Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
doe_tcepb_777_27_05_2013.pdf

doe_tcepb_777_27_05_2013.pdf

Ratings: (0)|Views: 29|Likes:

More info:

Published by: Tribunal de Contas do Estado da Paraíba on May 24, 2013
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/08/2015

pdf

text

original

 
 
Página 1 de 34Estado da Paraíba
DIÁRIO OFICIAL
ELETRÔNICO
 
Tribunal deContas do Estado
João Pessoa - Publicado em segunda-feira, 27 de maio de 2013 - Nº 777 - Divulgado em 24/05/2013
Cons. Presidente
Fábio Túlio Filgueiras Nogueira
Cons. Vice-Presidente
Umberto Silveira Porto
Cons. Corregedor 
Fernando Rodrigues Catão
 Cons. Pres. da 1ª Câmara
Arthur Paredes Cunha Lima
Cons. Pres. da 2ª Câmara
Antônio Nominando Diniz Filho
Conselheiro Ouvidor 
 André Carlo Torres Pontes
 Cons. Coord. da ECOSIL
Arnóbio Alves Viana
Procuradora Geral 
Isabella Barbosa Marinho Falcão
 Subproc. Geral da 1ª Câmara
Marcílio Toscano Franca Filho
Subproc. Geral da 2ª Câmara
Elvira Sâmara Pereira de Oliveira
Procuradora
Sheyla Barreto Braga de Queiroz
 Diretor Executivo Geral 
Severino Claudino Neto
  Auditores
Antônio Cláudio Silva SantosAntônio Gomes Vieira FilhoRenato Sérgio Santiago MeloOscar Mamede Santiago MeloMarcos Antonio da Costa
Índice
1.
 
Atos do Tribunal Pleno.....................................................................1
 
Intimação para Sessão..................................................................... 1
 
Extrato de Decisão........................................................................... 1
 
 Ata da Sessão.................................................................................. 1
 
2.
 
Atos da Câmara...........................................................................7
 
Intimação para Sessão..................................................................... 7 
 
Prorrogação de Prazo para Defesa.................................................. 8 
 
Extrato de Decisão........................................................................... 8 
 
3.
 
Atos da Câmara.........................................................................26
 
Intimação para Sessão................................................................... 26 
 
Citação para Defesa por Edital....................................................... 26 
 
Prorrogação de Prazo para Defesa................................................ 26 
 
 Ata da Sessão................................................................................ 26 
 
