Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
16Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Melancia- Coco Verde (análise literária)

Melancia- Coco Verde (análise literária)

Ratings: (0)|Views: 5,948 |Likes:
Published by LuísaVargas@@
Melancia-Coco Verde, João Simões Lopes Neto, é um dos contos gauchescos, narrado por Blau Nunes, o vaqueano. Aqui, é feita a análise explicativa do conto, que por ter um linguajar gaudério pode muitas vezes se tornar um tanto complicado para entender.
Melancia-Coco Verde, João Simões Lopes Neto, é um dos contos gauchescos, narrado por Blau Nunes, o vaqueano. Aqui, é feita a análise explicativa do conto, que por ter um linguajar gaudério pode muitas vezes se tornar um tanto complicado para entender.

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: LuísaVargas@@ on Jun 19, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/11/2013

pdf

text

original

 
Melancia – Coco verde (resumo e análise literária)
A história começa, sendo narrada por Blau Nunes, que está na presença de umcompanheiro, e para quem narra um longo causo.O narrador pede para o receptor esperar, fumar, que ele vai ao encontro de umvelho conhecido, o Reduzo, índio que foi “posteiro” da família Costas, em outrostempos. Neste momento há uma pausa, longa, a da conversa com o Reduzo, que éexpressa por uma série de pontos, e é interrompida quando o narrador volta a falar comseu ouvinte.A partir de então, ele narra a hístória do índio Reduzo, também chamado chiru,ao longo do texto. Recorda sua história desde menino, quando nasceu e foi criado nacasa dos Costas, onde o patriarca é Iunanco Costa, um homem de vida feita, bemempregado, que comprou quatro sesmarias (terrenos não cultivados, no Brasil, cedidos para os novos povoadores pelos reis de Portugal) , para ele e para seus filhos.O chiru criou-se com os filhos do Costa, juntos faziam várias tarefas quandocrianças, que com o passar do tempo ficavam mais pesadas. Um dos filhos, chamadocomumente Costinha, foi servir para as forças armadas, e o Reduzo também, comocompanheiro e súdito.O Costinha era apaixonado pela sia Talapa, filha de um fazendeiro dasredondezas, chamado Severo. Ele às vezes passava pelas fazendas do último, para ver aamada. Porém, Severo não queria que a filha se casasse com ele, mas sim com seusobrinho, um ilhéu dito vegetariano no texto, visto que ele não tinha a mesma culturatipicamente gaúcha de comer churrasco entre outras iguarias citadas, e nem a cultura deandar a cavalo, diz no texto que pra ele o cavalo tinha que ser manso lento e“porongudo”, ou seja, atrofiado nas pernas, com dificuldade de andar. Acontecia queeste ilhéu era Galego. Quando este ilhéu chegava de visita, o cardápio todo mudava, esia Talapa ficava muito triste quando as pessoas comentavam sobre seu casamento como primo.Ele retoma o romance de sia Talapa e o Costinha. Fala que os dois fizeram um juramento, de que se casariam, ainda que ela tivesse que sair de casa. Por causa dealguns ataques de castelhanos, o Costinha teve que se despedir da amada, deu-lhe umamemória, e ela, para retribuir, uma mecha de cabelo. Então surge o título do conto,quando eles combinam que seus nomes codificados, da sia e do Costinha seriamMelancia e Coco verde, respectivamente, para mensagens, e que só os dois saberiam.Costinha, no escuro, rouba um beijo da moça, que só o Reduzo viu. E parte.Passa um tempo e o velho Severo manda buscar seu sobrinho, junto a uma carta, para o casório com a filha. Chegou muita gente para o casamento, entre vizinhos, parentes e empregados. Sia Talapa, junto com a empregada que lhe havia amamentadochoravam. A segunda discretamente, com medo de ser punida. A família Costa não foraconvidada. Entretanto um viajante passou pelas bandas, e levou a notícia ate os ouvidosdos Costas. Quando Costinha ficou sabendo, estava a caminho de uma batalha emandou Reduzo enviar a mensagem à sia Talapa de que Coco Verde manda novas àMelancia, e contextualiza para o chiru, enquanto os dois se defendem dos ataques ematam homens inimigos.O chiru foi, na maior velocidade possível sem pausas sem alimentação, só trocasde cavalos. Quando encontrou o Severo, este o convidou para comer, comemorar e fazer uma “saúde”, ou seja, um comprimento, desejar um bom casamento. Quando chegou ahora de fazê-lo disse: “Eu venho de lá bem longe, da banda do Pau Fincado: Melancia,coco verde te manda muito recado!”. A noiva, que se encontrava empalidecida e deolhos profundos, ficou com a pele acobreada e com os olhos brilhando. Todos riram.

Activity (16)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Thais Paim liked this
Claudio Grite liked this
Bianca Bressan liked this
Rafaela Kijner liked this
Rafaela Kijner liked this
Bianca Bressan liked this
Bianca Bressan liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->