Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
191Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
fios cirurgicos - Enfermagem (FAC Limeira)

fios cirurgicos - Enfermagem (FAC Limeira)

Ratings:

5.0

(5)
|Views: 44,512 |Likes:
Published by Renas Pereira
Trabalho apresentado a disciplina de centro cirurgico da Faculdade Anhanguera de Limeira
Trabalho apresentado a disciplina de centro cirurgico da Faculdade Anhanguera de Limeira

More info:

Published by: Renas Pereira on Apr 08, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/18/2013

pdf

text

original

 
INSTRUMENTOS DE SÍNTESES – FIOS E AGULHAS
INTRODUÇÃO
A utilização do instrumental cirúrgico é planejada em função do tipo de cirurgia e do tempocirúrgico. As intervenções cirúrgicas se realizam em quatro tempos:
Diérese (abertura)
Hemostasia
Cirurgia propriamente dita (exerese)
Síntese (sutura)Os instrumentais cirúrgicos são agrupados de acordo com os tempos cirúrgicos e para efeitodidático, classificados em 7 grupos, mas este trabalho enfatizará apenas o grupo III que serefere aos instrumentos de síntese.
HISTÓRICO
Ao longo da história da humanidade, encontram-se episódios que retratam atitudescirúrgicas para a manutenção da vida. Inicialmente, as cirurgias eram dirigidas para acorreção deferimentos traumáticos e o controle do sangramento. O controle da dor intra e pós-operatório, a anestesia e os passos inicias do controle da infecção cirúrgica tambémtransformaram a historia da cirurgia, contribuindo para sua evolução. Em princípio, acirurgia era mutiladora e visava extipar a parte do doente ou o órgão afetado. Após adescoberta da narcose e da assepsia, no culo XIX, as cirurgias passaram a serestauradoras e conservadoras. A partir daí então, observa-se um avanço acelerado nodesenvolvimento, tanto cientifico como de técnicas cirúrgicas cada vez mais especifica,menos mutilantes e mais curativas. Vale ressaltar que o alivio da dor, o cotrole dosangramento e da infecção são aspectos que continuam a ser focalizados como indicadoresdo sucesso cirúrgico.Outro ponto a ser considerado na evolução da cirurgia foi o desafio de transformar o atocirúrgico em uma atividade cientifica e em uma escolha terapêutica segura. Aliados aevolução cirúrgica, muitos instrumentos foram idealizados e utilizados por cirurgiões emtodos os períodos da historia. Com o passar do tempo vários desses instrumentos, emespecial os instrumentos de síntese, foram reformulados, adaptados, dispensados ousubstituídos por outros mais práticos e específicos para um determinado procedimento. Osinstrumentos cirúrgicos são essenciais para o desenvolvimento das seqüência que compõeos tempos cirúrgicos.3
 
TEMPOS CIRÚRGICOS
A expressão tempos cirúrgicos caracteriza a seqüência de procedimentos utilizada namanipulação dos tecidos e vísceras durante o ato operatório, sendo identificada por quatrotempos básicos.
Diérese:
consiste em separar tecidos, ou planos anatômicos, para atingir uma região ouórgão. A diérese pode ser realizada por vários métodos: mecânico, térmico, crioterapia eraio laser, sendo que o mais empregado é o mecânico, utilizando materiais cortantes, comoo bisturi elétrico, tesoura, faca, serra trepano, agulhas e outros.
Hemostasia:
Consiste em determinar ou prevenir um sangramento. Pode ser feito por meiode pinçamento e ligadura de vasos, eletrocoagulação e compressão. Estes métodos podemser usados simultaneamente ou individualmente.
Cirurgia propriamente dita ou Exerese:
É o momento em que o cirurgião atinge o pontodesejado e realiza a intervenção cirúrgica, visando diagnostico, controle ou resolução daintercorrência, reconstituindo a área e deixando-a mais fisiológica possível.
Síntese ou Sutura:
É a união dos tecidos, A síntese pode ser classificada em :Cruenta: sutura é permanente ou removivelIncruenta: sutura por meio de gesso, adesivo ou ataduraImediata: após a incisãoMediata: apos algum tempo da incisãocompleta : em toda a extensão da incisãoincompleta: é mantida uma pequena abertura para a colocação de drenos. Na síntese dos planos deve ser respeitada hierarquia tecidual, sua estratificação, fazendo-aa reconstituição pela síntese de tecidos idênticos entre si. As condições necessárias parauma boa síntese são: anti-sepsia local, vascularização perfeita das bordas de incisão. Bordasnítidas, hemostasia perfeita, ou seja, ausência de hematomas ou outras coleções, pois osucesso da síntese depende da hemostasia orgânica correta, coaptação sem compressão dostecidos, ausência de corpos estranhos e tecidos necrosados, escolha de fios apropriados paracada tecido, execução com técnica correta.
INSTRUMENTAL CIRÚRGICO
Os instrumentais cirúrgicos são agrupados de acordo com o tempo cirúrgico, já detalhadoanteriormente, neste trabalho daremos ênfase ao grupo III, ou seja, instrumentais utilizadosna síntese. Mas é de extrema importância discutirmos os demais instrumentos utilizados noato cirúrgico e como eles são agrupados.Para fins didáticos os instrumentos cirúrgicos são divididos da seguinte maneira:4
 
Grupo I:
de Diérese
Grupo II:
de Hemostasia
Grupo III:
de Síntese
Grupo IV:
Especiais
Grupo V:
Auxiliar 
Grupo VI:
de Campos
Grupo VII
: Afastadores ou de exposição
Grupo I:
Este grupo praticamente é composto por instrumentos cortantes, como bisturi etesouras, em diversos tipos e tamanhos, e outros como faca, serra, trepano, agulhas.
Grupo II:
este grupo é composto por instrumentos destinados ao pinçamento de vasossangrantes, sendo estas pinças hemostáticas, retas ou curvas, com ou sem dente, de diversostipos e tamanhos. Em geral são denominadas pelo nome de seu idealizador.
Grupo III:
Este grupo é composto de instrumentos de sutura, como agulhas retas oucurvas, triangular ou traumática, redonda ou atraumaticas com fundo fixo ou falso. Fazem parte deste grupo ainda os porta-agulha e os fios de sutura. Este grupo será detalhado logo aseguir, por ser o tema principal deste trabalho.
Grupo IV:
Este grupo é composto por instrumentos cuja indicação é determinada pelo tipode cirurgia. Estes instrumentos são usados somente no tempo cirúrgico propriamente dito, por isso ocupam o lugar mias distante na mesa de instrumentos. Cita-se como exmeplo as pinças: Duval, Satinsky e Allis.
Grupo V:
É composto por instrumentos auxiliares de preensão. Como o próprio nomeindica, destina-se a auxiliar o uso de outros instrumentos. Basicamente compõe este grupoas pinças anatômicas e dente de rato.
Grupo VI:
Este grupo é composto por pinças que se destinam a fixação dos camposestéreis para delimitação do campo operatório. Basicamente fazem parte deste grupo as pinças de backhaus.
Grupo VII:
Este grupo é composto por instrumentos de exposição que permitem a melhor visualização da cavidade operatória..5

Activity (191)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
steniiio liked this
Gustavo Pazuch liked this
Rames França liked this
Joyce Karen liked this
Euclides Cumbe liked this
gostei,o material nao está longo, mas no entanto esta´ bem esplicadinho.
jbmsicam liked this
anatravizani liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->