1. Atos do Tribunal Pleno
Intimação para Sessão
Sessão:
1942 - 05/06/2013 - Tribunal Pleno
Processo:
02863/12 
Jurisdicionado:
Prefeitura Municipal de Várzea
Subcategoria:
PCA - Prestação de Contas Anuais
Exercício:
2011
Intimados:
JOSÉ IVALDO DE MORAIS, Gestor(a); CLAIR LEITÃOMARTINS DINIZ, Contador(a); JOSÉ LACERDA BRASILEIRO,Advogado(a).
Extrato de Decisão
Ato:
Acórdão APL-TC 00252/13
Sessão:
1939 - 15/05/2013
Processo:
02470/11 
Jurisdicionado:
Câmara Municipal de Cabedelo
Subcategoria:
PCA - Prestação de Contas Anuais
Exercício:
2010
Interessados:
WELLINGTON VIANA FRANÇA, Gestor(a); JOSÉRICARDO FÉLIX ALVES, Gestor(a); ANTONIO DE PÁDUA DEOLIVEIRA, Contador(a); CARLOS ROBERTO BATISTA LACERDA,Advogado(a); MARCO AURÉLIO DE MEDEIROS VILLAR,Advogado(a).
Decisão:
Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC02470/11, referentes à prestação de contas advinda da Mesa Diretorada Câmara Municipal de Cabedelo, exercício de 2010, deresponsabilidade do Vereador Presidente, Senhor WELLINGTONVIANA FRANÇA, ACORDAM os membros do Tribunal de Contas doEstado da Paraíba (TCE/PB), à unanimidade, nesta data, conformevoto do Relator, em: I) JULGAR REGULAR a prestação de contas,com RECOMENDAÇÕES sobre o envio dos decretos de abertura decréditos adicionais juntamente com a prestação de contas eaprimoramento da gestão de pessoal da Câmara; II) DECLARAR OATENDIMENTO INTEGRAL às disposições da Lei deResponsabilidade Fiscal; III) ENCAMINHAR cópia da presente decisãoao MD Relator para as providências que entender cabíveis em relaçãoao exercício de 2013, sobre a gestão de pessoal da Câmara deCabedelo; e IV) INFORMAR à supracitada autoridade que a decisãodecorreu do exame dos fatos e provas constantes dos autos, sendosuscetível de revisão se novos acontecimentos ou achados, inclusivemediante diligências especiais do Tribunal, vierem a interferir, demodo fundamental, nas conclusões alcançadas, nos termos do art.140, parágrafo único, inciso IX, do Regimento Interno do TCE/PB.Registre-se e publique-se. TCE - Sala das Sessões do Tribunal Pleno.Plenário Ministro João Agripino.
Ato:
Acórdão APL-TC 00272/13
Sessão:
1939 - 15/05/2013
Processo:
03245/12 
Jurisdicionado:
Câmara Municipal de Bananeiras
Subcategoria:
PCA - Prestação de Contas Anuais
Exercício:
2011
Interessados:
EDGARD SANTA CRUZ NETO, Gestor(a); DAVIDSONLOPES SOUZA DE BRITO, Advogado(a).
Decisão:
Vistos, relatados e discutidos os autos da PRESTAÇÃO DECONTAS DE GESTÃO DO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPALDE BANANEIRAS/PB, Sr. EDGARD SANTA CRUZ NETO, relativa aoexercício financeiro de 2011, acordam, por unanimidade, osConselheiros integrantes do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADODA PARAÍBA, em sessão plenária realizada nesta data, declarando-seimpedido o Conselheiro Arnóbio Alves Viana, na conformidade daproposta de decisão do relator, com fundamento no art. 71, inciso II,da Constituição Estadual, e no art. 1º, inciso I, da Lei Complementar Estadual n.º 18/93, em: 1) JULGAR REGULARES COM RESSALVAas referidas contas; 2) RECOMENDAR a atual gestão que observe oque preceitua a Constituição Federal, a Lei de ResponsabilidadeFiscal e legislação que trata da remuneração dos agentes políticospara assim não mais incorrer em falhas dessa natureza; 3)RECOMENDAR à Auditoria para que verifique, quando da análise dascontas municipais relativas ao exercício de 2013, o recolhimento aoscofres municipais do valor correspondente ao excesso de subsídiorecebido pelo então Gestor do Legislativo Municipal. Presente ao julgamento o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas Publique-se, registre-se e intime-se. TCE
 – Plenário Ministro João Agripino
JoãoPessoa, 15 de maio de 2013
 Ata da Sessão
Sessão:
1938 - Ordinária - Realizada em 08/05/2013
Texto da Ata:
Aos oito dias do mês de maio do ano dois mil e treze, àhora regimental, no Plenário Ministro João Agripino, reuniu-se oTribunal de Contas do Estado da Paraíba, em Sessão Ordinária, sob aPresidência do Conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira. Presentesos Exmos. Srs. Conselheiros Arnóbio Alves Viana, Antônio NominandoDiniz Filho, Fernando Rodrigues Catão, Umberto Silveira Porto, Arthur Paredes Cunha Lima e André Carlo Torres Pontes. Presentes,também, os Auditores Antônio Cláudio Silva Santos, Antônio GomesVieira Filho, Renato Sérgio Santiago Melo, Oscar Mamede SantiagoMelo e Marcos Antônio da Costa. Constatada a existência de númerolegal e contando com a presença da Procuradora-Geral do MinistérioPúblico Especial junto a esta Corte, Dra. Isabella Barbosa MarinhoFalcão, o Presidente deu início aos trabalhos submetendo à
 
