Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
4a apostila

4a apostila

Ratings: (0)|Views: 168 |Likes:
Published by Andreia Torres

More info:

Published by: Andreia Torres on Jul 12, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/15/2013

pdf

text

original

 
 
ASHTANGASÁDHANA:
7
o
e8
o
angas
 7º Anga
 
 Yoganidrá
É um termo sânscrito composto de duas palavras: Yoga (união, convergência) e nidrá (sono).
Definição:
sono lúcido, sono consciente, técnica de descontração e relaxamento.
Funções principais:
É um método de relaxamento profundo, cujo objetivo é o equilíbrio físico,emocional e mental.
Quando ministrado no início da aula, prepara o estudante para a prática.
Quando ministrado no final da aula, promove a assimilação dos benefícios da prática.O relaxamento é antes de tudo o tranquilizante natural dos yogins, favorecendo o fim da ilusão do egocada vez menos afetado pelas emoções.
Características
O estado de relaxamento é alcançado por uma interiorização que afasta as sensações exteriores.É o relaxamento que auxilia os yogins na assimilação e manifestação dos efeitos produzidos por todos os angas executados anteriormente. A eles, somam-se os próprios efeitos de uma boadescontração muscular e nervosa. Porém, o yoganidrá quando ministrado no início da prática, ouantes, de qualquer anga, tem o efeito de auxiliar a abstrair os sentidos (pratyahára) e,consequentemente, potencializar a concentração (dhárana) para os angas posteriores.Considerando que o Yoga é um processo de comunhão, a integração dos conteúdos conscientes einconscientes determina uma personalidade mais equilibrada e plenamente coerente. Dessa forma orelaxamento alcançado em yoganidrá possibilita observar, como espectador, uma liberação deimagens subconscientes carregadas de emoções e conteúdos que foram reprimidos, os samskáras.Tais conteúdos reprimidos, causa de nossas tensões profundas e da constante inquietude da mente,ficam interferindo subliminarmente nos nossos comportamentos na vida diária. Condicionam nossosensamentos e exeriências, nos comelindo a reair de forma razoavelmente revisível.
 
“Yoganidrá é um estado que se situa no limite entre o sono e a vigíliae que permite um contato com o subconsciente e o inconsciente,contato este associado a uma consciência passiva dos fatose à ausência de ansiedade e tensão.”
Paramahansa Satyananda, no famoso livro Yoganidrá
 
 
Benefícios
O relaxamento consciente é um meio eficaz de combate à tensão e seus efeitos psicológicos nocivos. A relação custo / benefício é excelente na intensidade, rapidez e segurança com que atua. Pode-seutilizar a prática de yoganidrá, no caso de pessoas que sofrem de insônia, produzindo um sonoprofundo, repousante e restaurador, evitando-se assim o estresse.Se uma pessoa aprende a administrar o estresse, respirar melhor, concentrar melhor, trabalhar ocorpo alongando e fortalecendo a musculatura, melhorando a postura e beneficiando órgãos internos,logo revitaliza toda sua estrutura biológica e recebe um vigoroso incremento generalizado da saúdeque são intensificados pela prática regular de yoganidrá.Com a aquisição de tanta energia, os efeitos logo extrapolam o plano denso e começam a atuar noplano mais sutil como no desenvolvimento de chakras (centros energéticos), no despertar dakundaliní (energia ígnea latente) e no conseqüente desenvolvimento dos siddhis (paranormalidades).Daí à meta, o samádhi (estado de hiperconsciência), é um passo.
Tipos de Yoganidrá
 A parte mais sutil e interna somente é desenvolvida se o praticante desejar. Caso contrário, ele serestringe ao trabalho corporal que é a base de tudo. Como você pode perceber, nesse imensouniverso de técnicas e efeitos, O relaxamento é apenas uma pequena parte no cômputo geral.Existem várias formas de indução para O relaxamento. Vejamos algumas:
O relaxamento através da bolha luminosa.
O relaxamento no alto da montanha.
O relaxamento das cores.
O relaxamento dos sons.
O relaxamento na praia.
O relaxamento na clareira do bosque.
O relaxamento da gota de orvalho caindo na superfície de um lago sereno.
O relaxamento num jardim encantado.
O relaxamento num recanto campestre.
O relaxamento da cachoeira de luz, entre inúmeras outras...Todas elas utilizam a mesma base inicial que consiste em um comando de descontração do corpotodo, parte por parte. A base inicial pode induzir a descontração localizando a consciência em cadasegmento do corpo, um por um, a fim de desligar todos os pontos de tensão.O comando inicial é sempre semelhante, mas pode seguir ordens distintas, variando a cada dia:
Descontração dos pés para a cabeça (é a mais utilizada).
Descontração descendo pela frente, do pescoço até os pés, e subindo por trás, dos pés até àcabeça.
Descontração do centro para as extremidades, partindo do umbigo, sem retornar ao tronco.
Descontração em círculo (tronco, braço esquerdo, perna esquerda, perna direita, braço direito,cabeça).
Descontração total do corpo, seguida de descontração e relaxamento.Um bom relaxamento é dividido em quatro estágios:
Entrada
Desenvolvimento
Preparação para a saída
Saída
 
