Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
ata_sessao_2673_ord_2cam.pdf

ata_sessao_2673_ord_2cam.pdf

Ratings: (0)|Views: 0|Likes:

More info:

Published by: Tribunal de Contas do Estado da Paraíba on May 20, 2013
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/20/2013

pdf

text

original

 
Aos vinte e três dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às 14:00 horas, no1
Miniplenário Conselheiro Adailton Coelho Costa
, reuniu-se a 2ª Câmara do Tribunal de2Contas do Estado da Paraíba, em sessão ordinária, sob a Presidência do Excelentíssimo3Senhor Conselheiro
Antônio Nominando Diniz Filho.
Presentes
 
os Excelentíssimos4Senhores Conselheiros,
Arnóbio Alves Viana e
 
André Carlo Torres Pontes
. Presentes os5Excelentíssimos Senhores Auditores Substitutos de Conselheiros
Antônio Cláudio Silva
6
Santos e Oscar Mamede Santiago Melo.
Constatada a existência de número legal e presente7a representante do Ministério Público junto a esta Corte,
Elvira Samara Pereira de Oliveira
.8O Presidente deu por iniciados os trabalhos, desejou boa tarde a todos os integrantes da 2ª9Câmara, aos funcionários do Tribunal e submeteu à consideração da Câmara a Ata da Sessão10anterior, a qual foi aprovada por unanimidade de votos sem emendas. Não houve expediente11em Mesa. A douta Procuradora informou que estará ausente na próxima semana e, portanto, o12Ministério Público será representado pelo Procurador Marcílio Toscano Franca Filho. Foi13adiado para a próxima sessão o
Processo TC Nº 08797/11 – Relator Conselheiro Arnóbio
14
Alves Viana.
Iniciando a
PAUTA DE JULGAMENTO,
foi solicitada a inversão de pauta15dos Processos 08726/12 e 03954/11. Desta forma, na
Classe “J” – VERIFICAÇÃO DE
16
CUMPRIMENTO DE DECISÃO. Relator Conselheiro André Carlo Torres Pontes.
Foi17examinado o
Processo TC Nº. 08726/12.
O Conselheiro Antônio Nominando Diniz Filho se18declarou impedido, passando-se a presidência, no tocante a este processo, ao Conselheiro19Arnóbio Alves Viana, sendo convidado para compor o quorum o Auditor Antônio Cláudio20Silva Santos. Concluso o relatório foi concedida a palavra ao Sr. Yanko Cyrillo que requereu21a correção do valor do benefício, no tocante ao adicional por tempo de serviço, que havia sido22reduzido à razão de 77% para 35% sobre a parte de sua retribuição. A douta Procuradora de23Contas manteve o parecer constante dos autos. Colhidos os votos, os Conselheiros desta24
ATA DA 2673ª SESSÃOORDINÁRIA DA 2ª CÂMARADO TRIBUNAL DE CONTASDO ESTADO DA PARAÍBA,REALIZADA NO DIA 23 DEABRIL DE 2013.
 
2Colenda Câmara decidiram em uníssono, reverenciando o voto do Relator, DECLARAR 25CUMPRIDA a Resolução RC2 – TC 00330/12, que assinou prazo ao Presidente da PBprev e26à Secretaria de Estado da Administração para apresentação de documentos e justificativas;27JULGAR IRREGULAR a revisão de aposentadoria do Sr. YANKO CYRILLO, no cargo de28Procurador, símbolo PL-SEJ-301, lotado na Procuradoria Geral da Assembléia Legislativa do29Estado da Paraíba, matrícula 200.071-7; e ASSINAR PRAZO de 30 (trinta) dias à PBprev – 30Paraíba Previdência, na pessoa de seu Presidente, Sr. HÉLIO CARNEIRO FERNANDES,31 para restabelecer a legalidade do referido ato de aposentadoria, calculando o valor dos32 proventos, na proporção dos valores originalmente calculados, conforme registro concedido33 pelo Acórdão AC2 TC 1017/03, com os reflexos subsequentes, conforme fls. 232/23334(Relatório Complementar da Auditoria). Devolvida a presidência ao seu titular, na
Classe “B”
35
 – CONTAS ANUAIS DAS ADMINISTRAÇÕES INDIRETAS MUNICIPAIS. Relator
36
Conselheiro Arnóbio Alves Viana.
Foi examinado o
Processo TC Nº. 03954/11.
Concluso o37relatório, foi concedida a palavra ao douto advogado da parte interessada, Dr. Carlos Roberto38Batista Lacerda, OAB/PB 9450, que, na ocasião, requereu a esta Egrégia Segunda Câmara a39ratificação do parecer do Ministério Público que opinou pela regularidade da prestação de40contas, com exceção da sugestão de aplicação de multa, tendo em vista que as irregularidades41que remanesceram são totalmente de natureza formal. A representante do Ministério Público42Especial nada acrescentou à manifestação já exarada nos autos. Colhidos os votos, os43Conselheiros desta Colenda Câmara decidiram em uníssono, reverenciando o voto do Relator,44JULGAR REGULAR COM RESSALVAS a Prestação de Contas do Instituto Cachoeirense45de Previdência Municipal – ICPM, do Município de Cachoeira dos Índios, relativa ao46exercício de 2010, sob a responsabilidade da gestora, Sra. Maria Rejane da Silva; e,47RECOMENDAR à atual gestão do Instituto Cachoeirense de Previdência Municipal – ICPM48no sentido de guardar estrita observância aos termos da CF, das normas infraconstitucionais e49ao que determina esta Egrégia Corte de Contas em suas decisões. Retomando à sequência da50 pauta de julgamento,
PROCESSOS AGENDADOS PARA ESTA SESSÃO.
 Na
Classe “B”
51
 – CONTAS ANUAIS DAS ADMINISTRAÇÕES INDIRETAS MUNICIPAIS. Relator
52
Conselheiro André Carlo Torres Pontes.
Foi examinado o
Processo TC Nº. 05802/10.
 53Concluso o relatório e inexistindo interessados, a representante do Ministério Público54Especial ratificou o parecer constante dos autos. Colhidos os votos, os Conselheiros desta55Colenda Câmara decidiram em uníssono, reverenciando o voto do Relator, JULGAR 56REGULARES as contas do Sr. FRANCISCO DANTAS DE LIRA; JULGAR REGULARES57COM RESSALVAS as contas do Sr. FÁBIO LUCIANO DE ARAÚJO MAIA, em virtude58
 