 
Diário Oficial Eletrônico do TCE-PB - Publicado em segunda-feira, 27 de maio de 2013 - Nº 777
Página 2 de 34consideração do Plenário, para apreciação e votação, a ata da sessãoanterior, que foi aprovada por unanimidade, sem emendas. Não houveexpediente para leitura. Processos adiados ou retirados de pauta:PROCESSOS TC-10294/11, TC-02750/12, TC-02903/08 e TC-03935/11 (adiados para a sessão ordinária do dia 15/05/2013, com osinteressados e seus representantes legais devidamente notificados) –Relator: Conselheiro Umberto Silveira Porto; PROCESSOS TC-03068/12 (adiado para a sessão ordinária do dia 15/05/2013, com ointeressado e seu representante legal devidamente notificados) –Relator: Auditor Oscar Mamede Santiago Melo; PROCESSO TC-03081/12 (adiado para a sessão ordinária do dia 15/05/2013, com ointeressado e seu representante legal devidamente notificados) –Relator: Conselheiro Arnóbio Alves Viana; PROCESSO TC-03769/11(adiado para a sessão ordinária do dia 15/05/2013, com o interessadoe seu representante legal devidamente notificados) – Relator: Auditor Renato Sérgio Santiago Melo; PROCESSOS TC-01993/07, TC-07005/09 e TC-01437/04 (adiados para a sessão ordinária do dia15/05/2013, com os interessados e seus representantes legaisdevidamente notificados) e PROCESSO TC-05352/10 (retirado depauta) – Relator: Auditor Marcos Antônio da Costa; PROCESSO TC-04273/11 (adiado para a sessão ordinária do dia 15/05/2013, com ointeressado e seu representante legal devidamente notificados) –Relator: Conselheiro Antônio Nominando Diniz Filho. Na fase decomunicações, indicações e requerimentos, inicialmente, oConselheiro Arnóbio Alves Viana pediu a palavra fazer o seguintepronunciamento: “Senhor Presidente, gostaria de pedir à VossaExcelência e ao Pleno, com uma certa urgência, uma AuditoriaOperacional no Hospital de Emergência e Trauma de CampinaGrande. Tenho conhecimento que não ande bem e tenho um casoconcreto de um cidadão chamado Sr. José Sabino dos Santos que,desde sexta-feira da semana passada, está com a perna abertaprecisando operar e sem haver qualquer providência para a realizaçãoda cirurgia. Hoje, inclusive, passou mal e a providência não se toma,afora outros casos bem próximos que tomamos conhecimento. Umhospital da envergadura do Trauma de Campina Grande não podeficar no descaso dessa natureza. É o pedido que faço, Senhor Presidente, que se promova uma Auditoria Operacional, em regime deurgência, naquele Hospital”. O Presidente submeteu a proposição doConselheiro Arnóbio Alves Viana ao Tribunal Pleno, que a aprovou,por unanimidade, determinando a instauração de uma InspeçãoEspecial nas Contas do exercício de 2013, levando em consideração aatual Diretoria do Hospital de Emergência e Trauma de CampinaGrande. A seguir, o Conselheiro Fernando Rodrigues Catão pediu apalavra para prestar a seguinte informação ao Tribunal Pleno: “Senhor Presidente, farei um breve informe acerca da Corregedoria destaCorte. Até o mês de abril do corrente ano, tivemos 151 Inspeções emgrau de Verificações de Cumprimento de Decisão, todas elas feitasvirtualmente, ou seja, nenhuma “in-loco”, por desnecessidade e dessetotal, temos 15 processos com cumprimento integral, 27 comcumprimento parcial e 109 processos sem nenhum cumprimento.Esses dados chamam atenção, Senhor Presidente, porque, dasdecisões do Tribunal, 72,19% não tem cumprimento, o que nos leva afazer uma reflexão, no sentido de que devemos ser um pouco maisduros e cobradores do cumprimento das decisões do Tribunal, pelosresponsáveis. Com relação à remessa de Acórdãos à ProcuradoriaGeral do Estado, para cobrança judicial, foram encaminhados, até adata da elaboração desse levantamento, 219 processos, sendo 130 dePrefeituras; 08 de Câmaras Municipais e 81 de diversos órgãos,abrangendo 221 responsáveis, importando em R$ 976.638,24. Quantoaos Acórdãos encaminhados ao Ministério Público, foram remetidos93 decisões, sendo: 40 de Prefeituras Municipais, 34 de Câmaras deVereadores e 9 de Órgãos, totalizando 93 Acórdãos com 95responsáveis, tendo uma imputação total de R$ 6.124.217,31. Por fim,foram encaminhados eletronicamente, ao Ministério Público, atéaquela data, 166 processos, dos quais 83 foram recebidos, 70 aindanão foram recebidos e 13 estão em análise. À Procuradoria Geral doEstado foram encaminhados 397 ofícios, dos quais, 219 foramrecebidos, 148 aguardam recebimento e 30 estão em análise. Do totaldas 563 comunicações feitas pelo Tribunal, 50% não tiveram nenhumaação tanto do Ministério Público como da Procuradoria Geral doEstado. Passo essas informações à Vossa Excelência”. Em seguida,Sua Excelência o Presidente informou que, na próxima reunião doConselho iria colocar na pauta, a informação prestada peloConselheiro Fernando Rodrigues Catão, acerca da remessa de ofíciosà Procuradoria Geral de Justiça e do Estado, tocante aoscumprimentos de decisões. No seguimento, o Conselheiro UmbertoSilveira Porto pediu a palavra para parabenizar o ConselheiroFernando Rodrigues Catão, pela iniciativa no que tange ao documentoque encaminhou a todos os Conselheiros, com