Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Discurso sobre perdão da dívida do Congo

Discurso sobre perdão da dívida do Congo

Ratings: (0)|Views: 90 |Likes:
Senado Federal, julho de 2013
Senado Federal, julho de 2013

More info:

Published by: Aloysio Nunes Ferreira on Jul 11, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/11/2013

pdf

text

original

 
 
SENADO FEDERAL
 
SF
- 201
SECRETARIA-GERAL DA MESA
 
SECRETARIA DE TAQUIGRAFIA E REDAÇÃO DE DEBATESLEGISLATIVOS
 
D:\USERS\moherdau\Downloads\10-07 Encaminhamento Projeto anistia ECT.doc 11/07/1317:26
 
O SR. ALOYSIO NUNES FERREIRA
(Bloco/PSDB
 –
SP.)
 –
Sr.Presidente, no interesse de uma votação em tempo razoável, essa que já demoratanto tempo já, falo em nome do meu Partido e também por delegação do Senador  Agripino, em nome dos companheiros dos Democratas e em nome da oposição. Aoposição que foi colocada no pelourinho pelo Senador Humberto Costa, que nosacusou de irresponsáveis fiscalmente. O Senador, que é membro de um partido,que defende o Governo, que acaba de perdoar, contra o nosso voto, uma dívida decerca de US$300 milhões de um país africano, o Congo, um país ditatorial, um paísgovernado por uma elite corrupta, num perdão de dívida, aliás, onde estãoembutidos interesses empresariais promovidos pelo ex-presidente.Pergunto ao Senado e ao Senador Humberto Costa: quem é o autor do projeto que vamos votar? É alguém do PSDB? É a Ministra Maria do Rosário,que, até pouco tempo, aqui, pedia votos para aprovação do seu projeto, desseprojeto que hoje o Líder do PT, o Senador Humberto Costa, nos acusa deirresponsável fiscalmente.Esse projeto foi aprovado, tendo como Relator na Câmara umDeputado do PT, o Deputado Carlos Santana. Carlos Santana é, por acaso, doPSDB, é dos Democratas? É do PT. Acaso, em 2007, nós, Democratas e PSDB,tínhamos maioria na Câmara dos Deputados, quando esse projeto foi aprovado?Não. O Governo do PT já tinha uma base quase tão grande como a que tem hoje eaprovou entusiasticamente o projeto, esse projeto que agora quer rejeitar.E o Senador Humberto Costa, ao voltar suas baterias contra aoposição, atira também nos seus próprios correligionários da base do Governo, queaqui se pronunciaram a favor do projeto e que são companheiros seus do PT. Acaso Paulo Paim é membro dos Democratas ou do PSDB? Que história é essa?Será que o PT, em 2007, votou o projeto porque achava que ia perder as eleições? Aqui se pronunciaram, a favor do projeto, Líderes da base doGoverno, que dão sustentação ao atual Governo; que muitas vezes votam medidasantipáticas, medidas difíceis, como, por exemplo, muitos rejeitaram os 10% para asaúde para atender às recomendações do Governo.E o Senador Humberto Costa, ao querer nos atingir, atinge também osseus correligionários, que dão sustentação ao Governo aqui: do PMDB, do PSB, doPDT, do PP, do PC do B, do Bloco União e Força; todos eles que se pronunciarama favor do projeto.Então, meu caro companheiro, amigo, Humberto Costa, que nosacusa de irresponsabilidade fiscal, vá varrer primeiro diante da sua própria porta.Um governo que faz as estrepolias que faz em matéria de contabilidade pública,que transforma as nossas contas nacionais em uma espécie de relato das façanhasdo Barão de Münchhausen, nos acusa a nós de sermos irresponsáveis?. O que éisso? Pelo amor de Deus!Nós não votamos doações do dinheiro público para ditadurascorruptas, e por interesses pouco republicanos, que aprovou mandar 300 milhõesde dólares foi o governo do PT, com o apoio do Senador Humberto Costa.Nós vamos votar a favor a favor dos trabalhadores. Nós vamos votar afavor responsavelmente.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->