Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
01 - Plano aula Homilética

01 - Plano aula Homilética

Ratings: (0)|Views: 886 |Likes:
Published by Pr Márcio Batista
Plano de aula 01 do Professor Pb Esdras Carvalho da disciplina Homilética.
Plano de aula 01 do Professor Pb Esdras Carvalho da disciplina Homilética.

More info:

Published by: Pr Márcio Batista on Jun 24, 2009
Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/04/2013

pdf

text

original

 
1
Homilética – Aula 01
 (18
 /03/2009 
)
Assunto:
Introdução à Homilética.
Turma:
Avançado em Teologia – CEEDUC
Referências Básicas:
 
 
REIFLER
, Hans Ulrich
.
Pregação ao Alcance de Todos.
 
SOUZA
, Itamir Neves de. Carta aos Romanos.
Um Evangelho Singular 
.
I - Definição de Homilética
Homilética é a ciência e arte de preparar e pregar mensagens bíblicas.Etimologicamente a palavra homilética tem suas raízes em três palavrasgregas (Reifler, p.12):1.
Homilos 
, que significa “
multidão 
”,
turma 
assembléia do povo 
” (cf. At18.17);2.
Homilia 
, que significa “
associação 
”, ou “
companhia 
” (cf. 1 Co 15.33);3.
Homileo 
, que significa “
falar 
”,
conversar 
” (cf. Lc 24.14s; At 20.11;24.26).Segundo o pastor Elienai Cabral foi de “
homileo 
que adaptou-se o termo
homilia 
. Foi a partir da raiz
homiletike 
que passamos a entender a forma depregação dos apóstolos no primeiro século da igreja” (1981, p. 15).Reifler nos informa que “O termo homilética surgiu durante o Iluminismo, entreos séculos XVII e XVIII, quando as principais disciplinas teológicas receberamnomes gregos como, por exemplo, dogmática, apologética e hermenêutica”.Para concluir sua definição ele nos diz que o termo “homilética firmou-se e foimundialmente aceito para referir-se à disciplina teológica que estuda a ciência,a arte e a técnica de analisar, estruturar e entregar a mensagem do evangelho”(1993, p. 11).Homilética é, por tanto, a ciência e arte de preparar e pregar mensagensbíblicas.
II – A relação entre a homilética e outras disciplinas
 Dentro da estrutura teológica de disciplinas a homilética pertence à teologiaprática. As disciplinas mais próximas da homilética são a hermenêutica e aexegese.A hermenêutica é conhecida como a ciência, arte e técnica de interpretarcorretamente a bíblia. Já a exegese é conhecida como a ciência, arte e técnicade expor as idéias bíblicas. Enquanto isso a homilética se apresenta como aciência, arte e técnica de comunicar o evangelho.
 
2
Nas palavras de Reifler “A hermenêutica interpreta um texto bíblico à luz deseu contexto, a exegese expõem um texto bíblico á luz da teologia bíblica; e ahomilética comunica um texto bíblico à luz da pregação bíblica” (1993, p. 12).A homilética ainda se associa à oratória, a retórica e a eloqüência. A oratória éa arte de falar; a retórica é o estudo teórico e prático das regras quedesenvolvem e aperfeiçoam o talento natural da palavra. Finalmente temos aeloqüência, que é o uso de recursos persuasivos visando o convencimento doouvinte.
III – Dificuldades comuns à pregação bíblica
Que dificuldades enfrentam a pregação e os pregadores na atualidade?Blackwood nos fala sobre o declínio do púlpito. Para este problema ele apontacomo causas “o aumento do secularismo, o predomínio da imoralidade e oespírito de distração” (1981, p. 20). Como não se pode esperar que a culpaesteja totalmente sobre fatores externos ao pregador e ao sistema eclesiásticoele aponta ainda outra causa para o declínio do púlpito, “a falta de instruçãoadequada”. Para ele “Há muitos ministros que nunca aprenderam a pregar, ouentão esqueceram tudo quanto sabiam” (1981, p. 20).È fato que a pregação tem caído em descrédito nos nossos dias. John Stottescreve sobre as “objeções contemporâneas contra a pregação” e diz, aocomentar sobre as décadas de 60,70 e 80, que “a maré da pregação entrou emrefluxo e continua sendo baixa hoje” (2003, p. 47).Lloyd-Jones também sugere uma relação de razões para o declínio dapregação: uma atitude de desconfiança para com oradores de eloqüência nofalar, pregadores profissionais que manipulam seus ouvintes, fazendo delesmarionetes em suas mãos (ou, através de sua voz); perda da crença naautoridade das Escrituras; decréscimo de crença na verdade; e a publicação deensaios literários, que são confundidos e tidos como sermões e pregações (cf.1984, p. 7-11).O professor Itamir Neves de Souza também pode contribuir com este estudosobre as objeções contemporâneas à pregação. Ele sugere ainda as seguintesobjeções: a objeção causada pelo espírito de época; a objeção causada peloprogresso científico; a objeção causada pela apresentação de Jesus; a objeçãocausada pela valorização institucional; a objeção causada pela dicotomia entrea ortodoxia e a práxis; a objeção causada pela incoerência de vida; e a objeçãocausada pela descrença na relevância do evangelho.Esta avaliação do professor Itamir é concluída com um apelo gritante:“Necessitamos com urgência reagir fortemente a essas objeções evalorizarmos a pregação que traz a bíblia, a voz de Deus de volta ao povo”(2004, p.38-49).
 
3
IV – Recuperando a Pregação nos nossos dias
 O que fazer para recuperar a pregação em nossos dias? Como reconquistar aautoridade da pregação no século XXI? Que passos devem ser dados emdireção à recuperação da pregação?Itamir Neves de Souza (2003, p. 48 – 49):
Convicção e certeza versus presunção e intolerância;
Respostas certas para perguntas atuais;
Compreender e sustentar os pensadores cristãos;
Desenvolver a disciplina da oração em favor da obra do Espírito Santode convencer o homem “do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16. 8ARA);
Buscar cada vez mais a dependência do Espírito Santo.Três passos que considero fundamentais:
Retornar à palavra de Deus: devolver à Bíblia a centralidade e ogoverno do ministério da pregação;
Voltar à disciplina da oração;
Buscar incansavelmente a coerência entre o estilo de vida apresentadoá sociedade e a pregação proclamada nos púlpitos.
V – A natureza da Homilética
 Na linguagem do Novo Testamento é possível identificar quatro versos quedescrevem a natureza da homilética:1.
Kerisso,
proclamar, anunciar, tornar conhecido (61 ocorrências no NT).Está relacionado com o arauto (
Keryx 
), “que é comissionado pelo seusoberano... para anunciar em alta voz alguma notícia, para assim torná-la conhecida”.As quatro características principais da natureza da pregação segundo o NovoTestamento são:a) Um arauto fala e age em nome de seu Senhor. O arauto é oporta-voz de seu mestre. É isto que dá à sua palavra legitimidade,credibilidade e autenticidade;b) A proclamação do arauto já é determinada. Ele deve tornarconhecidas a vontade e a palavra de seu Senhor. O não-cumprimento desta missão desclassifica-o de sua função eresponsabilidade;c) O teor principal da mensagem do arauto bíblico é o a núncio doreino de Deus:
Mt 4.17 – 23; 9.35; 10.7; 24.14; Lc 8.1; 9.2; 
 

Activity (5)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
zecasan liked this
Karlos Oliveira liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->