a posição dosprocessos mais antigos que teriam ou não julgamento por esta Cortede Contas. O Conselheiro Fernando Rodrigues Catão esclareceu quehavia encaminhado ofício a todos os setores do Tribunal -- para quefizessem um levantamento de todos os processos anteriores a 2007que se encontravam nos respectivos setores -- rogando que osresultados fossem encaminhados à Corregedoria, no decorrer dasemana, pois será feito um expurgo nas informações constantes dosistema, que não estão corretas. Sua Excelência disse, também, quefará uma proposta ao Tribunal sobre como conduzir esses processosque estão com a vida processual ainda sem definição. Em seguida, oConselheiro Arthur Paredes Cunha Lima usou da palavra para fazer oseguinte pronunciamento: “Senhor Presidente, gostaria de fazer umapelo à Vossa Excelência. Está voltando à mídia, através do MinistérioPúblico, o assunto relacionado com aqueles processos da “OperaçãoPão e Circo”, e os jornais voltam a dizer que o Ministério Público jáestaria abrindo processos contras as Prefeituras. Estou fazendo esseapelo, porque estava em visita ao Ministério Público, quandorepresentantes da Polícia Federal entregava ao Procurador-Geral deJustiça do Estado os Relatórios de 54 Órgãos e Prefeituras Municipaisatingidas naquela operação. Estamos julgando, aqui, contas doperíodo, dessas Prefeituras, sem essas informações. Portanto, Senhor Presidente, o apelo que faço à Vossa Excelência é no sentido de queoficiasse o douto Procurador-Geral de Justiça do Estado, Dr. OsvaldoTrigueiro do Vale Filho, para que nos remetesse cópias dos relatórios,porque a nossa Auditoria poderia ter um outro enfoque quando daanálise das contas e o próprio Ministério Especial junto a esta Cortepoderia usar esse subsídio para abalizar seus Pareceres”. Naoportunidade, o Presidente prestou a seguinte informação: “VossaExcelência já tinha externado essa preocupação em momentoanterior, o que me levou a manter contato com o douto Procurador-Geral de Justiça do Estado, que se colocou, como de costume, àdisposição desta Corte, numa relação digna de registro entre o nossoTribunal e o Ministério Público. Mas, a informação que nos chegou foia de que alguns desses processos tramitam em segredo de justiça,necessitando de autorização judicial, para disponibilização dos dados.De qualquer sorte, estarei, mais uma vez, mantendo contato eoficiando o Ministério Público, para solicitar aquelas informações”. Aseguir, o Conselheiro André Carlo Torres Pontes usou da palavra parafazer o seguinte pronunciamento: “Senhor Presidente, através doMemorando nº 01/2013, determinei, na qualidade de Relator dosrespectivos municípios, conforme a Resolução Normativa RN-TC-07/2012 e, também, de órgãos do Estado, a instauração de InspeçãoEspecial de Contas, para Acompanhamento de Gestão dos municípiosde Amparo, Barra de Santana, Barra de São Miguel, Camalaú,Caraúbas, Congo, Coxixola, Gurjão, Livramento, Massaranduba,Matinhas, Montadas, Monteiro, Ouro Velho, Parari, Prata, SantoAndré, São João do Cariri, São João do Tigre, São José dosCordeiros, São Sebastião do Umbuzeiro, Serra Branca, Sumé eZabelê, além de Órgãos do Estado: Assembléia Legislativa,Companhia Docas da Paraíba, CEHAP, Corpo de Bombeiros,Encargos Gerais do Estado, enfim, os Órgãos do Estado que estãosob a minha relatoria, referentes aos exercícios de 2013 e 2014. Paraos municípios, despachei os processos com o seguinte teor: “OTribunal de Contas, no âmbito do controle externo, deve examinar diversos aspectos - contábil, financeiro, orçamentário, operacional epatrimonial - da gestão dos órgãos e entidades sob sua jurisdição,cotejando a legalidade, legitimidade, economicidade, aplicação dassubvenções e renúncia de receitas (CF, art. 71). Desde 5 de maio de2000, com a entrada em vigor da Lei Complementar Nacional 101 aconhecida Lei de Responsabilidade da Gestão Fiscal alguns itensdaqueles aspectos de gestão passaram a compor um subconjuntoespecífico e consequentemente designado de gestão fiscal. No ponto,tem sido observado nos processos de prestação de contas anuais, emtrâmite neste Tribunal de Contas, um conjunto de impropriedades asuscitar a necessidade de previamente informar-se aos atuaisgestores para adoção de medidas de prevenção ou correção,conforme o caso, relativamente aos seguintes fatos: (1) Estimular aparticipação popular na elaboração dos instrumentos de orçamento;(2) Estimar a receita orçamentária de acordo com a capacidadeeconômica do Município; (3) Autorizar a despesa orçamentáriacompatível com a capacidade de arrecadação; (4) Verificar aconformidade da autorização, abertura e utilização de créditosadicionais; (5) Zelar pelo equilíbrio entre receitas e despesas, evitandodéficits na execução orçamentária; (6) Primar para o serviço decontabilidade elaborar os balanços orçamentário, financeiro epatrimonial segundo as normas legais e técnicas aplicáveis; (7)Determinar procedimentos de licitação para despesas nasmodalidades disponíveis; (8) Cadastrar e georreferenciar as obraspúblicas; (9) Quitar o pagamento de remuneração a agentes públicos,
 
