Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
0Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O Que É Inteligencia Artificial

O Que É Inteligencia Artificial

Ratings: (0)|Views: 15|Likes:
Published by Rozangela Almeida

More info:

Published by: Rozangela Almeida on Apr 21, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

04/21/2013

pdf

text

original

 
O QUE É INTELIGÊNCIA ARTIFICIALJoão de Fernandes Teixeira
INTRODUÇÃO
Conta uma velha anedota que uma vez um famoso teólogo da idade Média foivisitar o rei Alberto, o Grande. Quando chegou ao palácio real foi recebido por um bonecomecânico que se encarregou de abrir-lhe a porta e fazer-lhe as mesuras de um autênticomordomo. Indignado, o teólogo não resistiu aos seus impulsos e estraçalhou o bonecomecânico.Esta anedota – talvez verdadeira, quem sabe – pode nos ajudar a dar um primeiropasso para entendermos o que seja a Inteligência Artificial. A expressão “InteligênciaArtificial” soa de maneira assustadora, e talvez muitos de nós reagíssemos como o teólogoem sua indignação ao ver que uma máquina pode fazer aquilo que achamos ser umaexclusividade do gênero humano: pensar e agir racionalmente, executando tarefas para asquais se supõe que a inteligência seja necessária. Talvez muitos já tenham ouvido falar deprojetos mirabolantes, como a construção de “cérebros eletrônicos” que seriam ligados natomada e teriam “pensamentos” iguais aos nossos, ou até mesmo poderiam comunicar-seconosco, falando normalmente.O que muitos de nós não sabem, entretanto, é que a idéia de se criar algo parecidocom “máquinas pensantes” ou uma inteligência artificial paralela à nossa é hoje um projetono qual trabalham cientistas de várias partes do mundo. Esses cientistas trabalham emvárias áreas do conhecimento humano: lingüística, psicologia, filosofia, ciência dacomputação etc. O que os reúne é, entretanto uma característica comum: a idéia de que épossível criar “máquinas pensantes” e que o caminho para isso é o estudo e a elaboração desofisticados programas de computador.
 
2Para os pesquisadores da Inteligência Artificial (que daqui por diante abreviaremosIA) a mente humana funciona como um computador, e por isso o estudo dos programascomputacionais é a chave para se compreender alguma coisa acerca de nossas atividadesmentais. Podemos construir programas que imitem nossa capacidade de raciocinar, deperceber o mundo e identificar objetos que estão à nossa volta, e até mesmo de falar e decompreender nossa linguagem.É esta grande novidade da IA, que a distingue de ciências afins como a cibernética ea computação, englobando-as num projeto muito mais ambicioso: a produção decomportamento inteligente. Tarefas para as quais se requer alguma inteligência já sãoexecutadas por algumas máquinas de que dispomos e que utilizamos para telefonar oumesmo para lavar roupa. Contudo, esse tipo de máquinas não tem interesse para a IA deque falaremos aqui, cuja preocupação é não só aliviar o trabalho humano, mas tambémdesvendar alguma coisa acerca da natureza da nossa mente. Para isso é preciso que essasmáquinas realizem tarefas que requerem inteligência, e de uma maneira muito similar epróxima do modo como nós, seres humanos, as realizamos.Assim, por exemplo, não basta simplesmente projetar e criar uma máquina decalcular (como nós a temos e usamos todos os dias, carregando-a no bolso) para dizermosque estamos fazendo IA. É preciso que essa máquina imite nossa atividade mental quandoestamos fazendo uma operação aritmética.Claro que esta imitação não poderá ser absolutamente perfeita. Afinal, somosconstruídos de matéria viva e até agora ainda não pudemos construir um mecanismototalmente semelhante ao nosso cérebro, com suas células e as ligações nervosas queexistem entre elas. Mas, assim como existem mecanismos que imitam nossa capacidade deandar, como por exemplo, o automóvel, da mesma maneira o teórico da IA propõe-se acriar mecanismos que, embora não sejam idênticos a nós, possam imitar nossas atividadesmentais. A imitação que se pode obter é, portanto, apenas aproximada, e é por isso que emIA fala-se da elaboração de programas de computador que são
modelos
de nossacapacidade de raciocinar, de enxergar, de falar etc.A IA como projeto efetivo só se tornou possível após o aparecimento doscomputadores modernos, ou seja, após a Segunda Guerra Mundial (de 1945 em diante). Até
 
3então havia dificuldades técnicas que precisavam ser superadas para que o projeto dessasmáquinas mais modernas pudesse sair do papel.Quando apareceu pela primeira vez uma máquina dita “pensante” – uma máquinadotada de um programa que demonstrava automaticamente teoremas de matemática -, oimpacto sobre as ciências do homem foi tremendo. Subitamente a comunidade científicapercebeu que uma verdadeira revolução havia se iniciado. Uma revolução com profundasinfluências na psicologia, na lingüística e na filosofia. A ciência da computação deixava deser uma disciplina puramente técnica, e suas realizações passaram a estender-se para outroscampos. A idéia de estudar a mente humana à semelhança de um programa de computadorparecia despontar como uma nova etapa para as ciências humanas.Para a psicologia, a IA trouxe uma revolução, na medida em que o novo modeloapontava para uma alternativa à turbulência teórica que os psicólogos estavamatravessando. Havia muita discussão sobre a própria natureza do estudo a que sepropunham os cientistas dessa área: se o seu estudo devia apenas se concentrar nocomportamento dos organismos, ou se a psicologia deveria ser um estudo de nossasatividades mentais mediante um auto-exame, através do qual fecharíamos os olhos etentaríamos perscrutar o que se passa em nossa cabeça quando raciocinamos. Ambaspossibilidades deixavam muito a desejar.Para a lingüística, a IA significava uma revolução: agora seria possível criar umprograma de computador onde estivessem representadas as estruturas gramaticais dasdiversas línguas humanas. Se isto pudesse ser feito, um sonho muito antigo seria realizado:teríamos descoberto a raiz comum de todas as línguas humanas e uma máquina universal detradução tornar-se-ia possível.Mas foi realmente sobre a filosofia que o impacto da IA foi maior: criar umamáquina pensante significa desafiar uma velha tradição que coloca o homem e suacapacidade racional como algo único e original do universo. Mais do que isto, criar umamáquina pensante significa dizer que o pensamento pode ser recriado artificialmente semque para isto precisemos de algo como uma “alma” ou outra marca divina.Algumas questões que tradicionalmente atormentaram os filósofos ao longo dosséculos passaram a receber um novo enfoque a partir da IA: por exemplo, o problema das

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->