3das inconsistências apontadas pela Auditoria (PCA incompleta e despesas sem licitação);59APLICAR MULTA ao ex-gestor, Sr. FÁBIO LUCIANO DE ARAÚJO MAIA, no valor de60R$ 3.000,00 (três mil reais), com base no que dispõe o art. 56, inciso II, da Lei Complementar 61Estadual 18/93 – LOTCE/PB assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para o recolhimento62voluntário ao Tesouro do Estado, à conta do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira63Municipal, de tudo fazendo prova a este Tribunal, sob pena de cobrança executiva;64RECOMENDAR ao atual gestor diligências para corrigir e/ou prevenir os fatos indicados nos65relatórios da d. Auditoria, notadamente para o aperfeiçoamento da gestão fiscal, buscando o66equilíbrio financeiro do ente, da observância das regras atinentes à licitação e contratos67administrativos e das informações contábeis; e INFORMAR aos referidos ex-gestores que a68decisão decorreu do exame dos fatos e provas constantes dos autos, sendo suscetível de69revisão se novos acontecimentos ou achados, inclusive mediante diligências especiais do70Tribunal, vierem a interferir, de modo fundamental, nas conclusões alcançadas, conforme71 previsão contida no art. 140, parágrafo único, inciso IX, do Regimento Interno do TCE/PB.72 Na
Classe “D” – LICITAÇÕES E CONTRATOS. Relator Conselheiro Antônio
73
Nominando Diniz Filho.
Foi julgado o
Processo TC Nº. 10326/12.
Finalizado o relatório e74não havendo interessados, a representante do Ministério Público Especial manteve o parecer 75constante nos autos. Colhidos os votos, os Conselheiros desta Colenda Câmara decidiram à76maioria, JULGAR IRREGULARES a Tomada de Preços nº 001/2012 e o Contrato dela77decorrente; APLICAR MULTA no valor de R$ 1.000,00 (hum mil reais) ao Sr. João Azevedo78Lins Filho, com fulcro no artigo 56 da LOTCE, por ser inadmissível a previsão de recursos79orçamentários insuficientes para a conclusão do objeto licitado, descumprindo a Lei Federal808.666/93; e, ASSINAR PRAZO de sessenta (60) dias, a contar da data da publicação do81Acórdão, para efetuar o recolhimento ao Tesouro Estadual, à conta do Fundo de Fiscalização82Orçamentária e Financeira Municipal, a que alude o art. 269 da Constituição do Estado, a83importância relativa à multa, cabendo ação a ser impetrada pela Procuradoria Geral do Estado84(PGE), em caso do não recolhimento voluntário, devendo-se dar a intervenção do Ministério85Público comum, na hipótese de omissão da PGE, nos termos do § 4º do art. 71 da86Constituição Estadual. Foi solicitada, ainda, a inversão do Processo 15067/11. Deste modo, na87
Classe “F” – DENÚNCIAS E REPRESENTAÇÕES. Relator Conselheiro Arnóbio Alves
88
Viana.
Foi examinado o
Processo TC Nº. 15067/11.
Concluso o relatório, o interessado se89fez presente mas abdicou do uso da palavra. A representante do Ministério Público Especial90ratificou o parecer escrito. Colhidos os votos, os Conselheiros desta Colenda Câmara91decidiram em uníssono, reverenciando o voto do Relator, CONHECER da denúncia e, no92

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->