 
Diário Oficial Eletrônico do TCE-PB - Publicado em segunda-feira, 27 de maio de 2013 - Nº 777
Página 3 de 34inclusive políticos, nos prazos e valores previstos na legislação; (10)Investir recursos em educação (MDE e FUNDEB), bem como emSAÚDE observando os limites constitucionais; (11) Manter asdespesas com pessoal e a dívida nos limites legais; (12) Repassar recursos ao Poder Legislativo nos moldes normativos, atentando parao respectivo limite de despesa total; (13) Elaborar, publicar eencaminhar ao Tribunal de Contas os Relatórios Resumidos daExecução Orçamentária (REO) e de Gestão Fiscal (RGF) nos prazosprevistos e de acordo com as normas aplicáveis; (14) Efetuar ascontribuições previdenciárias devidas; (15) Promover a adequadaguarda dos documentos de execução orçamentária nas dependênciasdo Órgão ou Entidade; (16) Admitir servidor pela regra do concursopúblico, reservando as contratações por tempo determinado para asestritas hipóteses da lei, se houver; (17) Implementar sistemas deplanejamento, transparência e controle da gestão pública, incluindo ocontrole interno e o serviço de informação ao cidadão; e (18)Encaminhar tempestiva e corretamente as informações gerenciais aoTribunal de Contas. Observando que: (A) as orientações, aquiresumidas, não dispensam a adoção de providências outrasnecessárias à regularidade e responsabilidade fiscal da gestão; e (B) apresente citação não requer a apresentação de defesa, sem prejuízodas providências sugeridas no curso da gestão. Encaminhei todos osprocessos, com esse despacho, à Secretaria do Pleno, para incluir nosprocessos o nome do Presidente da Câmara no rol de interessados,porquanto só estava o nome do Prefeito, porque assim orienteiinicialmente, e citar o(a) Prefeito(a) ou o(a) Presidente da Câmara decada Município aqui mencionado, para tomar conhecimento daexistência do processo de Inspeção Especial de Contas(Acompanhamento da Gestão) e deste Despacho”. Gostaria deinformar, também, Senhor Presidente, que, no mês passado,estiveram em Belo Horizonte-MG, as servidoras da Ouvidoria destaCorte, Sílvia Cristina e Maria Sílvia, colhendo informações sobre ofuncionamento da Ouvidoria do Tribunal de Contas do Estado deMinas Gerais, especialmente sobre a figura da Ouvidoria Interna, quepretendemos retomar na Ouvidoria deste Tribunal, para coletar asinformações, sugestões, insatisfações dos servidores desta Casa. ORelatório que foi elaborado pelas duas servidores, sobre essa visita,como de praxe, irei disponibilizar na parte pública do sistema doTribunal, para quem interessar possa poder ter acesso”. Noseguimento, o Auditor Renato Sérgio Santiago Melo pediu a palavrapara informação ao Tribunal Pleno que, conforme determina oRegimento Interno, havia exarado Decisão Singular não conhecendodo Pedido de Parcelamento de multa formulado pelo ex-Prefeito doMunicípio de Gurjão/PB, Sr. José Carlos Vidal, em face da decisãodesta Corte de Contas consubstanciada no Acórdão APL – TC –516/09, dada a sua intempestividade e, por trata-se de um segundopedido tendo o primeiro sido indeferido, também, por intempestividade.A seguir, o Auditor Marcos Antônio da Costa pediu a palavra parafazer o seguinte pronunciamento: “Senhor Presidente, nesta segunda-feira, quando me dirigia para o Tribunal, na parte da tarde, ocorreu umincidente de trânsito comigo e o Major Rosinaldo e sua equipe -- tendoconhecimento através Sr. Eduardo Marinho, motorista