Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
41Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Palestra - A Ação do Assistente Social na Dependência Quimic

Palestra - A Ação do Assistente Social na Dependência Quimic

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 9,780 |Likes:
Published by Pablo Santos Lira
www.saudeglobalcaps.com.br

Palestra- A ação do Assistente social na depência química
www.saudeglobalcaps.com.br

Palestra- A ação do Assistente social na depência química

More info:

Published by: Pablo Santos Lira on Apr 22, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/30/2013

pdf

text

original

 
A Ação do Assistente Social na DependênciaQuímica e Compulsões.
Quando falamos em dependência química ou doençascompulsivas, devemos sempre lembrar que trata –se dedoenças que eu também sou vulnerável , é multifatorial.Isto quer dizer que ela é causada por vários fatores, comoo tipo de droga utilizada, predisposição hereditária,ambiente em que o usuário vive, relacionamento social efamiliar, motivações pessoais para o uso ,etc.Nós profissionais da área, muitas vezes, nos achamosisentos, protegidos contra estas doenças compulsivas,porque conhecemos o problema , atuamos no meio,temos informações suficientes,etc.Precisamos nos reconhecer no problema, porque todosnós somos fragilizados e passíveis de nos viciarmos. AEscola Simbólico -Experiêncial – de Terapia Familiar deWitaker, nos traz este conceito como condicional para noscapacitarmos para podermos atender famílias com estetipo de problemas.Porque um individuo busca a drogadição, ou desenvolvealgum tipo de compulsão?Existencialmente todos nós temos problemas, e muitasvezes temos necessidade de fugir deles, a droga às vezesé uma forma de fugir, de enfrentar, de conhecer limites,necessidade de aceitação do grupo, dificuldade norelacionamento familiar etc...I
E a atuação do Assistente Social.
Deve-se primeiramente conhecer com o que estamoslidando, que tipos de drogas existem, qual a ação de cadauma nos indivíduos etc. Temos aqui uma classificação das drogas que nos ajuda anos localizarmos na questão:
 
Drogas:
Depressoras do Sistema Nervoso centralSão aquelas que diminuem a atividade do cérebro, fazendo-ofuncionar mais lentamente, aparecem sintomas como sonolência,lentidão dos movimentos. Ex;Ópio, morfina e heroína (no início também estimula)Crack e merla (inicialmente estimuladora em seguida depressora).Álcool, cocaína (no início também estimula).
Estimuladora do Sistema Nervoso Central
Aquelas de excitam a atividade do cérebro, fazendo com que oestado de vigília fique aumentado. A pessoa perde o sono, a fome,aumentando a sua ação motora e podendo em doses elevadasproduzir alucinações e delírios. Ex.; Café, chás, remédios paraemagrecer, cocaína, solventes e inalantes, anfetaminas.
Perturbadoras do Sistema Nervoso Central
São aquelas que produzem mudanças qualitativas no seufuncionamento. Causam alterações mentais que não fazem parte danormalidade, como por ex. delírios, ilusões e alucinações, são sub-classificadas em vegetal:maconha e amescalina e as sintéticas oecstasy e o LSD.
Após as exposições colocar a importância de nósprofissionais sabermos e identificarmos com
 
quemestamos lidando, se o nosso cliente esta envolvido numadroga depressora, ou estimulante pesquisaremos o queesta por trás dessa situação, no seu contexto globalizado(empresa, família, amigos etc.) está influenciando nesteindividuo, para podermos
 
alerta-lo, ou mesmo intervir junto à situação.
O denominador comum entre todas estas substâncias é acapacidade de promoverem alterações psicológicas e asimplicações e conseqüências com o seu uso, podem se tornar
 
avassaladoras para os usuários, seus familiares, amigos eempresas.O que fará a diferença são as informações ,uma profunda reflexãoe principalmente acreditar que as pessoas que estão envolvidascom este problema podem se transformar.
 Porque uma empresa atuaria num problema que não temcura, apenas se tem um controle?A QUESTÃO DO CUSTO BENEFICIO, É MUITO IMPORTANTEPARA AS ORGANIZAÇÕES.
 Todos nós somos dependentes em potenciais, como vimos no inícioda palestra , todo ser humano é predisposto a se tornar umdependente. Caso a empresa decida pela demissão todas as vezesque se deparar com este problema, ela esta sempre correndo orisco de ao selecionar outro funcionário para reposição, admitiroutro drogadependente em potencial, porque este problema esta nasociedade em geral.O mesmo acontece quando se discrimina um obeso , por exemplo.As doenças compulsivas não faz o paciente de vitima, masleva consigo todos ao seu redor, ou às vezes ele é o sinalizador deque naquela ambiente, família, empresa amigos estão comproblemas.Por isso que atuar na recuperação e prevenção é mais lucrativopara as organizações.Um pouco que você colabora com o controle dessa doença social jáé ganho para a empresa em todos os aspectos, de produtividade,queda do absenteísmo, melhoria do desempenho etc. eprincipalmente na fidelidade do empregado que foi alcançado comestes tipos de ajuda.Alguns aspectos
da atuação do Assistente Social
, que eugostaria de assinalar com toda a ênfase possível:Existe 4 tipos de profissional:1º -
Os que crescem profissionalmente
(Isto é os que investemem si mesmo);2ª-
Os que não desistem
– se tornam frios, impessoais, técnicos,manipuladores, mas não reconhecem suas fraquezas;3º -
Os que se retiram
– reconhecem que não conseguem toleraras angústias pessoais;

Activity (41)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
rosinham liked this
Adriana Carneiro liked this
Margarete Monegatto added this note
é um exelente texto,mas quem escreveu este texto?????
Rayanne Alves liked this
Andréa Leão liked this
Cris Leitte liked this
Edna Novaes liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->