2. Dimensões Corporais3.3. FATORES DE PRODUÇÃO DA VIOLÊNCIA3.3.0. Fator Estrutural3.3.1. Fator De Resistência3.3.2. Fator Da Delinqüência3.4. JUSTIFICATIVA3.5. OBJETIVOS3.5.0. Objetivo Geral3.5.1. Objetivos Específicos3.6. RECURSOS HUMANOS3.7. RESULTADOS GLOBAIS ESPERADOS3.7.0. Resultados Quantitativos3.7.0.1. Procedimentos Administrativos E Operacionais1415151616171818192022222526262626272727272829292930313131
 
53.7.0.2. Cursos3.7.0.3. Eventos3.7.0.4. Prestação De Serviços3.7.0.5. Publicações E Outros Produtos Acadêmicos DeExtensão3.7.1. Resultados Qualitativos3.8. PARCERIAS FORMAIS E INFORMAIS3131313131324.0. PROGRAMA DE ATIVIDADES4.0.0. Projeto Defesa A Vida - PDV4.0.0.0. Público Alvo4.0.0.1. Justificativa4.0.0.2. Objetivos Específicos Da Intervenção4.0.0.2.0. Objetivos Específicos Do Acadêmico4.0.0.3. Investimento4.0.0.4. Estrutura Física4.0.0.5. Instrumentos4.0.0.6. Procedimentos4.0.0.7. Fluxograma4.0.0.8. Resultados Esperados4.0.1. Oficina Violência Não4.0.1.0. Público Alvo4.0.1.1. Justificativa4.0.1.2. Objetivos Específicos Da Intervenção4.0.1.2.0. Objetivos Específicos Do Acadêmico4.0.1.3. Investimento4.0.1.4. Estrutura Física4.0.1.5. Instrumentos4.0.1.6. Procedimentos4.0.1.7. Fluxograma4.0.1.8. Resultados Esperados4.0.2. Oficina Kronos
 – 
Laboratório Vivencial4.0.2.0. Público Alvo4.0.2.1. Justificativa4.0.2.2. Objetivos Específicos Da Intervenção333535353636373737373839404040414242424242434343434344

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->