Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Entrevista com o Psicólogo Wálter Vieira Poltronieri

Entrevista com o Psicólogo Wálter Vieira Poltronieri

Ratings:

5.0

(2)
|Views: 777 |Likes:
Published by wpoltronieri43

More info:

Published by: wpoltronieri43 on Apr 28, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/02/2013

pdf

text

original

 
Entrevista com o Psicólogo Wálter Vieira PoltronieriW - Meu nome é Walter Poltronieri eu tenho 46 anos estou formado a 20anos, sou formado pela USP tenho mestrado e doutorado pela em Psicologiasocial pela USP também, professor universitário a pelo menos 16 anos, já fuifuncionário da prefeitura de São Paulo na gestão da Erundina sai na gestão doMaluf porque o salário começou a cair, e ai eu tenho muita facilidade em passar em concurso publico então escolhi trabalhar menos e ganhar mais, porque aquio psicólogo trabalha apenas 4 horas, tem também a jornada de 6, mas pra mimnão é interessante, porque aí eu teria que diminuir a hora do consultórioparticular.C- E aqui seu trabalho é especificamente com portadores familiares desoro positivos DST´s?W- Aqui é o CTA (centro de testagem e aconselhamento), aqui o foco é aprevenção, então aqui agente luta para que as pessoas não peguem doença, ese elas pegaram para elas se protegerem, cuidarem. A diferença entre atençãoprimaria e atenção secundaria. Na prevenção agente trabalha bastante no nívelinformacional, de levar informação pra pessoa saber que existe pra ela seproteger, o segundo nível é quando a já pegou alguma coisa, quando a pessoa já pegou alguma coisa aí ela já esta mobilizada porque já tem alguma doençanão necessariamente o HIV, aí fica um pouquinho mais fácil da gente entrar porque a pessoa esta em sofrimento, ela esta fragilizada por conta do principioda realidade que é a doença. E no nível terciário a pessoa pegou aí já é lá sãoos grupos de adesão para fazer com a que a pessoa aceite que tem apatologia, impedir que a pessoa entre na fase de desespero ou que ela fiquecom extrema raiva, porque as vezes quando o diagnostico é positivo do HIVmuita gente já enxerga que o positivo o sinalzinho subiu e é sinal de morte ,muito gente “a é eu to então vou levar um montão de gente” sai por aitransando com todo mundo sem camisinha, quando é na fase da raiva e doódio depois o diagnostico.E na adesão depois que a pessoa aceitou que tem, aí agente luta paraque ela tome as medicações no prazo e nas quantidades estabelecidas, que
 
façam os exercícios, não faça uso de drogas nem de fitoterápicos porque issoai interfere com as medicações, tudo aquilo que mexe com a medicação com oanti-retroviral faz com que os vírus crie resistência eles vão ficando mais forte,então lá é um trabalho de muita persuasão do paciente, aqui não, aqui é desensibilização, muitas pessoas vêem aqui achando que pegaram, as vezes éuma fantasia, a camisinha estourou, fez uso de álcool ou de drogas aí teveuma relação suspeita, e tem gente também que infelizmente sofreu umaviolência aí o cara nem tava querendo saber se ia usar ou não estava maisinteressado em praticar o sexo mesmo. Tem também mulheres casadas quenão estavam querendo muito sexo naquele dia e aí os maridos obrigaram, eque já suspeitavam que eles pulavam a cerca, este é apenas um pedacinho dotrabalho aqui.Uma coisa que eu fiz ontem por exemplo foi dar uma palestra aqui norestaurante, eu peguei o material e fui no restaurante, agente vai aos locais, aíleva o nome da prefeitura, é muito gostoso.C- É mais tranqüilo trabalhar com a prevenção?W - Nem todos os psicólogos gostam viu, tem gente que gosta detrabalhar mais o miudinho de trabalhar o paciente, porque pra estar aqui teveuma concorrência, teria que ser uma pessoa que não tivesse preconceito quegostasse de dar palestras e aulas, e este setor aqui é muito rico, agente temmuito investimento, pelo menos 3 vezes ao ano eu vou fazer curso em SãoPaulo e fora de São Paulo, pela verba do SUS direcionada ao DST AIDS, o deacolhimento que eu tive por exemplo eu adorei, toda a teoria do Rogers, jáouviram falar dele? É o grande pai das teorias de aconselhamento, ele vaiensinar vocês a ouvirem, ouvir não só com a mente mas com o coraçãotambém, e que agente não deve resolver o problema da pessoa, mas ajudá-laa descobrir o que é interessante pra ela, ele traz também as perguntas que sãointeressantes pra pessoa começar a falar, tudo isso aplicado pro contexto dasexualidade.C Dentro do nosso trabalho, focaremos bastante o portador, egostaríamos de saber de você enquanto profissional psicólogo, existe algumdilema frente a este trabalho que vodesenvolve? Até mesmo a velpessoal?
 
W- Sim, nós sabemos de várias pesquisas que o câncer de próstata queacomete pessoas, a próstata é masculina, vocês mulheres eu creio que estãoprotegidas, primeiro porque vocês não tem a próstata segundo que vocêsmenstruam, e tem várias religiões que propõem a abstinência sexual e o autoprazer, o nome chique da masturbação né? Então a opção religiosa, que temaqui, eu respeito, eu procuro trazer uma informação cientifica, e é sua decisãoescolher, o homem que não tem relação sexual que não faz na mão e que nãosonha é um forte candidato a ter o câncer de próstata, porque Deus fez umprocesso pra eliminar o espermatozóide, nos sabemos que a próstata quantomais cheia, mais dilacerada ela vai ficando, os próprios urologistas falam:“próstata quanto mais vazia mais saudável”, muitas religiões ainda estão lácom as idéias da idade média amaldiçoam todas as praticas que não gerambebê.C – Onde o sexo seria apenas para a reprodução?W- Isso, eles colocam que é coisa do satanás, do diabo, então tem esteconflito aí. Tem muita gente que vem aqui, e ela vamos dizer assim, ela já teveuma vida na prostituição, ou como garota de programa, e a pessoa tem muitavergonha disso, e as vezes o nosso atendimento aqui é rápido, e eu gostariaque esta pessoa voltasse pra gente tirar este peso do preconceito, pra pessoaaceitar, e é assim tem gente que fica muito ameaçado por que ó, estes vidrosaqui, muitas vezes dá pra ouvir do lado de fora, e as vezes o marido onamorado esta aí, este é um dilema eu já solicitei uma sala com melhor acústica.A- Fechado? É porque ficaria mais restrito?C- A pessoa se sentiria mais segura? Você conseguiria atuar um poucomais?W- Isso as vezes a pessoa não é só portadora de um vírus ela éportadora de um segredo, e o núcleo do segredo, vocês vão aprender issotalvez em terapia da família, qual é o núcleo? O que tem lá segurando umsegredo familiar? É a vergonha o constrangimento, o embaraço isso é um pesopra pessoa, vocês já tiveram Jung? Estão no primeiro ano?A- Ainda não

Activity (6)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
priscyla2011 liked this
Sâmia Michele liked this
Gracielly Motta liked this
Thais Haro liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->