do ilustreConselheiro Arnóbio Alves Viana – compareceram no local meprestando solidariedade e assistência. Por tudo isto, Senhor Presidente, a todos estes agradeço penhoradamente”. Naoportunidade, o Conselheiro Arthur Paredes Cunha Lima usou dapalavra para fazer o seguinte pronunciamento: “Senhor Presidente, aexemplo das palavras do Auditor Marcos Antônio da Costa, gostaria,também, que esta Corte fizesse uma Moção de Parabéns ao Major Rosinaldo desta Corte de Contas. Na semana passada, a esposa domeu Chefe de Gabinete foi assaltada por três marginais, quandoroubaram sua bolsa, relógio e celular, que tinha a identificação. Ele foiidentificado e o mesmo já estava no bairro de Mandacaru. A Políciaesteve no local, mas os chips tinham sido jogados fora. O militar destaCorte foi persuasivo e ficou no acompanho e ao marginal foi dadoflagrante, porque a aliança da esposa do meu assistente estava nodedo dele quando passou. Ela estava na viatura policial e identificouque era dela aquela aliança e graças ao Major Rosinaldo foramrecuperados todos os bens. Portanto, gostaria de parabenizar o nossoMajor, pela assistência e pela solução do caso”. Na fase de “AssuntosAdministrativos”, o Presidente submeteu à consideração do TribunalPleno, que aprovou por unanimidade, requerimento do Sub-Procurador-Geral do Ministério Público Especial junto a esta Corte, Dr.Marcílio Toscano Franca Filho nos seguintes termos: “ExcelentíssimoSenhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas da Paraíba.Marcilio Toscano Franca Filho, Subprocurador Geral do MinistérioPúblico junto ao Tribunal de Contas da Paraíba, vem muirespeitosamente, à digna presença de Vossa Excelência, pararequerer a concessão de afastamento de curtíssima duração de suasfunções ministeriais (art. 168 da Lei Complementar nº 97, de 22 dedezembro de 2010), no período de 08 a 14 de maio de 2013, a fim deque possa tomar parte, em Londres (Reino Unido), da Reunião doComitê Executivo da Internacional Law Association, comorepresentante do Ramo Brasileiro da referida organizaçãointernacional. De se registrar que o afastamento ora pleiteado nãotrará quaisquer custos, despesas ou ônus ao Tribunal de Contas daParaíba, uma vez que a participação do requerente é totalmentefinanciada pelo Ramo Brasileiro da Internacional Law Association. Dese acrescentar, ademais, que a ausência do autor tampouco traráprejuízo ao bom andamento dos processos distribuídos ao seuGabinete, uma vez que o ritmo dos trabalhos ali continuarigorosamente em dia, não havendo estoques processuais pendentes.De se registrar, finalmente, que na sessão da 1ª Câmara do dia09/05/2013, o Ministério Público será representado pela Dra. ElviraSamara Pereira de Oliveira, conforme ajuste já pactuado. Nestestermos, Pede e espera deferimento. João Pessoa (PB), 24 de abril de2013. Marcilio Toscano Franca Filho – Subprocurador Geral doMinistério Público junto ao Tribunal de Contas da Paraíba”. Naoportunidade, Sua Excelência o Presidente disse que estava deferindoo requerimento, ao tempo em que parabenizava o Dr. MarcílioToscano Franca Filho, que continua em prestar o seu talento paraalém das fronteiras nacionais. Aproveitando a ocasião, o ConselheiroAndré Carlo Torres Pontes usou da palavra para fazer a seguintepropositura ao Plenário: “Senhor Presidente, gostaria de propor aoTribunal Pleno um VOTO DE APLAUSO ao douto Procurador MarcilioToscano Franca Filho, pelo