Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
05802_10_Decisao_rredoval_AC2-TC.pdf

05802_10_Decisao_rredoval_AC2-TC.pdf

Ratings: (0)|Views: 0|Likes:

More info:

Published by: Tribunal de Contas do Estado da Paraíba on Apr 29, 2013
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/29/2013

pdf

text

original

 
 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO2ª CÂMARA
PROCESSOS TC 05802/10
1/10
Origem: Empresa Municipal de Urbanização da Borborema – URBEMANatureza: Prestação de Contas Anuais – exercício de 2009Responsáveis: Francisco Dantas de Lira (de 05/01 a 05/03) e Fábio Luciano de Araújo Maia (de 06/03a 31/12/2009)Relator: Conselheiro André Carlo Torres Pontes
PRESTAÇÃO DE CONTAS
. Município de Campina Grande. Administração indireta. EMPRESAMUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO DA BORBOREMA – URBEMA. Exercício de 2009. Desrespeitoparcial à Lei de Licitações e Contratos. Falhas na gestão patrimonial e envio de registros contábeis.Máculas insuficientes para a imoderada reprovação das contas. Regularidade do primeiro período.Regularidade com ressalva do segundo período. Aplicação de multa. Informação de que a decisãodecorreu do exame dos fatos e provas constantes dos autos, sendo suscetível de revisão.
ACÓRDÃO AC2-TC 00772/13RELATÓRIO
Cuidam os autos da prestação de contas anual oriunda da
EMPRESA MUNICIPALDE URBANIZAÇÃO DA BORBOREMA – URBEMA
, relativa ao exercício de
2009
, deresponsabilidade dos gestores FRANCISCO DANTAS DE LIRA (de 05/01 a 05/03) e FÁBIOLUCIANO DE ARAÚJO MAIA (de 06/03 a 31/12/2009).Documentação pertinente, inclusive juntada
ex officio
pela Auditoria, acostada às fls.01/30.A matéria foi analisada pelo Órgão de Instrução deste Tribunal, lavrando-se o relatórioinicial de fls. 34/44, com as colocações e observações a seguir resumidas:
 
A prestação de contas foi encaminhada dentro do prazo com a ausência dealguns demonstrativos enviados posteriormente após ofício enviado pela DIAFI;
 
Segundo balanço orçamentário, a receita orçada foi de R$1.182.350,00,enquanto que a efetivamente arrecadada foi de R$4.225.386,51, correspondendo principalmente àsobtidas por meio de receitas intra-orçamentárias correntes no valor de R$4.221.466,22. A execuçãoda despesa situou-se na cifra de R$5.842.474,06;
 
 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO2ª CÂMARA
PROCESSOS TC 05802/10
2/10
 
Houve déficit orçamentário no montante de R$1.619.047,69, o qual foiminorado para a quantia de R$926.870,16, em decorrência das transferências financeiras recebidasdo Tesouro Municipal (R$692.177,53), contabilizadas extraorçamentariamente;
 
Foi inscrito em restos a pagar o montante de R$981.921,68, tendo sido baixadosparcialmente os inscritos no exercício anterior, no valor de R$34.457,80;
 
Foram inscritas consignações no montante de R$181.035,07, sendo baixado ovalor de R$156.579,50. No que diz respeito ao próprio exercício deixaram de ser recolhidasconsignações no montante de R$50.503,58;
 
O balanço patrimonial evidencia déficit financeiro de R$3.594.448,64, o quecorresponde a 73,12% da receita orçamentária realizada no exercício, incluindo as transferênciasfinanceiras recebidas da Prefeitura Municipal de Campina Grande, sendo superior em 36,88% emrelação ao observado no exercício anterior, que foi de R$2.625.981,56 sem que tenha havidonenhuma providência;
 
As disponibilidades financeiras existentes na entidade, ao final do exercício, nomontante de R$24.937,99, foram insuficientes para saldar as dívidas de curto prazo,correspondentes a R$3.619.386,63;
 
Foram realizadas despesas sem licitação no montante de R$101.860,36;
 
Não foi realizada inspeção “in loco” nem houve registro de denúncias.Ao término do sobredito relatório, a Auditoria apontou as seguintes máculas deresponsabilidade do Senhor FÁBIO LUCIANO DE ARAÚJO MAIA:
1.
 
Não envio junto à PCA de alguns demonstrativos, descumprindo o que exige o art. 2º,§ 1º da Resolução Normativa RN - TC 07/97;
2.
 
Déficit orçamentário de R$926.870,16;
3.
 
Déficit financeiro de R$3.594.448,64, correspondendo a 73,12% da receitaorçamentária realizada no exercício;
 
 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO2ª CÂMARA
PROCESSOS TC 05802/10
3/10
4.
 
Disponibilidades existentes ao final do exercício, no montante de R$24.937,99,insuficientes para a cobertura das obrigações de curto prazo evidenciadas no passivofinanceiro, no total de R$3.619.386,63;
5.
 
Despesas não licitadas no montante de R$101.860,36, correspondendo a 1,74% dadespesa orçamentária realizada no exercício;
6.
 
Pagamento de encargos ao INSS por atraso no recolhimento de contribuiçõesprevidenciárias e à Caixa Econômica Federal pelo atraso no recolhimento do FGTS,no montante de R$3.175,70;
7.
 
Débito efetuado na conta corrente nº 4406-5 – CEF, no valor de R$18.686,92, semidentificação da despesa correspondente;
8.
 
Retenção e não recolhimento, a quem de direito, de consignações, no total deR$50.530,83.De responsabilidade do Sr. FRANCISCO DANTAS LIRA foi atribuída comoirregularidade o pagamento de encargos ao INSS por atraso no recolhimento de contribuiçõesprevidenciárias e à Caixa Econômica Federal pelo atraso no recolhimento do FGTS, no montante deR$795,27.Em atenção ao contraditório e à ampla defesa, procedeu-se à citação dos ex-gestoresinteressados, facultando-lhes oportunidade para apresentação de esclarecimentos. Nesse sentido, foramacostados os elementos de fls. 51/57 (Sr. FRANCISCO DANTAS DE LIRA) e 61/250 (Sr. FÁBIOLUCIANO DE ARAÚJO MAIA).Depois de examinados os elementos defensórios, a Unidade Técnica concluiu pelosaneamento da mácula atribuída ao Sr. FRANCISCO DANTAS LIRA e pela manutenção de todas asmáculas inicialmente evidenciadas de responsabilidade do Sr. FÁBIO LUCIANO DE ARAÚJOMAIA, com exceção do débito efetuado em conta corrente sem comprovação que foi elidida e dasdespesas sem licitação cujo montante baixou para R$56.904,41, que representou 0,97% da despesaorçamentária.Instado a se manifestar, o Ministério Público Especial, em parecer lavrado pelaSubprocuradora-Geral Elvira Samara Pereira de Oliveira (fls. 271/276), pugnou pela irregularidade dascontas de responsabilidade do Senhor FÁBIO LUCIANO DE ARAÚJO MAIA, com aplicação de

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->