Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Espinosa e o estoicismo: Modalidades, determinismo e moralidade

Espinosa e o estoicismo: Modalidades, determinismo e moralidade

Ratings: (0)|Views: 92|Likes:
Published by Victor Galdino
G. W. Leibniz, em uma crítica a alguns pensadores de sua época (1989, p. 282), refere-se ao filósofo Bento de Espinosa como membro do grupo de novos estóicos. Leibniz não é o único a atribuir a Espinosa uma tentativa de dar continuidade, em algum sentido, às doutrinas dos pensadores estóicos. Como nota A. A. Long, em um dos artigos da coletânea The Cambridge companion to the Stoics (2006, p. 408), muitos comentadores tratam-no não só como um sucessor destes, mas também como um filósofo preocupado em reconfigurar o pensamento estóico na sua obra escrita mais importante (Ética). No entanto, em muitas obras de importantes comentadores de sua filosofia, há uma ausência de qualquer menção ao estoicismo, o que poderia parecer estranho se considerarmos que, como muitos defendem, a dívida de Espinosa com relação aos estóicos é tão clara em seu pensamento, sendo explicada pelo papel que o neo-estoicismo desempenhou nos séculos XVI e XVII na cultura européia.
G. W. Leibniz, em uma crítica a alguns pensadores de sua época (1989, p. 282), refere-se ao filósofo Bento de Espinosa como membro do grupo de novos estóicos. Leibniz não é o único a atribuir a Espinosa uma tentativa de dar continuidade, em algum sentido, às doutrinas dos pensadores estóicos. Como nota A. A. Long, em um dos artigos da coletânea The Cambridge companion to the Stoics (2006, p. 408), muitos comentadores tratam-no não só como um sucessor destes, mas também como um filósofo preocupado em reconfigurar o pensamento estóico na sua obra escrita mais importante (Ética). No entanto, em muitas obras de importantes comentadores de sua filosofia, há uma ausência de qualquer menção ao estoicismo, o que poderia parecer estranho se considerarmos que, como muitos defendem, a dívida de Espinosa com relação aos estóicos é tão clara em seu pensamento, sendo explicada pelo papel que o neo-estoicismo desempenhou nos séculos XVI e XVII na cultura européia.

More info:

Published by: Victor Galdino on May 30, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/03/2014

pdf

text

original

You're Reading a Free Preview
Pages 5 to 44 are not shown in this preview.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->