Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
True Blood - Escravos do Amor - Capítulo 46 - Intriga Internacional

True Blood - Escravos do Amor - Capítulo 46 - Intriga Internacional

Ratings: (0)|Views: 27,004 |Likes:
Published by WE LOVE TRUE BLOOD
Estamos na reta final da Terceira Temporada. Semana que vem teremos capítulos duplos da Season Finale!!!
Estamos na reta final da Terceira Temporada. Semana que vem teremos capítulos duplos da Season Finale!!!

More info:

Published by: WE LOVE TRUE BLOOD on May 29, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/26/2013

pdf

text

original

 
Temporada 03 Capítulo 46 
Intriga Internacional 
It's going to be a long night.
O carro de Pam parou alguns metros da mansão de Bill. Sookita se mexiaincomodada no banco de trás, Tara sentada no banco do passageiro olhavapara ela com preocupação.“Está tudo bem?”“Sim. Eu posso fazer isso.”, Sookita sorriu para a amiga tentando demonstrar confiança.“Não é se pode, minha cara.”, Pam lançou um olhar gélido pelo retrovisor, sefosse uma Medusa, Sookita estaria como pedra. “Te dou no máximo 30minutos.”“Deixa ela tentar pelo menos. Está se recuperando do susto.”, Tara dissefranzindo o cenho.“Se demorarmos muito, terá que se recuperar mais ainda quando Eric morrer.”“Ele não morreu ainda. Nem tudo é sobre Eric.”, Tara retrucou.“Nem tudo é...”, Pam se virou bufando e mostrando as presas. “Não são asbundas de vocês que estão na reta. Agradeça por eu não ter quebrado opescoço dessa vagabunda.”, ela apontou para Sookita.“Ela não tem obrigação de salvar Eric. Ele quis matar Jason, só não fez porquenão teve tempo.”, Tara gritou gesticulando sem parar.Pam agarrou o pescoço de Tara com uma das mãos e bateu com força acabeça dela na janela do carro, só não quebrou por ser um vidro reforçado.“Parem com isso.”, Sookita deu um chute no banco de Pam e depois no deTara. “Não precisamos de mais mortes para salvar uma. Eu já disse que sei oque farei.”“Vá de uma vez.”, Pam disse soltando o pescoço de Tara e escondendo aspresas.
 
“Vai dar tudo certo.”, Sookita colocou a mão no ombro de Tara antes de sair docarro.“Volte logo...”, Tara implorou com o olhar.Pam deu de ombros se ajeitando no banco. Sookita abriu a porta do carro eantes que pudesse sair, Pam a segurou pelo pulso.“Tem passaporte?”“Não.”“Como entraremos nos Estados Unidos com uma maldita mexicana ilegal?”,Pam balançou a cabeça. “Clichê maior do que esse não existe.”“Sookita nunca saiu do México.”, Tara disse encolhendo os ombros.“Nunca tive motivo pra isso.”, Sookita concordou com a amiga.“Agora tem, merda... agora tem.”, Pam continuava balançando a cabeça. “Nadadá certo, vou tentar dar um jeito.”“Como?”, Tara e Sookita falaram juntas.“Já queriam uma solução agora? Não sou um gênio da estratégia como Eric.”,ela disse baixando a cabeça, ele saberia como agir nesse momento, elesempre tinha as respostas.“Estou indo.”, Sookita saiu pela porta.“Não esqueça a bolsa.”, Tara desceu a janela com rapidez e entregou umabolsa de reciclagem com cores espalhafatosas para ela.Sookita sentiu o peso assim que a pegou na mão, não poderia demonstrar quecarregava algo pesado quando passasse pelos guardas. Treinou um pouco acaminhada antes de continuar.“Hey, não coloque mais um vestido de algodão, fica parecendo umacamponesa. Vista algo classudo.”, Pam disse colocando a cabeça para fora da janela. “Como se tivesse alguma...”, completou baixo o suficiente para Taraouvir.Sookia deu de costas, sempre que encontrava Pam ouviu algum tipo de insultoou provocação. Estava estranhamente mal acostumada, ser tratante fazia parteda personalidade de Pam. Só demonstrava sentir algo quando falava de Eric.Pelo menos isso tinham em comum.Como também era estranho em questão de horas ir do ódio profundo ao medodesesperador de perder Eric. Ela viu na mente dele, Eric com Jason, viutambém pelo Executor. Ela não se enganou, não foi um erro, ele também não
 
negou. Mas, sabia que Eric se entregou pela insistência dela, porque elanecessitava que fosse ele o assassino, uma confirmação para o que acreditavade que ele fosse capaz de fazer o que fez.Como ela podia amá-lo se o desejava como assassino? Que tipo de insanidadeera essa? Ela caminhava com esses pensamentos conflitantes quando passoupelos guardas na entrada da mansão. Andava com firmeza, mas sentia asmãos tremendo por causa da pesada bolsa. Manteve o telefone desligadodesde que saiu do apartamento de Pam. Esperava que a mentira inventada por Tara fosse o suficiente para não levantar suspeitas.Ela atravessou a alameda olhando a todo momento para trás, os guardasvoltaram a patrulha na portaria. Respirou aliviada, parou alguns minutos antesde continuar para recuperar as forças. Ainda sentia as mãos tremendo peloesforço.Pegou nas alças da sacola que dançaram em sua mão de tão suada queestava. Sookita começava a entender o que iria fazer, e não queria pensar nasconsequências. Abriu a porta devagar, não queria chamar a atenção dosempregados. Olhou para o relógio antigo que ficava no lobby, era maior do queela, o pêndulo balançava de maneira hipnótica de um lado para o outro, umsom calmante vinha do tic-tac. Eram quase onze da noite, Bill estaria sepreparando para sair.Sookita subiu a escada arrastando a sacola, torcia para não encontrar Bill nocaminho. O plano tinha que dar certo. A ironia da coisa era que ficou tãochateada por Tara ter feito o que fez com ela, e agora deveria fazer o mesmo.Caminhou pelo corredor acarpetado que nessa noite parecia maior do que nasoutras vezes, antes não carregava uma sacola cheia de culpa. Abriu a porta do quarto que estava vazio, sentiu um alivio quando ouviu o somdo chuveiro. Bill estava tomando banho, ela teria tempo de se preparar. Levoua sacola até o lado da cama onde ele dormia, tirou o conteúdo e posicionouembaixo da cama. Quase gritou de alivio por não precisar carregar mais aquelepeso, olhou para os dedos vermelhos, estavam esbranquiçados nas pontas.Trocou de roupa rapidamente, ainda ouvindo o chuveiro de Bill ligado. Colocouo vestido preto curto que usou na missão com Eric em Tijuana. Havia ganhadotodas as roupas daquela viagem, apesar de tudo ter dado errado. A lembrançade Eric veio em sua mente, sentiu o coração pesar, mas não podia se lamentar,tinha que agir primeiro, depois choraria o erro cometido.Não ficariam muito tempo nos Estados Unidos, seria bate e volta como Pamdisse. Salvariam Eric e pronto. Ela pegou a maior bolsa que tinha, iria seprevenir se algo acontecesse. Revirou as roupas, evitando qualquer vestidocamponesa, nas palavras maldosas de Pam. Sookita achou um vestido que

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->