Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
2Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Coutinho, Solange - Introdução a Linguagem Gráfica (2008)

Coutinho, Solange - Introdução a Linguagem Gráfica (2008)

Ratings: (0)|Views: 166|Likes:
Published by Ricardo Cunha Lima

More info:

Categories:Topics, Art & Design
Published by: Ricardo Cunha Lima on Apr 03, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

12/05/2013

pdf

text

original

 
DESIGNN DA INFORMAÇÃO
|
 
2008 L
INGUAGEM
G
RÁFICA
V
ERBAL
 
SOLANGE COUTINHO
 
Solange Coutinho
Breve passeio sobre o estudo da linguagem gráfica
 O fenômeno cultural da comunicação só ocorre porque é estruturado comolinguagem
1
(linguagem como parte consciente de um processo). Cultura podeser entendida como toda e qualquer intervenção humana sob um dadonatural, modificando-o de forma que possa estar ou ser inseridos dentro deuma certa organização social (COUTINHO, 1994). Esta intervenção humana sob‘objetos naturais’ como meio de comunicação acontece aproximadamente háquarenta mil anos (figura 1). Este calendário lunar é uma representação clarae vigorosa da linguagem, particularmente, da ‘linguagem gráfica.
2
 Um complexo processo ocorreu desde as primeiras manifestações dalinguagem gráfica, até as avançadas configurações digitais da imagem quetemos hoje. Uma proliferação de linguagens e com elas complexas variáveisde comunicação. Esta subjetiva corrente de signos culturais em conjunto coma super especialização da informação (como meio) criou uma ampla eemaranhada rede de comunicação. Os usos da linguagem gráfica são tantosquanto às conexões desta rede. Uma das características da linguagem gráficaé a sua diversidade de modos de simbolização e métodos de configuração e acombinação entre eles, como tão bem expôs TWYMAN (1979) em seu esquemapara o estudo da linguagem gráfica, apresentado em formato matricial (figura2).O esquema proposto possibilita a abertura de caminhos para novos usosprincipalmente como ‘um instrumento para dirigir o pensamento’ (TWYMAN1979:118). Ele acredita que o maior objetivo do seu esquema é demonstrar aampla variedade de abordagens abertas para o uso da linguagem gráfica,enfatizando os modos e configurações assim como as conexões entre
1
Reconhecida como força vital da cultura humana e comportamento social em todas assuas formas, na visão romântica e ampla de Jean-Jacques Rousseau e John GoltfriedHerder no livro
On the origin of language
, 1966.
2
Adotaremos os conceitos propostos por Michael Twyman (1979:118): sendo ‘gráfico’aquilo que é desenhado ou feito visível em resposta a decisões conscientes e‘linguagem’ como o veículo de comunicação.
Figura 1:
 Representação gráfica de umcalendário lunar gravado em placade osso, com 40.000 anos,encontrado em Abri Larlet,na França. (Fonte: SLESS, 1992).
 
DESIGNN DA INFORMAÇÃO
|
 
2008 L
INGUAGEM
G
RÁFICA
V
ERBAL
 
SOLANGE COUTINHO
 
diferentes áreas da linguagem. Cunha Lima (1994), no entanto, critica oesquema de Twyman pelo fato de que ele se deteve apenas nos aspectosestáticos da linguagem gráfica, ignorando o computador, o cinema, atelevisão, prenunciadores da multimídia.
Figura 2:
Matriz proposta por Twyman (1979) para o estudo da linguagem gráfica.
Twyman ressalta que a linguagem gráfica exige um mínimo de planejamento,ao passo que a linguagem oral é normalmente espontânea. Segundo CunhaLima (1994) um programa de radio é o correspondente ao planejamento dalinguagem gráfica, já que quem escreve nem sempre é quem planeja um livro,assim como um redator escreve o que o locutor falará.
 
Twyman também coloca que nem todo planejador da linguagem gráfica énecessariamente um designer, visto que existem especialistas noplanejamento de certas apresentações gráficas tais como cartógrafos edesenhistas técnicos. Para ele, os usuários da linguagem gráfica podem sertanto originadores quanto consumidores dos artefatos gráficos.Twyman identifica alguns usos mais comuns da linguagem gráfica,principalmente na associação do modo verbal-numérico com a linearidade e,os modos pictórico e esquemático com a não linearidade.Os métodos de configuração indicam de que forma a informação se organizaespacialmente, e os modos de simbolização indicam de que forma a linguagemé simbolizada, se através de palavras e dígitos (verbal-numérico); desenhos e
Métodos de Configuração
 Linear puro LinearinterrompidoLista LinearramificadoMatriz Não-lineardirigidoNão-linearaberto
Modos deSimbolização
 
VerbalNumérico
1 2 3 4 5 6 7
Pictórico& VerbalNumérico
8 9 10 11 12 13 14
Pictórico
15 16 17 18 19 20 21
Esquemático
22 23 24 25 26 27 28
 
DESIGNN DA INFORMAÇÃO
|
 
2008 L
INGUAGEM
G
RÁFICA
V
ERBAL
 
SOLANGE COUTINHO
 
fotografias (pictórico), ou ainda se esquemático (gráficos e tudo que não fordecididamente verbal ou pictórico).
Elementos da linguagem
Um dos objetivos fundamentais da informação é a relação entre conteúdo eforma. Esta relação é descrita por Twyman (1982) como o ‘elemento dalinguagem na comunicação gráfica’. Os elementos da linguagem são afetadospela tecnologia adotada, todavia se mantendo constante em sua função. Eleconsidera o elemento da linguagem com sendo o ‘denominador comum’ entreos três meios de produção: manuscrito, impresso e eletrônico.Quando definindo qualquer solução gráfica, o designer ou originador (criador)da mensagem deve levar em consideração todos os requisitos técnicos paraaquela solução em particular, perguntando-se qual deverá ser a tecnologiamais adequada para produzi-la, por exemplo. Algumas tecnologias impõemlimites e podem não ser a mais adequada para aquele modo de simbolização,ou de configuração da informação. Para compreender melhor o estudo dalinguagem gráfica, se torna importante entender a relação com outros ramosda linguagem. Do ponto de vista da lingüística, a linguagem é dividida emduas grandes áreas: a falada e a escrita. Do ponto de vista do design gráfico alinguagem é dividida em verbal e pictórica (figura 3).
Figura 3:
 a] Na abordagem
gráfica
a linguagem tem dois modos diferentes de simbolização(verbal e pictórico) e um canal comum (o visual).b] Na abordagem
lingüística
a palavra é o modo comumpara dois canais diferentes (oral e visual).
a]
 
Linguagem
b]
LinguagemVerbal Pictórica Falada Escrita
Twyman (1982, 1985) sugere um modelo que acomoda tanto a abordagemlingüística quanto a gráfica, onde demonstra a distinção entre o modo e ocanal de comunicação em relação à linguagem (figura 4).

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->