Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
13Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Sexualidade:Reflexões sobre Relacionamentos Amorosos na contemporaneidade

Sexualidade:Reflexões sobre Relacionamentos Amorosos na contemporaneidade

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 6,119|Likes:
Published by jefferson_28
Sexualidade:Reflexões sobre Relacionamentos Amorosos na contemporaneidade
O amor, para o senso comum, é tido desde antiguidade como sentimento misterioso e poderoso capaz de prover desde uniões matrimoniais até guerras. Mas, afinal o que é esse amor? Como podemos interpretá-lo diante do comportamento sexual que a humanidade apresenta na atualidade? No presente ensaio, buscamos refletir, com base bibliográfica, qual a percepção do sexo no contexto dos relacionamentos amorosos na contemporaneidade.
Palavras-chave: Amor, Sexo, Relacionamentos amorosos, Contemporaneidade.
Sexualidade:Reflexões sobre Relacionamentos Amorosos na contemporaneidade
O amor, para o senso comum, é tido desde antiguidade como sentimento misterioso e poderoso capaz de prover desde uniões matrimoniais até guerras. Mas, afinal o que é esse amor? Como podemos interpretá-lo diante do comportamento sexual que a humanidade apresenta na atualidade? No presente ensaio, buscamos refletir, com base bibliográfica, qual a percepção do sexo no contexto dos relacionamentos amorosos na contemporaneidade.
Palavras-chave: Amor, Sexo, Relacionamentos amorosos, Contemporaneidade.

More info:

Published by: jefferson_28 on Jun 17, 2009
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

09/30/2012

pdf

text

original

 
 
Sexualidade:Reflexões sobre Relacionamentos Amorosos nacontemporaneidade
Jefferson Cliffiton Nepomuceno de Sousa Luís Bruno de Meneses Santo* Antonieta Lira e Silva** 
 
RESUMO
O amor, para o senso comum, é tido desde antiguidade como sentimento misterioso e poderoso capaz de prover desde uniões matrimoniais até guerras.Mas, afinal o que é esse amor? Como podemos interpretá-lo diante do comportamento sexual que a humanidade apresenta na atualidade? No presente ensaio, buscamos refletir, com base bibliográfica, qual a percepção do sexo no contexto dos relacionamentos amorosos na contemporaneidade.
Palavras-chave: 
Amor, Sexo, Relacionamentos amorosos,Contemporaneidade.
 
Sexuality:Reflections on love relationships in contemporaryABSTRACT
The love for the common sense, is taken from ancient and mysterious and powerful feeling able to provide unions from marriage to war. But after all that, and this love? How can we interpret it in the face of sexual behavior that shows humanity at present? In this test, we think, based on literature, which the position of the opposite sex to love relationships with a view in contemporary psychology.
Keywords 
: Love, Sex, Relationships love, Contemporaneity.
* Graduandos em psicologia pela Faculdade Santo Agostinho FSA-PI.** Professora Mestra em Psicologia Clínica e Orientadora do trabalho.
 
 
INTRODUÇÃO
O presente artigo tem como objetivo principal refletir sobre os relacionamentosamorosos na contemporaneidade e a partir destas reflexões, identificar a evoluçãodo amor e do sexo na atualidade, bem como os aspectos psicossociais envolvidos.Para tanto, iremos analisar a evolução dos relacionamentos amorosos deste aantiguidade até os dias atuais, focando na dinâmica das relações sexuais amorosasda atualidade.A reflexão sobre relacionamentos amorosos é uma temática bastantediscutida, porém atual e relevante diante de nossa atualidade. Nas últimas décadas,constituiu-se no Ocidente uma nova cartografia do social, em que a fragmentação dasubjetividade ocupa posição fundamental. Essa fragmentação não só constitui umaforma nova de subjetivação, como também serve de matéria-prima por meio daquais outras modalidades de subjetivação são forjadas.De acordo com estudos recentes, modificou-se a relação do sujeito com seuobjeto. Vive-se numa sociedade em que as pessoas não mais se permitem ficartristes, não toleram o fato de serem frustradas. Instalou-se uma ordem socialsegundo a qual as pessoas valem pelo que aparentam, e não pelo que são,predominando, cada vez mais, o individualismo.Segundo Birmam
,
os destinos do desejo assumem,pois, uma direção marcadamente exibicionista e autocentrada, na qual o horizonte intersubjetivo se encontra esvaziado e desinvestido das trocas inter- humanas 
”.
(2001, p. 29)Na contemporaneidade, nos deparamos com uma ordem do descartável, do
“ficar” ou relacionamentos líquidos
,
da quantidade em detrimento da qualidade, ondeas pessoas podem dar prevalência ao exterior ao invés do interior, onde há umadiminuição da complexidade e envolvimento dos relacionamentos, provocandodesde fracassos e estragos a novas formas de se relacionar na vida amorosa.Portanto, diante desse cenário sobre os relacionamentos amorosos, refletirsobre as questões da afetividade é de absoluta importância para tentarmos e
 
 
compreender os cenários sexuais atuais, já que a intensidade e o excesso pulsionalé característica marcante de tais comportamentos.
SEXUALIDADE NA HISTÓRIA E SUAS REPRESENTAÇÕES
 No percurso histórico dos comportamentos sexuais, da pré-história até aatualidade, observa-se a prática sexual para além das funções vitais e instintivas,estando imbricada com as relações psicológicas e sociais embora.A partir de várias leituras sobre as primeiras representações e reproduçõessexuais, como artes rupestres, observa-se a priori, uma norma sexual semelhante
aos animais, ou seja, conforme a “lei da natureza”, as relações sexuais ocorriam em
 momentos propícios. Estas primeiras reproduções plásticas do cotidiano primitivodeste homem revelam suas observações e descriminação entre os sexos,primeiramente através de animais com características sexuais relevantes, eposteriormente a reprodução de momentos sexuais de casais humanos e rituais emgrupos.Com um intenso processo de reprodução e conseqüentemente um aceleradocrescimento dos grupos primitivos surge à necessidade de subsistência e umacooperação monogâmica. As relações monogâmicas tornam-se prioritária, poisdiante de escassos recursos de sobrevivência para todo o grupo a monogamia tem,como principal objetivo, garantir a vida de seus descendentes.Evoluindo para uma era mais representativa e complexa da sexualidade,período marcado pelas explicações míticas grego-romana, é exposto à relevantepreocupação sobre a própria origem e a origem do mundo. Todas estas duvidas,medos, e falta de uma regra que explicasse a origem de tudo e de todos, os levarama recorrer a explicações divinas. Uma destas explicações da criação do universo etudo que nele habita é o mito de Adão e Eva onde, segundo Gêneses, tudo foi criadopor Deus, sendo a terra criada por etapas (haja a luz,... o firmamento,... o mar,... aságuas, etc.), posteriormente cria o homem (Adão) a sua semelhança, tornando-oassim um ser vivente. Finalmente, vendo a solidão de Adão, Deus cria umacompanheira, a partir da costela de Adão, chamada de mulher e ao casal o paraísolhes pertencia, montando uma noção de natureza humana onde o pecado estariapróximo ao desejo, impulso e descompromisso.

Activity (13)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
marisegarcez liked this
debbieclio liked this
bacodeus liked this
querbolacha liked this
querbolacha liked this
nadinhav liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->