Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
178Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Leitura e Escrita (Emília Ferreiro e Ana Teberosky) 13pgs

Leitura e Escrita (Emília Ferreiro e Ana Teberosky) 13pgs

Ratings: (0)|Views: 36,872 |Likes:
Published by patriciasouzaw

More info:

Published by: patriciasouzaw on Apr 20, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/31/2014

pdf

text

original

 
LEITURA E ESCRITA
Após estudos de pesquisas de Emília Ferreiro e Ana Teberosky pelos técnicos e professores doSESIMINAS, evidenciou-se a necessidade de se efetivar substanciais mudanças nas estratégias de ação, naárea da Pré-Escola, no sentido de se conduzir o processo de alfabetização, observando e respeitando as idéiasoriginais que as crianças já trazem quando entram na Escola e a natureza e função desses objetos doconhecimento a serem apropriados pelos sujeitos que aprendem.Procurando criar uma pratica calcada nos pressupostos teóricos das mencionadas cientistas, professores e técnicos se empenharam na criação e/ou adaptação de atividades que propiciassem à criança,oportunidades de compreensão e evolução, respeitando-se suas hipóteses originais, ritmo e interesses, semdescuidar dos conflitos cognitivos(obs: certo e errado) que provocam o surgimento de novos esquemas deinterpretação.Além dos conhecimentos teóricos norteando a ação, as próprias crianças forneceram indicadoresquanto à propriedade das atividades, procedendo-se a alteração ou supressões, colhendo sugestões das próprias crianças, conforme o feed back apresentado.O preparo e postura da professora constituem aspectos muito importantes, pois ela precisa acreditar:-na capacidade da criança que aprende;-que o sistema da Linguagem Escrita é reinventado pelos alunos;-que a criança evolui construindo e reformulando suas hipóteses;-que não é necessário “ensinar” o tempo todo, mas possibilitar interações, interlocuções, confrontos etroca de pontos de vistas;-que os conflitos são benéficos e necessários, pois, provocam o progresso cognitivo;-que é preciso criar um clima propício à socialização do saber e intercâmbio de opiniões;-que o aluno tem a sua maneira própria de aprender.Sem essas condições, qualquer atividade sugerida nesse trabalho poderá degenerar-se em praticastradicionais de ensino, num enfoque empirista (de fora para dentro), se o professor não acreditar oudesconhecer a gênese de evolução da criança em relação à Lecto-Escrira.Visando colaborar com professores da Pré-Escola que desejam atuar numa linha construtiva,apresentamos, a titulo de sugestões, atividades que foram inicialmente criadas e desenvolvidas por algumas professoras da Pré-Escola – SESIMINAS.Enfatizamos que a reação da criança ante a atividade proposta, deverá servir de parâmetro quanto àdefinição de sua propriedade, naquele momento.
SUGESTÕES DE ATIVIDADES1 – Atividades envolvendo o primeiro nome dos alunos.
-Uso de crachás.
Seria interessante que a idéia para o uso dos crachás partisse das próprias crianças.
As fichas deverão ter o mesmo tamanho e o nome escrito em letra de imprensa maiúscula.
Poderá ser feito uma espécie de “colar”, fazendo-se dois furos na ficha para se amarrar um cordão, oucolocar a ficha no plástico próprio de crachá.
Durante um certo tempo, as crianças usarão esse colar (crachá), em uma parte do dia.
 
Que atividadesfavorecem a compreensãoe evolução da escrita?Como respeitar nacriança a sua legitimidadede aprender, de acordo comos níveis da psicogênese?
 
 No início, caso as crianças ainda não identifiquem o nome, a professora poderá ler a ficha, nomomento da distribuição. Posteriormente, as crianças saberão qual é a ficha que contém o seu nome.Chamada usando o cartaz de pregas.
Se possível, colar o retrato da criança em uma pequena ficha, separada do nome, colocando-a nocartaz de pregas. Essa forma possibilitará o uso dos retratos em outras atividades.
Colocar as fichas dos nomes no centro da rodinha. Cada criança no momento da chamada, procura oseu nome e o colocara ao lado do seu retrato, no cartaz de pregas.
Outra forma seria a própria criança fazer um desenho que possa constituir o indicador de sua ficha.
Apresentar para a classe, uma ficha de cada vez, deixando que os alunos descubram onde o seu nomeestá.Variações:
Colocar todas as fichas no centro da rodinha e assim que encontrar o nome, a criança deverá explicar  porque ela sabe que aquele é o seu nome.
Se surgir alguma confusão, no caso de nomes parecidos, deixar que as próprias crianças resolvam asituação, buscando outros indicadores que possam ajudá-las na identificação.
Distribuir as fichas nas mesinhas para que cada criança identifique o seu lugar.
Fazer um barco grande e bem colorido, pregando-o no mural. Fazer fichas com nomes das crianças ecolocá-las espalhadas no centro da rodinha.Cantar:“Que coisa boa é navegar. ColocaMarcelo”.Seu nome no barco.Olé, olé, olé, olá.Cuidado pra onda não te molhar”A criança, cujo nome foi citado, deverá procurá-lo e colocá-lo no barco, se possível, antes de terminar o canto. Repetir até que todas as fichas se encontrem no barco.Etiquetar os materiais individuais das crianças, colocando os nomes nas pastas, merendeiras,cadeiras, etc.Obs.: As etiquetas devem ser feitas pela professora para garantir o mesmo tipo de letras, o que favorecerá aidentificação e a permanência do registro.Atividade de classificação:
Os alunos poderão classificar as fichas dos nomes, colocando juntas as que se parecem emalguma coisa.Obs.: Em geral as crianças observam primeiro as letras iniciais depois as finais, e finalmente letrasintermediárias.
 
Variação:
Pedir por exemplo que as crianças, cujos nomes comece como Danielle, fiquem de um lado, ouformem um grupo, as que comecem como Evaldo, fiquem sem outro lugar, de acordo com o que for combinado antes com elas, e assim por diante.Fichas com os nomes havendo correspondência do tamanho da ficha com o nome.Ex:
Além das atividades de identificação, as crianças poderão trabalhar com fichas em classificação,seriação e conservação (quantidades discretas), sendo esta última, através do jogo “Bingo”, usandofeijão ou milho para fazer a marcação e fichas com letras isoladas.Dinâmica:
Cada criança identifica e recebe o seu nome. A professora apresenta uma letra de cada vez, podendodizer o seu nome se quiser, ou se as crianças perguntarem. Caso o nome tenha a letra apresentada, oaluno marcará com o feijão ou milho.
 No final os alunos farão a comparação, 2 a 2. para verificar quem precisou de mais feijão, porque ooutro precisou de menos, e assim por diante.Fichas sem correspondência de tamanho, ou seja, um nome grande com uma ficha pequena e umnome pequeno em uma ficha maior.Ex:Explorar:Quantidades discretas: Qual nome é maior?
Por que ele é maior? (observar se a criança se guia pelo número de letras ou pelo tamanho da ficha).
Qual é a ficha maior? (comparar a ficha maior com o nome maior).
Agrupar as fichas que possuem o mesmo número de letras.O jogo do “Bingo” poderá ser feito nessas fichas, possibilitando à criança perceber que embora aficha seja grande, ela usou poucos feijõezinhos para marcar as letras.
YURI CLAUDIAFERNANDO MARIANAANAMAURICIOPAULO
LUIZ

Activity (178)

You've already reviewed this. Edit your review.
TicaPatricia liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Juliana Karla liked this
Graziele Moraes liked this
Elsa Baptista liked this
Edilene Costa liked this
Daiane Lima added this note
ótimo bem explicado.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->