Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
00951_10_Decisao_jalves_APL-TC.pdf

00951_10_Decisao_jalves_APL-TC.pdf

Ratings: (0)|Views: 57|Likes:

More info:

Published by: Tribunal de Contas do Estado da Paraíba on Mar 26, 2013
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/26/2013

pdf

text

original

 
 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC 00951/10
1/5
Origem:
Prefeitura Municipal de Campina Grande
Natureza:
Denúncia
Denunciantes:
Inez Cândido Borges da Silva Leite, Jackeline Freitas e Silva, Verônica Chaves Góese Laniza Ferreira Almeida
Advogado:
Anaximandro de Albuquerque Siqueira Sousa
Denunciado:
Veneziano Vital do Rêgo Segundo Neto
Interessado:
Romero Rodrigues Veiga
Relator:
Conselheiro André Carlo Torres Pontes
EMBARGOS DE DECLARAÇÃO.
Município de Campina Grande.Decisão que, dentre outras deliberações, aplicou multa à autoridadeomissa e fixou novo prazo à atual gestão municipal para restabelecimentoda legalidade. Omissão ventilada. Inexistência. Conhecimento dosembargos. Não provimento. Manutenção da decisão.
ACÓRDÃO APL – TC 00134/13RELATÓRIO
Cuida-se da análise de embargos de declaração manejados pelas servidoras públicasdenunciantes acima referidas, por intermédio de procurador constituído, sustentando haver omissão noAcórdão APL - TC 00097/13, proferido por esta Corte de Contas quando da verificação decumprimento do Acórdão APL - TC 00238/12.Em síntese, segundo as alegações dos embargos, houve omissão no julgado acima,porquanto, ao fixar novo prazo para o restabelecimento da legalidade, deixou-se de fazer menção adispositivos da Lei Municipal 2.378/1992 (art. 42, § 4º; art. 63, IV; arts. 69 e 70) e do DecretoMunicipal 3.325/2008. Ao final da peça recursal, reivindicam o seguinte:
“... que seja corrigida a omissão, contradição ou obscuridade no item 3 do Acórdão APL TC 00097/13 apenas no sentido de também fazer consignar a obrigação do atual gestor daPMCG, em cumprir o disposto no artigo 42, § 4º, artigo 63, inciso IV e artigos 69 e 70 da Lei Municipal n.º 2.378/1992 (Estatuto do Servidor da PMCG) e o disposto no Decreto Municipal n.º 3.325/2008, determinando que também seja implantada a referida gratificação por Produção e
 
 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC 00951/10
2/5
Produtividade nos contracheques/folhas de pagamento dos 06 (seis) denunciantes (Auditores deContas Públicas e Contadores concursados da PMCG), no prazo de até 90 (noventa) dias, conforme já estipulado no v. Acórdão embargado.”
Na sequência, em razão do que dispõe o art. 229, do Regimento Interno desta Corte deContas, foi agendado o julgamento para a presente sessão, comunicando-se que os autos nãotramitaram pelo Ministério Público junto ao TCE/PB.
VOTO DO RELATORDA PRELIMINAR
É assegurado aos que têm interesse jurídico na matéria examinada o direito deinterposição de recursos em face das decisões proferidas por este Tribunal de Contas. Tal possibilidadeestá prevista no Regimento Interno (Resolução RN - TC 10/2010), que, em seu Título X, Capítulos I aV, cuida da admissibilidade dos recursos, da legitimidade dos recorrentes, das espécies de recursos deque dispõe a parte prejudicada, assim como estabelece seus prazos e as hipóteses de cabimento.Neste sentido, prescrevem os arts. 227 e ss, do Regimento Interno deste Tribunal deContas, a possibilidade de interposição de Embargos de Declaração:
 Art. 227. Serão cabíveis embargos declaratórios para corrigir omissão, contradição ouobscuridade, no prazo de 10 (dez) dias, contado da publicação da decisão recorrida.§ 1º. Os embargos de declaração serão dirigidos ao relator do processo e, caso sejamconhecidos, suspenderão os prazos para o cumprimento do decisório embargado e para ainterposição de outros recursos.§ 2º. Não serão conhecidos os embargos de declaração que não indicarem os aspectosomissos, contraditórios ou obscuros na decisão embargada. Art. 228. Quando manifestamente protelatórios os embargos, o Tribunal, declarandoque o são, condenará o embargante ao pagamento de multa de até 10% (dez por cento) do valor da penalidade prevista no caput do artigo 201. Art. 229. Os embargos declaratórios serão analisados no Gabinete do Relator ecolocados em pauta na sessão imediatamente seguinte à data em que foram protocolizados.
 
 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC 00951/10
3/5
§ 1º. Os embargos declaratórios prescindem de manifestação escrita ou oral do Ministério Público junto ao Tribunal.§ 2º. Somente por deliberação plenária serão os autos remetidos à Auditoria paraesclarecimentos adicionais considerados necessários à remissão da obscuridade, contradição ouomissão, hipótese em que poderão ser submetidos a parecer ministerial se as conclusões do órgãoauditor forem no sentido de modificar o mérito da decisão embargada.§ 3º. Não caberá sustentação oral no julgamento de embargos declaratórios.
Verifica-se, portanto, que o prazo para manejo dos embargos é de 10 (dez) dias a contarda publicação da decisão a qual se pretende impugnar. De acordo com caso em tela, a decisãorecorrida foi publicada no dia 13/03/2013, sendo o recurso em foco interposto nesse mesmo dia.Nestes termos, o presente recurso mostra-se
tempestivo
.Quanto ao requisito da legitimidade, o art. 222, do RI/TCE/PB assegura àqueles quedemonstrarem interesse jurídico em relação à matéria examinada. No caso em epígrafe, asembargantes figuram com denunciantes, de modo que se
 
mostram como
parte legítima
para a suaapresentação.Desta forma, VOTO, em preliminar, pelo
conhecimento
dos embargos interpostos.
DO MÉRITO
A partir do que foi argumentado no presente embargo declaratório, verifica-se que aomissão sustentada residiria na tese de que, ao fixar novo prazo à atual gestão do Município deCampina Grande para o restabelecimento da legalidade, ter-se-ia deixado de fazer menção expressa nosentido que a administração campinense também deveria observar as disposições da Lei Municipal2.378/1992 (art. 42, § 4º; art. 63, IV; arts. 69 e 70) e do Decreto Municipal 3.325/2008.Em que pese a argumentação dos embargos, não merece provimento o pedidoformulado.Com efeito, a decisão embargada foi proferida em sede de verificação de cumprimentodo Acórdão APL - TC 00238/12, em cujo teor foi determinado o restabelecimento da legalidade,atribuindo as devidas funções aos atuais auditores e contadores públicos aprovados e nomeados emconcurso público realizado pela Prefeitura de Campina Grande. Esse restabelecimento da legalidadedar-se-á com o cumprimento de toda a legislação municipal que está relacionada à matéria,

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->