 
1) Entrada:
é composta da descrição do anga e do comando de segurança: Exemplo: “Permaneçalúcida e acordada ouvindo tudo o que eu disser, filtrando e assimilando apenas o que desejar”. Éonde se dá início ao
rodízio de conscientização
em que a mente focaliza as diferentes partes docorpo descontraindo-as, com a percepção da
consciência na presença da respiração
 (pránáyáma) com o intuito de relaxar e energizar abstraindo os sentidos, desprendendo as camadasmais grosseiras e alcançando as mais sutis.
2) Desenvolvimento:
é a forma como você irá conduzir o praticante para tirar o melhor proveito daprática, sendo composta pelo
desenvolvimento das sensações e
 
visualização interior 
sobre atela mental como por exemplo, descrevendo histórias de forma a favorecer a vivência de cores eimagens para desenvolver a
concentração
(dhárana).
3) Preparação para a saída:
é onde o instrutor cria os meios descritivos coerentes para que opraticante volte ao ambiente da prática, ativando cada um dos cinco sentidos de forma a sentir-semelhor, com mais disposição, cheio de vigor e energia, com serenidade e bem-estar, preparando-separa o anga seguinte.Neste momento um comando de segurança final é recomendado. Exemplo: “Torne a respiraçãomais presente. Retorne lenta e progressivamente ao ambiente de prática trazendo a consciênciapara o corpo físico, através do despertar dos sentidos sensoriais: do mais sutil ao mais denso.Desperte gradualmente sentindo o perfume de incenso no ar; ouvindo melhor os sons ao redor, dosmais próximos aos mais distantes; passando a língua nos lábios e sentindo o paladar; devolvendomovimentos ao corpo, iniciando pelas extremidades”.
4) Saída:
é o momento de finalizar o anga e dar as descrições de retorno completo, como por exemplo: “Desperte resgatando todo o seu estado de presença no aqui e agora. Espreguicegostosamente, desfrutando de satisfação e contentamento, soltando sons, bocejando... Abra osolhos enxergando tudo ao redor e sinta-se plenamente desperto. Gire sobre a lateral do corpo,apoie a mão no chão e sente-se sem forçar a coluna. Acomode-se em postura ereta, com os olhossuavemente fechados e as mãos em mudrá adequado à meditação, para dar início ao samyama”.
 
 As duas primeiras técnicas ligam-se ao relaxamento físico, a terceira, ao emocional e a última, aomental. A oportunidade de formular um propósito ou objetivo de ordem pessoal (sankalpa) pode ser oferecida no início da prática e no final antes do retorno. Após este momento é indicadopermanecer por alguns instantes em silêncio (pausa) para que o praticante canalize toda a energiapara um foco determinado pelo sankalpa.
Lembre-se:
É de extrema importância que as gestantes saiam deste estado de relaxamento demaneira lenta, gradual e nunca de maneira abrupta, o que pode além de assustar, causar outrosdesconfortos energéticos.
Considerações Gerais
 Não confunda shavásana com yoganidrá. Alguns tipos de yoga encerram suas práticas apenas com oshavásana. Este, como o próprio nome já diz, é apenas um ásana, uma posição de relaxamento, seuponto focal. É certo que este ásana, por si só, já tem grandes benefícios, como por exemplo: induzir auma atitude de entrega, descontrair sem a necessidade de esforço algum, diminuir o biorritmo,desacelerar os batimentos cardíacos, diminuir o estresse, regular a pressão arterial.No entanto, o yoganidrá completo aplica, além da melhor posição para relaxar, a melhor respiração, omelhor tipo de som, de iluminação, de cor, de perfume e a mais adequada indução verbal.
 
 Alguns mestres indianos usam os seguintes
sinônimos
para o termo shavásana: mritásana (posturado cadáver), prashritásana (posição deitada), shaithilyásana (posição de relaxamento), shantásana(posição tranquila), prashantásana (posição quieta), nishchalásana (posição imóvel) e achála kriyá(prática da imobilidade).

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->