Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
60Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Teologia - Graça

Teologia - Graça

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 4,359 |Likes:
Published by Jocile
Como muitos outros termos familiares da teologia, a palavra “graça” encerra uma variedade considerável de conotações e nuanças. Costuma envolver outros assuntos correlatos tais como o perdão, a salvação, a regeneração, o arrependimento e o amor de Deus. O conceito de graça, porém, é todo abrangente. É como disse Moffat, “a religião da Bíblia ou é uma religião da graça ou nada é. . . Não havendo graça, não há evangelho.”
Estudaremos neste módulo alguns aspectos fundamentais da graça de Deus sob diversos prismas. É importante, porém, não esquecer que a operação da graça de Deus é um mistério profundo, muito além da nossa compreensão humana limitada.
Como muitos outros termos familiares da teologia, a palavra “graça” encerra uma variedade considerável de conotações e nuanças. Costuma envolver outros assuntos correlatos tais como o perdão, a salvação, a regeneração, o arrependimento e o amor de Deus. O conceito de graça, porém, é todo abrangente. É como disse Moffat, “a religião da Bíblia ou é uma religião da graça ou nada é. . . Não havendo graça, não há evangelho.”
Estudaremos neste módulo alguns aspectos fundamentais da graça de Deus sob diversos prismas. É importante, porém, não esquecer que a operação da graça de Deus é um mistério profundo, muito além da nossa compreensão humana limitada.

More info:

Published by: Jocile on Apr 04, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/14/2014

pdf

text

original

 
DOUTRINA IV — GRAÇAMÓDULO 07-ASUMÁRIO
Introdução ................................................................................................ 02Capítulo I — A Natureza da Graça ............................................................ 03Capítulo II — A Graça no Antigo Testamento ............................................ 03Capítulo III — A Graça no Novo Testamento ............................................. 04Capítulo IV — A Graça e o Plano da Salvação .......................................... 05Capítulo V — A Graça e o Conhecimento ................................................. 07Capítulo VI — A Graça Resistível .............................................................. 11Capítulo VII — A Graça Comum de Deus no Refreamento do mal...........................15Capítulo VIII — Lei e Graça: Uma Visão Reformada .................................. 18Conclusão ................................................................................................. 27Apêndice A: Textos Problemáticos Sobre a Graça .................................... 28BIBLIOGRAFIA......................................................................................................31
 
INTRODUÇÃO
Como muitos outros termos familiares da teologia, a palavra “graça” encerrauma variedade considerável de conotações e nuanças. Costuma envolver outrosassuntos correlatos tais como o perdão, a salvação, a regeneração, oarrependimento e o amor de Deus. O conceito de graça, porém, é todo abrangente.É como disse Moffat, “a religião da Bíblia ou é uma religião da graça ou nada é. . .Não havendo graça, não há evangelho.”
1
Estudaremos neste módulo alguns aspectos fundamentais da graça de Deus sobdiversos prismas. É importante, porém, não esquecer que a operação da graça deDeus é um mistério profundo, muito além da nossa compreensão humana limitada
Capítulo IA NATUREZA DA GRAÇADefinição
Graça, em seu sentido comum, é mercê, favor ou benevolência. Teologicamente,é o dom sobrenatural concedido por Deus como meio de salvação. É misericórdiaimerecida, livremente concedida ao homem por Deus.
Tipos de Graça.
Ao se debater o assunto da graça, deve-se manter uma distinção importanteentre graça comum (geral, universal) e graça especial (salvífica, regeneradora), afim de se compreender corretamente o relacionamento entre a graça divina e asituação humana.
Graça Comum.
A graça comum ou geral ou universal é assim chamada porquetoda a humanidade a recebe em comum. Seus benecios o usufruídos pelatotalidade da raça humana, sem distinção entre uma pessoa e outra. A graçacomum é vista basicamente em três aspectos: (1) provisão graciosa de Deus nascoisas naturais, tais como seqüência das estações, semeadura e colheita (Mat.5:45); (2) governo ou controle divino da sociedade humana como poder restritor domal (Rom. 13:1ss); (3) a consciência interna no homem entre o certo e o errado,entre a falsidade e a verdade, entre a justiça e a injustiça.
Graça Especial.
A graça especial é a graça pela qual Deus justifica, santifica eglorifica o Seu povo. Ao contrário da graça comum, que é dada universalmente, agra especial é outorgada somente àqueles que Deus elege à vida eterna,mediante a fé em Seu Filho, nosso Salvador Jesus Cristo (2 Cor. 5:18). A graçaregeneradora de Deus é dinâmica — não somente salva como também transformae revitaliza aqueles cuja vida anteriormente estava destruída e sem significado (1Cor. 15:10).
Meios de Graça
Chamam-se meios de graça as vias pelas quais a graça pode ser recebida. Oprincipal meio é o das Escrituras Sagradas, “de onde deriva a totalidade do nossoconhecimento da fé cristã e cujo propósito principal é nos comunicar a graçasalvífica do evangelho de Jesus Cristo (2 Tim. 3:15; João 20:31). A pregação, que é aproclamação da dinâmica do evangelho, é, conforme demonstram o ensino e aprática do próprio Cristo e dos apóstolos, um meio de graça de máxima importância(Luc. 24:47; Atos 1:8; Rom. 1:16; 10:11-15; 1 Cor. 1:17-18, 23). Semelhantemente,
1
Moffatt,
Grace in the New Testament,
 pág. 15.Mód. 07-A - Graça2
 
