Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Mente e Criatividade

Mente e Criatividade

Ratings: (0)|Views: 63|Likes:
Published by groovieman

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: groovieman on Jun 10, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/26/2010

pdf

text

original

 
Mente e Criatividade
 A mente precisa de um Mestre
 Amado Osho,Na mente, no processo de pensar, há muita energia. Como podemos usar essa energia de um modo criativo econstrutivo? 
A pergunta é muito complexa. Soa simples, mas o ésimples.Você está perguntando: “A mente é cheia de energia; comousar essa energia de modo criativo e construtivo?.Quem vai usar essa energia...?Se a própria mente for usar essa energia, ela nunca poderáser criativa e nunca poderá ser construtiva.É isso o que está acontecendo por todo o mundo. É isso o queestá acontecendo na ciência... Toda a miséria da ciência é quea mente está usando a própria energia... Mas a mente é umaforça negativa – ela não pode usar nada criativamente, elaprecisa de um mestre. A mente é um serviçal...!Você tem um mestre?Assim, para mim a questão é... a meditação desenvolve omestre interno. Ela o torna completamente alerta e conscientede que a mente é um instrumento. Agora então, o que querque você queira fazer, você pode fazer. E se você não quiserfazer nada com ela, você pode -la de lado e podepermanecer em absoluto silêncio.Neste momento, você o é o mestre nem por cincominutos... Você não pode dizer à mente: “Por favor, fiquesilenciosa por cinco minutos.”. Esses serão os cinco minutosnos quais a mente ficará mais veloz, correndo mais do quenunca... porque ela tede mostrar a voquem é omestre.uma famosa história no Tibet... Um homem queriaaprender a arte dos milagres; assim, ele começou a servir aum santo de quem se pensava ser um conhecedor de todos ossegredos. E ele serviu ao santo dia após dia. E fechou seupróprio negócio.O velho santo lhe dizia repetidamente: “Eu não sei nada. Vocêestá desperdiçando seus negócios desnecessariamente, e estáse tornando uma carga para mim, porque sempre que olhopara você... Durante vinte e quatro horas por dia, você ficasentado aí, em cima de mim, e eu não sei nada de milagres. Oque fazer?.O homem disse: “Você não pode escapar de mim ofacilmente. Eu ouvi dizer que votem esses segredos
 
escondidos. Mas se você é teimoso, eu também sou teimoso.Morrerei sentado aqui, mas eu aprenderei o segredo”.Finalmente, o santo disse: “Escute aqui. Este é o mantra” –não era nada demais, era um mantra simples –: “basta repetirom, om, omkar e todos os segredos e todos os milagres setornarão disponíveis a vo, à medida que você for setornando cada vez mais e mais sintonizado com o mantra.”.O homem saiu correndo para casa. Enquanto ele estavadescendo os degraus do templo, o santo disse: “Espere!Esqueci-me de uma coisa: depois de tomar o banho, quandoestiver se sentando para entoar o mantra, lembre-se de nãodeixar nenhum macaco entrar em sua mente.O homem disse: “Você está ficando senil!? Em toda a minhavida, nenhum macaco entrou na minha mente. o sepreocupe!”.Ele disse: “Eu o estou preocupado. É para torná-lociente; assim, você não voltará mais tarde para me dizer queum macaco perturbou tudo.O homem disse: “Não há perigo quanto a macacos. Tudo jáentrou nesta mente, mas... um macaco!? Não me lembro dissoabsolutamente, nem mesmo em sonho.Mas assim que ele começou a se dirigir para casa, ficouespantado: macacos começaram a aparecer na tela de suamente macacos enormes, gargalhando. Ele disse: “MeuDeus!”. Ele tentou empurrá-los: “Fora! Sumam-se daqui! Nãotenho nada a fazer com macacos, e muito menos hoje!”. Masele ficou surpreso, porque não era somente um macaco, erauma longa fila: eles vinham de todos os lados.Ele disse: “Meu Deus, eu jamais pensei que dentro da minhamente estivessem escondidos tantos macacos! Mas antes,deixe-me tomar um banho.”. Mas foi muito difícil tomar umbanho, porque ele gritava sem parar: “Saia!, “Sumam-sedaqui!”.Finalmente, sua mulher bateu na porta “O que eshavendo? Quem esdentro do banheiro? Você essozinho?”.Ele disse: Estou sozinho. “Mas então por que você está gritando “fora!, “suma-sedaqui!tão alto? Ele disse: “É porque esses macacos....A mulher disse: “Você ficou louco!? Que macacos? Não hámacacos aqui. Pare com isso já!.Ele disse: “Estranho... Essa mulher nunca foi tão dura comigo,mas, de certo modo, ela está certa, porque não há ninguémno banheiro. Mas se eu disser que eles estão na minha cabeçaserá pior ainda.Ele sentou-se no seu oratório, mas os macacos continuavamdentro de sua cabeça! Ele fechava os olhos, e lá estavamtodos eles sentados ao seu redor. Ele disse: “Eu jamais
 
imaginei que os macacos estivessem tão interessados emmim... Por que vocês estão me incomodando!? Uns ficamdentro da mente e, se fecho minha mente, outros esosentados ao meu redor. Eles me empurram de um lado paraoutro, e rindo! Eu sou um homem silencioso, e esse não é umcomportamento justo!.E novamente a mulher olhou para dentro do oratório e disse: Com quem você está falando?.Ele disse: "Meu Deus, agora tenho de explicar algo que eumesmo não compreendo! Não me perturbe mais esta noite.Amanhã cedo eu irei falar com aquele velho.A noite toda ele tomou rias chuveiradas, esfregou osabonete tanto quanto pôde para se lavar bem, mas não haviameio. O banheiro estava tão cheio de macacos, que até andardentro do banheiro estava difícil, sair do banheiro estavadifícil. Quando ele retornou ao seu oratório, eles estavamsentados em todo o espaço – até mesmo no seu lugar haviaum macaco entoando om, om, om...O homem disse: “Não posso esperar até amanhã.”. Era meia-noite. Ele correu para o templo, acordou o velho e lhe disse: Que espécie e mantra você me deu!?.Ele respondeu: “Eu lhe disse, era essa a condição. Eis por quedurante muitos anos eu não disse nada a ninguém – porqueessa condição é irrealizável. Simplesmente abandone essaidéia de milagres, e os macacos desaparecerão.O homem disse: “Eu vim aqui para isso! Eu não quero nenhummilagre, não quero nenhum segredo. Apenas me ajude, porfavor, a me livrar desses macacos, porque eles estão sentadospor toda parte; e, se eu abrir a minha loja amanhã, elesestarão sentados por toda a loja. Sou um pobre negociante.Entrei no negócio errado – este não é o meu negócio. Vocêcontinua com o seu trabalho, mas, por favor, se puder meajudar...”.O santo disse: “Não há nenhum problema. Se você abandonara idéia de milagres, esses macacos desaparecerão. Eles são osguardiões dos milagres.Se você tentar parar de pensar por cinco minutos, entrarãomais pensamentos do que nunca – pela simples razão demostrar a você que você não é o mestre. Assim,primeiramente a pessoa tem de conseguir a mestria; e o meiode se tornar o mestre não é dizer aos pensamentos: “Pare!”. Omeio de se tornar o mestre é observar todo o processo depensamento.Se o homem tivesse simplesmente observado os macacos,tivesse permitido que eles rissem, tivesse permitido que elesfizessem o que quer que estivessem fazendo; se ele tivessesido simplesmente uma testemunha, aqueles macacos teriamsumido, ao ver que aquele homem parecia estar

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->