Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
73Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A arte no Egito

A arte no Egito

Ratings:

4.75

(4)
|Views: 77,526|Likes:
Published by mariana 97

More info:

Published by: mariana 97 on May 13, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/24/2013

pdf

text

original

 
A arte no Egito
Uma das principais civilizações da Antiguidade foi a que se desenvolveu no Egito. Erauma civilização já bastante complexa em sua organização social riquíssima em suasrealizações culturais, além disso, os egípcios produziam uma escrita bem estruturada,graças a qual temos um conhecimento bastante completo de sua cultura.
A religião:
 Talvez o aspecto mais significativo da cultura egípcia seja a religião. Tudo no Egito eraorientado por ela: o mundo poderia – na visão desse povo – ser destruído se nãofossem as preces e os ritos religiosos. A felicidade nessa vida e a sobrevivência depoisda morte eram asseguradas pelas práticas de rituais, e até mesmo “ o ritmo dasenchentes, a fertilidade do solo e a própria disposição racional dos canais de irrigaçãodependiam diretamente da ação divina do faraó”.A religião, portanto, invadiu toda a vida egípcia, interpretando o universo, justificandosua organização política e social, determinando o papel de cada classe social e,conseguintemente, originando toda a produção artística desse povo.Além de crer em deuses que poderiam interferir na história humana, os egípciosacreditavam também numa vida após a morte e achavam que essa vida era maisimportante do que a que viviam no presente. Inevitavelmente, a arte criada por essepovo refletiu suas nas suas crenças fundamentais. Dessa forma, a arte egípciacaracterizou –se, desde o início, nos túmulos, nas estatuetas e nos vasos deixados junto aos mortos. É por isso também que a arquitetura egípcia se realizou, sobretudonas construções mortuárias.As tumbas dos primeiros faraós eram réplicas das casas em que moravam, enquantoas pessoas sem importância social eram sepultadas em construções retangularesmuito simples, chamadas mastabas. Entretanto, foram as mastabas que deramorigem às grandes pirâmides construídas mais tarde.
A imponência do poder religiosos e político. 
Por volta de 2700 a.C., a sociedade egípcia já apresentava uma estrutura bastantecomplexa. As classes sociais começaram a ganhar limites nítidos. De um ladoestavam os faraós cercados por nobres e sacerdotes, de outro, os comerciantes,artesãos e camponeses. E numa situação marginalizada, estavam os escravos, umasignificativa parte da população.Nessa época e nesse contexto social, teve início com o soberano Djoser o AntigoImpério ( 3200 - 2200 a.C.,). Esse faraó exerceu o poder autorietariamente etransformou o Baixo Egito, com a capital em Mênfis, no centro mais importante doreino.
 
 Desse período restaram importantes monumentos artísticos, feitos para atestargrandiosidade e a imponência do poder político e religioso do faraó. A pirâmide deDjoser, por exemplo, na região de Sacará, construída pelo arquiteto Imotep, é talvez aprimeira construção egípcia de grandes proporções.Mas são as pirâmides do deserto de Gizé as obras arquitetônicas mais famosas. Foramconstruídas por importantes reis do Antigo Império: Quéops, Quéfren e Miquerinos. Amaior, a de Quéops tem 146 metros de altura e ocupa uma superfície de 54.300metros quadrado. Esse monumento revela o domínio que os egípcios demonstravamem sua técnica de construção, pois não existe nenhuma espécie de argamassa entreos blocos de pedra que formam suas imensas paredes. Junto a essas três está a esfinge mais conhecida do Egito. É uma obra tambémgigantesca, com 20 metros de altura e 74 metros de comprimento. Na verdade, elarepresenta o faraó Quéfren, mas a ação erosiva do ventos e areias do deserto deram-lhe, ao longo dos séculos, um aspecto enigmático e misterioso.
 
Uma arte majestosa
A arte acompanhou o ritmo da arquitetura. Desde os tempos pré históricos, osartesões do Nilo tinham manifestado um senso de beleza e simetria que aparecia aténos objetos mais utilitários – facas de sílex, vasilhas domésticas de pedra oucerâmica, grampos e pentes de osso ou de concha. Com o advento dos faraós, essaqualidade estética floresceu numa arte amadurecida, caracteristicamente egípcia peloseu conceito e sua natureza. Nos 3000 anos seguintes, anos seguintes, o Egitoproduziu uma arte graciosa e vigorosa, que serviu, entre outras coisas, para inspiraros grandes escultores e artistas gregos que surgiram séculos depois.Os escultores produziam imagens colossais de deuses ou reis impassíveis em pedrase faziam também retratos de tamanho natural em pedra, madeira e cobre. Ospintores acrescentavam cores vivas aos trabalhos dos escultores, cobrindo tambémas paredes dos templos, com majestosas cenas oficiais e religiosas, decorandopalácios e sepulturas com movimentos murais. Os edifícios importantes dos antigosegípcios resplandeciam de cor.

Activity (73)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Diana Gomes liked this
Antônio Amorym added this note
legal....
Marcia Michelyne Silva added this note
esse site e muito lgal m ajudou muito a fazer eu dever de casa
Gabriel Henrique liked this
Márcia Siqueira liked this
adamcosta2001 liked this
adamcosta2001 liked this
secondgrace liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->