o testemunho pessoal e a evangelização são meios de levar aos outros a graça doevangelho.“ Se os itens mencionados acima são essencialmente meios de graça salvífica,também há meios de graça para a perseverança e o fortalecimento. A exposiçãodas Sagradas Escrituras para a instrução e edificação dos crentes cristãos é umdestes meios, como também o é o estudo particular da Bíblia. Outro meio é aoração, mediante a qual o cristão tem comunhão com Deus, experimenta Suapresença e abre-se a Seu propósito e poder. Outro meio é o convívio fraternal comos cristãos na adorão e no testemunho. E também deve-se acrescentar osacramento [ordenança] do partir do pão, que Cristo instituiu e ordenou aos Seusseguidores que o observassem (Atos 2:42).”
2
 
Capítulo IIA GRAÇA NO ANTIGO TESTAMENTOVocabulário Hebraico
As duas palavras hebraicas usadas no Antigo Testamento para graça são
hesed
e
hen.
(1)
Hesed
é usada cerca de 250 vezes no Antigo Testamento e traduzidaprincipalmente como “misericórdia” e dezenas de vezes como “bondade”,“longanimidade” etc. Significa amor leal, firme e fiel, e enfatiza a posse mútua deduas pessoas envolvidas num relacionamento de amor. Lutero a traduziu por
Gnade
, a palavra alemã para “graça”. Apesar disso,
hesed
não é exatamente oequivalente de graça, mas uma palavra de duas facetas: tanto pode ser empregadacom relação a Deus quanto com relação ao homem. Quando empregada comrelação a Deus significa realmente graça (Lam. 3:22). Quando empregada, porém,com relação ao homem (Osé. 6:6), deixa subentendido um amor constante poroutros ser humano ou por Deus.
Hesed
aparece quase sempre associada com apalavra “aliança” e denota a atitude de fidelidade com que ambas as partes de umpacto devem caracterizar-se. Snaith sugere a tradução “amor pactual” como oequivalente mais aproximado nas línguas modernas.(2)
Hen
o é uma palavra relacionada a aliaas nem apresenta duasacepções. “Derivado de uma raiz que significa ‘curvar-se, abaixar-se’; indica favorimerecido ou condescendência de um superior em favor de alguém inferior emposição ou valor. Às vezes é usado redentivamente (Jer. 31:2; Zac. 12:10).”
3
Éutilizada para significar um favorecimento de um superior, humano ou divino, paracom um inferior, geralmente um ato de clemência. A idéia é de um favor imerecidoe é traduzida por “graça” ou “favor” algumas dezenas de vezes. Encontramosexemplos de
hen
humano em Gên. 33:8, 10, 15; 39:4; Rute 2:2, 10. O
hen
de Deusacha-se em Jer. 31:2. Ninguém pode mostrar
hen
para com Deus (mas sim
hesed
),pois ninguém pode fazer-Lhe um favor.
4
 
A Graça no Pentateuco
2
Walter A. Elwell,
 Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã,
vol. II, pág. 220.
3
Nota para Gên. 6:8 de
The Ryrie Study Bible.
4
J. D. Douglas,
O Novo Dicionário da Bíblia,
art. “Graça”.Mód. 07-A - Graça3

Activity (60)

You've already reviewed this. Edit your review.
Roberto Maciel liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Ester Pontes liked this
fiuza-carlos liked this
JC liked this
Alex Oliveira liked this
claferib liked this
Daniel Moreira liked this
Ubirajara Alves Souza added this note
Busca e viver na graça de Deus é ter certeza que somos dignos em sermos missionários na missão evangelizadora no anúncio da Boa nova de Jesus.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->