Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Natureza Sagrada: Ensaios de Ecologia Humana

Natureza Sagrada: Ensaios de Ecologia Humana

Ratings: (0)|Views: 395 |Likes:
Published by Ricardo Bitencourt
Porque “Natureza Sagrada” e não “Natureza Sangrada”? Estes, são dois modelos clássicos de como pensamos a Ecologia na contemporaneidade: o que restou (sagrado) e o que foi destruído (sangrado).

O primeiro nos remete a inúmeras situações que promovem a conservação da biodiversidade planetária e, destacamos como tese, está associada a uma lógica de sacralização da Ecologia vivenciada pelos grupos humanos desde os primórdios da humanidade, particularmente os povos e comunidades tradicionais.

A segunda, nos devolve a sensação de uma banalização dos sistemas ecológicos da Terra, usados como objetos, como bens de usos descartáveis, como recursos a serviço de um projeto civilizacional etno e ecocída.

“Natureza Sagrada” é filho de uma experiência vivenciada na ocasião do oferecimento da disciplina “Subjetividades Contemporâneas e Ecologia”, do mestrado em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGEcoH), da UNEB Campus VIII. Trata-se de uma elaboração “nova” na Academia, que buscou analisar como os grupos tradicionais pesquisados no PPGEcoH (indígenas, quilombolas, pescadores artesanais, ciganos, fundo de pasto, povos de terreiros, alunos, professores, presidiárias, meleiros, atingidos de barragens, reassentados, entre outros) elaboram a noção de “sagrado” e em que medida estas representações, simbolizações, significações, ligam-se a uma noção de natureza e forjam novos sentidos para a Ecologia Humana na contemporaneidade.

OS PRIMEIROS ECÓLOGOS HUMANOS FORMADOS NO BRASIL, embarcaram nessa fascinante aventura e produziram as preciosidades que podemos ver neste livro, que fala-nos de um “segredo sagrado”, cujos fragmentos compõem a espinha dorsal da “Ecologia da Alma”, descrito pelos elementos da “Alma da Ecologia”.
Porque “Natureza Sagrada” e não “Natureza Sangrada”? Estes, são dois modelos clássicos de como pensamos a Ecologia na contemporaneidade: o que restou (sagrado) e o que foi destruído (sangrado).

O primeiro nos remete a inúmeras situações que promovem a conservação da biodiversidade planetária e, destacamos como tese, está associada a uma lógica de sacralização da Ecologia vivenciada pelos grupos humanos desde os primórdios da humanidade, particularmente os povos e comunidades tradicionais.

A segunda, nos devolve a sensação de uma banalização dos sistemas ecológicos da Terra, usados como objetos, como bens de usos descartáveis, como recursos a serviço de um projeto civilizacional etno e ecocída.

“Natureza Sagrada” é filho de uma experiência vivenciada na ocasião do oferecimento da disciplina “Subjetividades Contemporâneas e Ecologia”, do mestrado em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGEcoH), da UNEB Campus VIII. Trata-se de uma elaboração “nova” na Academia, que buscou analisar como os grupos tradicionais pesquisados no PPGEcoH (indígenas, quilombolas, pescadores artesanais, ciganos, fundo de pasto, povos de terreiros, alunos, professores, presidiárias, meleiros, atingidos de barragens, reassentados, entre outros) elaboram a noção de “sagrado” e em que medida estas representações, simbolizações, significações, ligam-se a uma noção de natureza e forjam novos sentidos para a Ecologia Humana na contemporaneidade.

OS PRIMEIROS ECÓLOGOS HUMANOS FORMADOS NO BRASIL, embarcaram nessa fascinante aventura e produziram as preciosidades que podemos ver neste livro, que fala-nos de um “segredo sagrado”, cujos fragmentos compõem a espinha dorsal da “Ecologia da Alma”, descrito pelos elementos da “Alma da Ecologia”.

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Ricardo Bitencourt on Jul 04, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/24/2014

pdf

text

original

 
  
  


 
  
  


 
  
 
2012 Juracy Marques (org.)
Ensaios de Ecologia Humana
NS
 ATUREZA AGRADA
 
 !"#$%&'&()*&(+%&(%*&,%%*&%%*&%-+.%/+&'/%%%"'+0+1'+&%+&

23%456%7888# .'/5.*&%9+6%:%+;5<#9=)'!*&6%.#.866%."2;)>86%(%??@@'A%??B?C(9D39%
=)'<;&<EBFG!.+G#?#GBFEHDF20HI1EHFJIEKGDL'' AAA''
!"!#$%&'()*+'"",%-+"-+"+&".!()"/0

Activity (4)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Renata Kaylane liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->