seu ingresso no Comitê Executivo daInternacional Law Association. Dr. Marcilio Toscano Franca Filho, que,de vez em quando, se habilita e faz parte daquela Instituição, é motivode muito orgulho para o nosso Tribunal de Contas e, creio,notadamente, para o Ministério Público, Órgão desta Casa. que fizparte com muita honra”. Em seguida, o Presidente submeteu a Moçãode Aplauso proposta pelo Conselheiro André Carlo Torres Pontes àconsideração do Plenário, que a aprovou, por unanimidade. Dandoinício à PAUTA DE JULGAMENTO, Sua Excelência o Presidenteanunciou, Processos Remanescentes de Sessões Anteriores – Por Pedido de Vista: ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL: “Contas Anuais dePrefeitos”: PROCESSO TC-04311/11 – Prestação de Contas doPrefeito do Município de CAAPORÃ, Sr. João Batista Soares, relativaao exercício de 2010. Relator: Conselheiro Fernando RodriguesCatão, com vista ao Conselheiro Umberto Silveira Porto. Naoportunidade, o Presidente fez o seguinte resumo da votação:RELATOR: Votou no sentido de que este Tribunal: 1- Emita parecer contrário à aprovação das contas, com recomendações; 2- Julgueirregulares as contas de gestão, na condição de ordenar de despesas;3- Declare o atendimento parcial da Lei de Responsabilidade Fiscal; 4-Impute débito ao Sr. João Batista Soares, no valor de R$ 386.181,70,sendo: a) R$ 313.030,00 referentes à ausência de prestação decontas, nos moldes legais, dos valores repassados à Associação deProteção à Maternidade e Assistência à Infância de Caaporã, por conta do Convênio 001/2009; b) R$ 43.122,03 referentes despesasnão comprovadas com folha de pagamento e c) R$ 30.029,67referentes a repasse indevido à Associação de Proteção àMaternidade e Assistência à Infância de Caaporã, por conta doConvênio nº 01/2010; 5- Aplique multa pessoal ao gestor, no valor deR$ 4.150,00; 6- Assine o prazo de 90 (noventa) dias ao gestor, paraadoção de medidas no sentido de elaborar o Plano Municipal deGestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), de modo a cumprir a Lei Nacional nº 12.305/2010, a qual determinou o prazo de 2 (dois)anos, ou seja, até 02 de agosto de 2012, para o seu cumprimento; 7-Represente à Delegacia da Receita Previdenciária acerca dorecolhimento a menor de contribuição previdenciária; 8- Determineenvio de cópia dos autos para a DILIC para análise do valor contratado para a coleta de lixo (R$ 75.200,00 mensais). CONS.ARNÓBIO ALVES VIANA votou com o Relator, com imputação,apenas, do valor de R$ 43.122,03, referente às despesas nãocomprovadas com folha de pagamento, entendendo que, com relaçãoaos R$ 313.030,00, a matéria seja analisada em autos apartados,através de Tomada de Contas. O Conselheiro Arthur Paredes CunhaLima, após trazer esclarecimentos acerca da matéria, em seu pedidode vista feito na sessão anterior, Sua Excelência aguardou o voto doConselheiro Umberto Silveira Porto. CONS. UMBERTO SILVEIRAPORTO: pediu vista do processo. O Conselheiro André Carlo TorresPontes reservou seu voto para a presente sessão. O ConselheiroAntônio Nominando Diniz Filho se declarou impedido. Em seguida,Sua Excelência o Presidente concedeu a palavra ao ConselheiroUmberto Silveira Porto que, após tecer algumas considerações acercada matéria, votou de acordo com o Relator, quanto ao mérito, mascom imputação de débito, apenas, do valor de R$ 43.122,03, conforme

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->